Loading...

PASSAGEM AÉREA

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Acesso a internet no Ceará tem baixo índice e é considerado 'luxo' pelo Ipea


Cerca de 12% têm acesso à internet em domicílio, diz pesquisa do Ipea.
Índice de residência com celular supera em três vezes o de telefone fixo.

André Teixeira Do G1 CE

gráfico internet (Foto: Ipea/Divulgação)Acesso à internet na Zona Rural do Ceará é ''raro'', diz Ipea. (Foto: Ipea/Divulgação)
O acesso à internet no Ceará é considerado "um luxo'' tendo em vista o baixo acesso da população ao recurso, segundo a pesquisa Situação Social dos Estados - Ceará, divulgado nesta quarta-feira (1º) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). ''Com relação ao acesso à internet, é plausível afirmar que esse item ainda pode ser considerado um 'luxo', diz o estudo.
De acordo com o Ipea, 12,5% dos cearenses têm acesso à internet em domicílio. Na Zona Rural, o índice é 1%. "Apesar da velocidade de expansão do seu acesso nos
últimos anos, a população rural está praticamente alijada desse processo. As diferenças regionais são intensas e, no Ceará, a internet no domicílio ainda é um evento raro, sendo a taxa de acesso de 15,9% para a população urbana e, para a rural, o acesso ainda é praticamente nulo", diz o estudo.

Os dados são referentes ao ano de 2009 e não considera o acesso à internet em lan houses ou no trabalho. Ainda no Brasil, de acordo com o Ipea, o acesso à internet em domicílio é "muito baixa", 28,1%, quase o dobro do índice no Ceará. O Ceará fica abaixo também da média nordestina, de 19,2%. Ainda conforme o Ipea, 20% dos lares no Ceará têm computador, enquanto 36% dos domicílios em todo o Brasil possuem pelo menos um computador pessoal.
Três vezes mais celulares
De acordo com o estudo do Ipea, 76% dos lares no Ceará possuem pelo menos um telefone celular. O número supera em três vezes o índice de telefone fixo em domicílio, que chega a 25% das casas. Quanto à presença de celulares, o Ceará tem uma taxa acima da média nordestina, de 69%, mas fica abaixo da média nacional, de 81%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário