quarta-feira, 16 de janeiro de 2019


Dono da Havan vai responder na Justiça por ofensa a advogados


Ação Civil Pública foi motivada por ofensas publicadas em redes sociais

Redação
BAHIA.BA
Foto: reprodução internet
Foto: reprodução internet

“A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) é uma vergonha. Está sempre do lado errado. Quanto pior melhor, vivem da desgraça alheia. Parecem porcos que se acostumaram a viver num chiqueiro, não sabem que podem viver na limpeza, na ética, na ordem e principalmente ajudar o Brasil. Só pensam no bolso deles, quanto vão ganhar com a desgraça dos outros. Bando de abutres.”
O empresário comentou manifestação da OAB Nacional sobre o fim da Justiça do Trabalho
O empresário comentou manifestação da OAB Nacional sobre o fim da Justiça do Trabalho.

Por essa publicação, postada em suas redes sociais no dia 5 de janeiro, o empresário Luciano Hang, dono da loja de departamentos Havan, teve ajuizada contra ele uma Ação Civil Pública (ACP) movida pela seccional da OAB de Santa Catarina. Para a seccional, Hang excedeu a liberdade de opinião, na medida em que utilizou os termos pejorativos, desrespeitando a honra e a imagem da OAB, afirmando que é “injusta a comparação da entidade e dos profissionais a ‘porcos’ e ‘abutres’ em seus perfis nas redes sociais, que contemplam milhares de seguidores, acabou por incitar o ódio e expor toda a classe ao desprezo público”.
A seccional pediu, dentre outras coisas, a exclusão do conteúdo nas redes sociais e o pagamento de indenização por danos extrapatrimoniais coletivos, no valor de R$ 1 milhão.

Gestão Bolsonaro usa marca comparada à de Obama em campanha


Desenho também inclui fonte grátis do Google destinada a projetos de sinalização de espaços e não necessariamente a marcas

Redação
BAHIA.BA
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A marca divulgada pela gestão do presidente Jair Bolsonaro (PSL) guarda semelhanças com a que foi adotada pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, segundo avaliação do designer gráfico Felipe Sabatini, da Folha.
O desenho usado pelo governo brasileiro tem um sol, representado pela bandeira, que nasce ao fundo de uma colina. Obama usou imagem semelhante durante as eleições americanas de 2008.
Desenvolvida pelo designer Sol Sender, da VSA Partners, a identidade visual da campanha do americano ficou mundialmente conhecida como inovadora, ao se apropriar do minimalismo, com o mesmo sol atrás de uma colina, representando a renovação que invadia o discurso político do então candidato.
Foto: Reprodução/ Pinterest
Foto: Reprodução/ Pinterest

Na versão de Bolsonaro, o minimalismo é trocado pelo uso exagerado do verde e amarelo, cores que são elementos-chave na comunicação do brasileiro.
A fonte Signika, do conjunto de fontes grátis do Google, foi escolhida para a tipografia. No entanto, o pacote é destinado a projetos de sinalização de espaços e não necessariamente a marcas.
No lançamento da marca, o presidente escreveu no Twitter: “A parte mais importante é que a divulgação está sendo lançada na internet com custo zero, economizando mais de R$1,4 milhões aos cofres públicos”.

Calorão: crescem em 30% as vendas de ventiladores e condicionadores de ar


Altas temperaturas fazem baianos correr para as lojas e garantir um clima mais fresco em casa

Rayllanna Lima
BAHIA.BA
Foto: Reprodução/Seconar Service
Foto: Reprodução/Seconar Service

A chegada do verão esquenta ainda mais os termômetros da capital baiana, que já registra altas temperaturas durante todo o ano. Com o calorão acima de 30ºC quase que diariamente, os baianos estão correndo para as lojas a fim de adquirir um novo ou trocar seus ventiladores e aparelhos de ar-condicionado.
Com o aumento da procura por parte dos clientes, cresce também o faturamento das empresas. Como registrado nos anos anteriores, o modelo split continua sendo o tipo de aparelho de ar-condicionado mais procurado, devido ao conforto que proporciona e ao preço acessível: custa em média entre R$ 1000 e R$ 1200.
Os aparelhos da linha Interver também continuam no gosto dos baianos. Sua principal característica é a economia de energia, visto que consome em média 45% menos energia em relação ao split convencional.
Conforme detalhou o gerente da empresa de refrigeração comercial Dufrio, localizada na Avenida Mario Leal Ferreira (Bonocô), tanto o faturamento quanto o número de vendas cresceram 30% em dezembro – mês em que se inicia o verão – de 2018, na comparação com o mesmo período de 2017.
“A demanda aumenta muito a partir de dezembro. Temos uma baixa nas vendas durante o período chuvoso, que começa a retomar a partir de outubro. É um mercado muito competitivo. Temos esse destaque para a Interver por se tratar de um produto mais sustentável, que trabalha com gás ecológico. Economia no bolso e para o meio ambiente”, explica Edmilson Lopes.
Ventiladores – Movimento bastante semelhante também registrado em lojas que ofertam ventiladores, como a do comerciante Luiz Moura, que fica localizada na Avenida Sete de Setembro.
“O movimento aumenta tanto para compras, quanto para consertos. Chega o verão e ninguém quer passar calor, ainda mais morando em Salvador. O crescimento deve ser em média de 18% a 20% na procura pelos ventiladores”, afirma.
E entre os baianos que não querem passar calor está a dona de casa Fernanda Pereira, 54 anos, que viu seu aparelho de ar-condicionado quebrar quando ela mais precisava.
“Em pleno verãozão de Salvador, ficar no calor não dá. Liguei para a empresa e fui aconselhada a comprar o ar-condicionado que mais se adequava à minha casa. Dei os detalhes e eles me auxiliaram, agora estou indo buscar”, disse pouco antes de efetuar a compra em uma empresa especializada e aparelhos de ar-condicionado, localizada na Avenida Vasco da Gama. Da Tribuna da Bahia.

A arma de fogo é a civilização


O fato é que a arma de fogo anula a tirania do mais forte e protege a integridade do mais fraco. Artigo de Marko Kloos para o Instituto Mises - uma provocação para o pensamento politicamente correto:

Os seres humanos têm apenas duas maneiras de lidar uns com os outros: por meio da razão e por meio da força.

Se você quer que eu faça algo por você, há duas opções: ou você me convence por meio de um argumento racional ou você recorre à ameaça de violência.

Toda e qualquer interação humana necessariamente recai em uma dessas duas categorias. Sem exceção. Razão ou força. E só.

Em uma sociedade genuinamente moral e civilizada, as pessoas interagem exclusivamente por meio da persuasão. A força não é um método válido de interação social. 

Sendo assim, e por mais paradoxal que isso possa parecer para alguns, a única ferramenta que pode remover a força dessa lista de opções é uma arma de fogo pessoal.

E o motivo é simples: quando estou portando uma arma de fogo, você não pode lidar comigo por meio da força. Você terá de utilizar apenas a sua razão e a sua inteligência para tentar me persuadir. Portando uma arma de fogo, eu tenho uma maneira de neutralizar a sua ameaça ou o seu uso da força.

A arma de fogo é o único objeto de uso pessoal capaz de fazer com que uma mulher de 50 kg esteja em pé de igualdade com um agressor de 100 kg; com que um octogenário esteja em pé de igualdade com um marginal de 20 anos; e com que um cidadão sozinho esteja em pé de igualdade com 5 homens carregando porretes. 

A arma de fogo é o único objeto físico que pode anular a disparidade de força, de tamanho e de quantidade entre um potencial agressor e sua potencial vítima.

Há muitas pessoas que consideram a arma de fogo como sendo o lado ruim da equação, a fonte de todas as coisas repreensíveis que acontecem em uma sociedade. Tais pessoas acreditam que seríamos mais civilizados caso todas as armas fossem proibidas: segundo elas, uma arma de fogo facilita o "trabalho" de um agressor. 

Mas esse raciocínio só é válido, obviamente, se as potenciais vítimas desse agressor estiverem desarmadas, seja por opção ou por decreto estatal. Tal raciocínio, porém, perde sua validade quando as potenciais vítimas também estão armadas.

Pessoas que defendem a proibição das armas estão, na prática, clamando para que os mais fortes, os mais agressivos e os mais fisicamente capacitados se tornem os seres dominantes em uma sociedade — e isso é exatamente o oposto de como funciona uma sociedade civilizada. 

Um criminoso só terá uma vida bem-sucedida caso viva em uma sociedade na qual o estado, ao desarmar os cidadãos pacíficos, concedeu a ele o monopólio da força. Quando as armas são restringidas por lei, não há nenhum motivo para se acreditar que criminosos irão obedecer a esta lei. Pessoas que utilizam armas para infringir a lei também infringirão a lei para obter armas. A máxima segue irrefutável: se as armas forem criminalizadas, apenas os criminosos terão armas.

E há também o argumento de que uma arma faz com que aquelas brigas mais corriqueiras, as quais em outras circunstâncias resultariam apenas em pessoas superficialmente machucadas, se tornem letais. Mas esse argumento é multiplamente falacioso. 

Em primeiro lugar, se não houver armas envolvidas, todos os confrontos serão sempre vencidos pelo lado fisicamente superior, o qual irá infligir lesões e ferimentos avassaladores ao mais fraco. Sempre.

Ademais, pessoas que acreditam que punhos cerrados, porretes, pedras, garrafas e cacos de vidro não constituem força letal provavelmente são do tipo que acreditam naquelas cenas fantasiosas que vêem nos filmes, em que pessoas tomam variados socos, pauladas e garrafadas na cabeça e ainda continuam brigando impavidamente, no máximo com um pouco de sangue nos lábios.

O fato de que uma arma de fogo facilita o uso de força letal é algo que funciona unicamente em prol da vítima mais fraca, e não em prol do agressor mais forte. O agressor mais forte não precisa de uma arma de fogo para aniquilar sua vítima mais fraca. Já a vítima mais fraca precisa de uma arma de fogo para sobrepujar seu agressor mais forte. Se ambos estiverem armados, então estão em pé de igualdade.

A arma de fogo é o único objeto que é tão letal nas mãos de um cadeirante quanto nas mãos de um halterofilista. Se ela não fosse nem letal e nem de fácil manipulação, então ela simplesmente não funcionaria como instrumento equalizador de forças, que é a sua principal função.

Quando estou portando uma arma, eu não o faço porque estou procurando confusão, mas sim porque quero ser deixado em paz. A arma em minha cintura significa que não posso ser coagido e nem violentado; posso apenas ser persuadido por meio de argumentos racionais. 

Eu porto uma arma não porque tenho medo, mas sim porque ela me permite não ter medo. A arma não limita em nada as ações daqueles que querem interagir comigo por meio de argumentos; ela limita apenas as ações daqueles que querem interagir comigo por meio da força.

A arma remove a força da equação. E é por isso que portar uma arma é um ato civilizado. 
Uma grande civilização é aquela em que todos os cidadãos estão igualmente armados e só podem ser persuadidos via argumentos racionais, jamais coagidos.
BLOG ORLANDO TAMBOSI

Hasta la vista, bambino!


Césare Battisti buscou a proteção de Evo Morales, seu aliado de esquerda. Só que uma coisa é ser de esquerda na época dos vizinhos bolivarianos; outra, hoje. As coisas mudaram. Coluna de Carlos Brickmann:

O primeiro-ministro comunista da Alemanha Oriental, Erich Honecker, foi deposto. Pediu asilo a seus aliados da União Soviética, tão comunistas quanto ele. Os soviéticos o devolveram ao Ocidente para ser julgado.
Césare Battisti buscou a proteção de Evo Morales, seu aliado de esquerda. Só que uma coisa é ser de esquerda na época dos vizinhos bolivarianos; outra, hoje. As coisas mudaram. E Césare Battisti não viu.
Acabaram com a prisão na Bolívia os 38 anos de fuga de Battisti à pena de prisão perpétua. Mas sua história está longe de ser esclarecida. Quem pagou as despesas de Césare Battisti nestes 38 anos? Quem pagou seus quase 12 anos de Brasil? A venda de seus livros? Seria caso quase único.
Quem é, de verdade, Césare Battisti, para motivar o envolvimento de tanta gente, em tantos lugares do mundo, nas campanhas em seu favor? Apenas membro do grupo terrorista Proletários Armados pelo Comunismo, e sem qualquer relevância, já que diz nunca ter participado de terrorismo?
Preso na Bolívia por policiais bolivianos e agentes italianos, Battisti foi enviado direto à Itália, sem passar pelo Brasil. Ao chegar à Itália, disse uma frase curiosa: “Agora sei que vou para a prisão”. Por que apenas naquele momento, já na Itália, ele se convenceu de que iria para a prisão? Estaria tão convencido de que brasileiro é muito bonzinho que, mesmo com a extradição decidida por Temer, mesmo sendo Bolsonaro o sucessor, com o STF contra ele, daria um jeitinho de se livrar? Quem saberá as respostas?
Completando o Governo
Bolsonaro escolheu dois novos auxiliares de excelente reputação: um é o porta-voz do Governo, ouro é o líder do Governo na Câmara. Vão dar certo? Condições, têm. Mas tudo depende da coerência governamental.
O gato de Alice
O porta-voz do Governo, general Rego Barros, foi bem recebido: teve ótimo desempenho como chefe da Comunicação do Exército, entende-se com jornalistas e com ministros como o general Augusto Heleno. Mas há um problema: como dizia o Gato, em Alice no país das maravilhas, o caminho certo depende de para onde se queira ir. Se o presidente anuncia medidas que os assessores desmentem, se os assessores anunciam medidas que Bolsonaro desaprova, não há porta-voz que consiga fazer seu trabalho.
Líder e amigo

A outra escolha correta de Bolsonaro é de um político novo: o Major Vitor Hugo, deputado federal eleito pelo PSL de Goiás. Os jornais dizem que ele é bem aceito por vários militares do Governo, e é; mas sua escolha vem de cima. É velho amigo de Bolsonaro. Tem bom currículo primeiro colocado nas academias militares, advogado, consultor legislativo (primeiro lugar no concurso) na Câmara. Promete reconstruir as relações entre Executivo e Legislativo, esquecendo o toma lá dá cá. Tarefa pesada: passa por sua articulação, por exemplo, a reforma da Previdência.
Preço melhor alguém faz?
A revista IstoÉ Dinheiro tem uma pauta-bomba nas mãos: um processo em que o fundador da gigante Marabraz e irmão mais velho dos demais sócios da empresa diz com todas as letras que ele e os irmãos cometeram fraudes para lesar sua esposa, de quem se divorciava. Com as fraudes, diz, sua parte nos bens do grupo foi transferida ficticiamente para os irmãos, prejudicando esposa e filhos. E acabou sendo ele próprio prejudicado.
É briga de gente grande: os irmãos que controlam o grupo contrataram o advogado Nelson Nery, professor, autor e organizador de quase cem livros, parecerista de prestígio – segundo o Consultor Jurídico, cobra algo como R$ 300 mil o parecer. O irmão que faz a denúncia de fraude contratou o advogado André Frossard dos Reis Albuquerque, mestre em Direito Empresarial pela New York University; e a Átina, proprietária da marca Marabraz, da qual são sócios os dois filhos do denunciante, tem como advogada Lilia Frankenthal, da Comissão de Direito Penal Econômico da OAB/SP. O denunciante e seus filhos por enquanto estão vencendo: entre outras coisas, a Justiça acatou que, em princípio, até agora suas alegações não foram rebatidas, e ordenou aos atuais controladores que arrolem todos os seus valores e propriedades, para proteger o patrimônio em disputa. Se não houver o arrolamento, nos termos exigidos, a multa é de R$ 1,4 milhão por dia. A próxima edição de IstoÉ Dinheiro sai amanhã.
Retrato do Brasil
O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, doou dois carros da frota do palácio ao Hospital Materno Infantil, em Goiânia. Os carros são Equus, os Hyundai construídos para concorrer com Mercedes, BMW, Lexus, Audi. Os dois, diz Caiado, serviam para transportar o governador Marconi Perillo e esposa. Espera-se obter, com o leilão dos dois carros, algo como R$ 650 mil. Não resolve o problema todo do Hospital Materno Infantil, mas ajuda.
BLOG ORLANDO TAMBOSI

Defender a própria vida é um direito irrevogável


Só cretinos fundamentais acham possível enfrentar animais selvagens e feras humanas com apelos e técnicas de persuasão, afirma Augusto Nunes (a propósito, recomendo, a quem no o fez, a leitura do artigo aqui publicado ontem: A arma de fogo é a civilização):

Aprendi a lidar com armas de fogo graças a Nossa Senhora Aparecida. Não, não estou brincando com coisa séria. Explico-me. Em Taquaritinga, onde nasci, o povo festeja o dia da padroeira do Brasil soltando rojões. Num certo 12 de outubro, meu pai resolveu trocar os fogos de artifício por um Taurus calibre 32. E, enquanto homenageava a santa com tiros de revólver, ensinou os filhos a manejarem sem perigo e com destreza objetos que tanto atormentam os pacifistas de botequim.

A partir daquele ano, as lições foram ministradas em todos os dias de foguetório. Mantenham o revólver apontado para o chão, alertava meu pai. Examinem o tambor e vejam se existe alguma bala no cano com os dedos longe do gatilho. Apoiem na outra mão a mão que empunha o cabo. E atirem sempre para o alto, em espaços abertos. Essas aulas práticas bastaram para que aprendêssemos que armas devem ser usadas com cuidado e em ocasiões especiais. Nenhum de nós virou pistoleiro, ninguém na família saiu pelas ruas da cidade querendo decidir pendências a bala.
Graças a métodos semelhantes, sucessivas gerações de taquaritinguenses aprenderam a manejar armas com a naturalidade de quem empina uma pipa. Existe ao menos uma em cada casa. Espingardas proliferam na zona rural, ao alcance dos braços de agricultores dispostos a usá-las contra onças ou feras humanas. Mas não passa de um dígito o número de mortes por armas de fogo contabilizadas a cada ano. Esse número é invariavelmente inferior ao de casos de tentativas de assalto ou ataques de bichos ferozes frustrados por um mero disparo de advertência.

No referendo de 2005, passou de 80%, em Taquaritinga, o contingente de eleitores que votaram a favor do direito de ter em casa uma arma. Repetiu-se por todas as regiões brasileiras a derrota dos que acham que devemos enfrentar desarmados bandidos tão ferozes quanto animais selvagens. O decreto assinado ontem pelo presidente da República, portanto, atendeu à vontade da grande maioria dos brasileiros.

Defender a própria vida é um direito que jamais será revogado. Pergunto: é possível exercê-lo recorrendo exclusivamente a apelos, técnicas de persuasão, ou mesmo a socos e pontapés? Só cretinos fundamentais acham que sim.
BLOG ORLANDO TAMBOSI

Homens não são mulheres com defeito


"Em vez de vilipendiar a masculinidade, é preciso reforçar o papel histórico dos homens na proteção das mulheres e do lar, na parceria na criação e cuidado com os filhos, e não o uso de espantalhos ideológicos preconceituosos para agradar a sanha de meia dúzia de ativistas enlouquecidas e mal resolvidas". Texto incisivo de Ana Paula do Vôlei em defesa dos homens, agora vilipendiados por sua masculinidade tóxica:
Como meus queridos leitores sabem, passei o último ano tentando trazer um pouco de racionalidade para o debate sobre transsexuais no esporte. A invasão de homens biológicos nos esportes femininos não é apenas errado, é um ataque frontal e um desrespeito inaceitável às mulheres, algo tão óbvio que a própria discussão é, em si, ultrajante. Agora é a vez de sair em defesa dos homens.
A polêmica da semana por aqui na América é o comercial de TV da Gillette, a famosa fabricante de lâminas e produtos de limpeza da gigante Procter & Gamble, que resolveu atacar o que, imagina, é a atitude padrão dos homens: estuprar, assediar e agredir, entre outros crimes indefensáveis. Entre outras narrativas absurdas apresentadas no comercial, a empresa propõe a todos os homens “barbear sua masculinidade tóxica”! A mudança estaria começando agora com os movimentos feministas radicais, como o “Me Too”, o mesmo que demorou vinte anos pra levantar dos sofás das produtoras de Hollywood, já que nunca teria ocorrido a ninguém na história que estuprar, assediar ou agredir era errado. Obrigada, feministas!

Tente por um minuto imaginar um estuprador vendo uma manifestação de moças de cabelo roxo, algumas usando fantasias de vagina, outras nuas, urinando e urrando nas ruas de uma metrópole ocidental. Alguém sinceramente acha que ele vai parar de estuprar por causa disso? Não custa lembrar que muitas destas manifestações, repletas de celebridades, foram financiadas e incentivadas por Harvey Weinstein, um dos maiores estupradores e assediadores de Hollywood, o mesmo que financiou durante décadas os filmes das moças do tal movimento “Me Too” mencionado acima. O assunto é sério, mas não deixa de ter sua ironia.
Meninos e meninas, evidentemente, possuem qualidades e defeitos e cabe a todos nós, como sempre coube, mostrar os melhores exemplos, educar, disciplinar, colocar limites e orientar. Quando uma corporação cria uma campanha bilionária focando num estereótipo extremo, evidentemente não representativo da grande maioria dos homens que usam seus produtos, ela está sendo, e não há outra palavra para usar, preconceituosa. Um comercial com a mesma ideia sobre mulheres ou qualquer minoria é possível? Você sabe a resposta.

Vou sempre sair em defesa de homens maravilhosos e honrados como meu pai, meu marido, meu filho e grandes amigos porque sei que são educados demais e ocupados o suficiente para não responderem a mais essa ofensa de certas elites completamente desconectadas da realidade, encapsuladas em seus mundinhos auto-referentes, que ao demonizar os homens acabam por facilitar a vida de estupradores, assediadores e agressores que podem assim alegar que são “homens como todos os outros” e desaparecer na multidão. Se o comportamento abusivo é padrão e natural, como condenar os criminosos por seus crimes? Eles estão apenas “sendo homens”, na lógica perversa e pervertida do extremo-feminismo.

Em vez de vilipendiar a masculinidade, é preciso reforçar o papel histórico dos homens na proteção das mulheres e do lar, na parceria na criação e cuidado com os filhos, e não o uso de espantalhos ideológicos preconceituosos para agradar a sanha de meia dúzia de ativistas enlouquecidas e mal resolvidas. Mesmo como estratégia de negócios, basta uma rápida olhada nas manifestações destas autoproclamadas feministas para ver que não são exatamente o público consumidor preferencial de lâminas para depilação.

Desde que o mundo é mundo, há estupradores, assediadores e agressores, e a maneira de combater estes crimes passa necessariamente pelo trabalho heroico de homens de bem. Um breve estudo comparado das diversas sociedades ao longo da história bastaria para qualquer um concluir que a América contemporânea é, sem qualquer dúvida, o melhor lugar para que mulheres possam viver, trabalhar, estudar, criar os filhos e se realizar plenamente em todos os papéis que sonharem.

Tenho vergonha, como mulher, por todas as ingratas que não reconhecem isso, as mesmas que costumam relativizar os mesmos crimes em outras culturas onde mulheres não têm nenhuma voz na sociedade. Fica cada dia mais óbvio que o atual feminismo, e os engajados pagadores de pedágio ideológico, tem muito mais raiva dos homens do que amor pelas mulheres.

Se os responsáveis pela campanha publicitária tiveram problemas com homens durante suas vidas, que tomem as devidas providências mas não usem seus recursos quase ilimitados para fazer terapia de grupo nas casas dos milhões de homens que amam, protegem, ajudam e convivem harmoniosamente com as mulheres e nunca fizeram nada por merecer tamanha ofensa.

O comercial, que não passa de uma forçada de barra cafona num impressionante contorcionismo ideológico para tentar emplacar a tese das feministas de Hollywood de que todos os homens são iguais, é apenas mais do mesmo da atual bolha progressista, mais um discurso vazio da geração mais afetada e autoindulgente da história e que só engana trouxas ou desavisados.

Como ouvi recentemente, é preciso parar com a ideia bizarra de que homens são “mulheres com defeito” e basta “castrá-los” para que sejam dóceis, obedientes e respeitadores. Aqui deixo meu beijo carinhoso a todos os homens que foram injustamente atacados por uma peça publicitária pobre e feita apenas para colocar mais verniz na narrativa idiota e inútil do “Mulheres X Homens”. Que nós mulheres sejamos sempre gratas aos bons homens que lutam há séculos por um mundo livre e seguro para todas nós. Foram bons homens que criaram as leis que proíbem os crimes que supostamente incomodam as feministas mais radicais. E eles são a regra, não a exceção.
BLOG ORLANDO TAMBOSI

Bahiagás reajusta GNV e preocupa usuários


Segundo a Companhia, o aumento foi autorizado pela Agerba e motivado pela variação do preço de aquisição do gás natural junto à Petrobras, ocorrida desde 1º de novembro do ano passado.

Tribuna da Bahia, Salvador
16/01/2019 14:30 | Atualizado há 3 horas e 41 minutos
   
Foto: Reginaldo Ipê / Tribuna da Bahia

Por: Yuri Abreu

Uma notícia que deixou preocupados os motoristas dos cerca de 55 mil veículos que utilizam GNV na Bahia – 34 mil deles aqui em Salvador (esses dados são do Denatran). Desde o último sábado, a Bahiagás reajustou a tarifa do gás natural no estado e, com ele, o valor do combustível em 8,51%. Segundo a Companhia, o aumento foi autorizado pela Agerba e motivado pela variação do preço de aquisição do gás natural junto à Petrobras, ocorrida desde 1º de novembro do ano passado.
A reportagem da Tribuna da Bahia percorreu alguns postos de Salvador e verificou que o preço mais barato encontrado foi de R$ 2,96 o metro cúbico, em um estabelecimento na Avenida Bonocô, próximo a uma estação do metrô. Por outro lado, o preço mais caro foi verificado em um posto pouco depois da Rótula do Abacaxi: R$ 3,19. Outros valores observados variam entre R$ 2,98 e R$ 3,09.
Assim, mesmo com o aumento dado pela Bahiagás, os preços continuam, em sua grande parte, ainda semelhantes ao que era praticado antes do início desse reajuste, conforme uma pesquisa realizada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), entre os últimos dias 6 e 12 de janeiro. Neste, o preço mais barato do GNV foi de R$ 2,94 em um posto no bairro de São Caetano. Já o mais caro foi visto no Vale do Bonocô: R$ 3,09.
Mesmo sem ainda perceber o aumento, alguns motoristas ouvidos pela equipe já manifestaram preocupação com mais um aumento que pode estar por vir. “Acho que só vai ser vantagem para quem já instalou o kit gás como eu. Do contrário, acho que não vai valer a pena, uma vez que o metro cúbico do GNV já está próximo do preço do litro do etanol”, afirmou André Luis Silva, motorista de aplicativo.
Quem também não gostou muito da notícia foi o também motorista de aplicativo Felipe Nery. “Eu ainda não percebi o aumento, mas isso vai pesar no bolso, com certeza. Acho que vai chegar um momento em que não vai mais compensar usar o gás, a não ser pelo consumo do veículo. Não vejo motivo para esse aumento, mas ainda assim é mais vantajoso rodar com GNV do que com gasolina”, afirmou.
TRANSPARÊNCIA
Em nota, o Sindicato do Comércio de Combustíveis, Energia Alternativa e Lojas de Conveniência do Estado da Bahia (Sindicombustíveis Bahia) salientou que as alterações no preço dos combustíveis são de responsabilidade de cada revendedor. O mercado é livre e competitivo, cabendo a cada empresário decidir o valor que irá cobrar.
O sindicato não interfere no mercado e respeita a livre concorrência. Para o presidente da entidade, Walter Tannus Freitas, é importante que os consumidores, principalmente os taxistas e motoristas de aplicativos, estejam informados da origem dos aumentos de forma transparente.
Por outro lado, a Bahiagás informou que, mesmo com o reajuste, o GNV mantém uma economia média de mais de 50% se comparado com os combustíveis líquidos concorrentes. Além disso, o rendimento é até 20% maior que o da gasolina e 50% em relação ao álcool.
“Sem contar outras vantagens, como a elevação da vida útil do motor e os baixos níveis de poluição. É um combustível ambientalmente mais correto. O gás natural é também um energético versátil, que pode ser usado para cocção, aquecimento de água e climatização, além de ser mais seguro e mais prático”, explicou a assessoria de comunicação do órgão.

Energia cara: tributos encarecem conta de luz


Reclamações de um consumidor nas redes sociais levantou alerta para os tributos, inseridos na tarifa de luz.

Tribuna da Bahia, Salvador
16/01/2019 14:42 | Atualizado há 3 horas e 24 minutos
   
Foto: Romildo de Jesus / Tribuna da Bahia

Por Lício Ferreira
Uma mensagem - de uma pessoa indignada com os tributos da conta de luz - está ‘viralizando’ nas redes sociais e deixando a todos que a recebem com igual sentimento. Observando a realidade dos fatos fomos checar junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) como ‘traduzir’ o intricado mecanismo de composição da conta, para mostrar, de forma simples e direta, como ela é composta. Para tanto abrimos a cartilha da Aneel, tentando decifrar a ‘anatomia’ da tarifa de energia elétrica que, apesar de possuir algumas especificidades, de acordo com o perfil da região e da concessionária, apresenta, no seu cálculo, a mesma metodologia, em todo o país.
A mensagem (sintetizada), que está circulando é esta: “A conta de luz chegou e veja os absurdos. Valor R$ 203,57. Vamos discriminar: Energia comprada: R$49,47. Serviço de distribuição e mais transmissão: R$ 8,53. Encargos setoriais: R$ 8,88. Impostos diretos e encargos (ICMS e mais o quê):R$60,54. Só este imposto é maior e mais caro! As perdas de energia, eu pago R$11,56... Somando tudo, pagamos muito mais de taxas e impostos (absurdos!!!), do que a luz que consumimos. Vou pagar, ainda, R$2,45 de bandeira amarela, mais R$6,03 da bandeira vermelha e mais R$15,89 de iluminação pública. Que é isso gente?”
COMO REDUZIR
Mensalmente, a conta de energia é emitida pelas concessionárias de todo o país e entregue ao consumidor, cinco dias úteis antes da data de vencimento. Nela, estão informações importantes sobre os serviços prestados e os valores cobrados, além de uma série de informações dispostas em vários pontos da fatura.
Para reduzir o seu valor final, algumas posições deverão ser adotadas pelo consumidor. Ele terá que primeiro pressionar o Congresso Nacional (que começa a funcionar em fevereiro) a reduzir o número e o valor dos encargos setoriais e dos tributos federais que incidem sobre a tarifa de energia elétrica. Pressionar, ainda, a Aneel para avaliar a possibilidade de reduzir o nível de qualidade exigido da concessionária (Coelba), já que o grau de qualidade é proporcional ao montante de investimentos requeridos. Mas vale ressaltar que os investimentos já realizados deverão ser admitidos e os novos poderão ser planejados e implementados sob a nova orientação. 
A nível estadual, o consumidor também deve pressionar os deputados locais para que eles diminuam a alíquota do ICMS incidente sobre o serviço de energia elétrica, obrigando o governo do Estado a cumprir com uma nova legislação; assim como a Câmara de Vereadores  para abaixar o valor da Contribuição para custeio da Iluminação Pública (CIP). Outros pontos considerados fundamentais de como fazer para reduzir a conta de luz passa, obviamente, pela própria concessionária (Coelba) e pelo consumidor.
Junto à concessionária (Coelba), a orientação é que pressione a empresa para que ela reduza as perdas comerciais; aumente a fiscalização para coibir adulteração de medidores; e use de novas tecnologias para evitar furto de energia e fraudes. A própria Aneel, na sua cartilha publicada, reconhece que a perda elétrica, o furto, a fraude e a inadimplência impactam a tarifa de energia. O consumidor, por sua vez, tem parte de responsabilidade na questão e pode contribuir à sua maneira. Primeiro, adotando atitudes para redução do consumo interno; depois, denunciando á empresa, quando houver suspeita de furto e fraude, pois é o mais penalizado, sentindo a dor no próprio bolso. 
TARIFA POR ÁREA
Tudo começou em 1995, quando o governo federal aprovou a Lei nº 8.987 que garantiu o equilíbrio econômico-financeiro das concessionárias de distribuição de energia elétrica. Desde, então, estabeleceu-se uma tarifa por área de concessão. No custo da energia que chega aos consumidores está embutido três custos distintos: geração de energia; transporte de energia até as casas (fio) que corresponde a transmissão + distribuição: encargos e tributos.
Os tributos são pagamentos compulsórios devidos ao poder público, a partir de determinação legal, e eles estão embutidos nos preços dos bens e serviços. Isto significa que aparecem, normalmente, nas contas de água, luz e telefone. Na conta de luz estão presentes três tipos de tributos: federais, estaduais e municipais. As distribuidoras (Coelba) apenas recebem e repassam os valores às autoridades competentes pela sua cobrança. Os tributos são: PIS (Programa de Integração Social) e Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) federal; ICMS (Imposto sobre a circulação de Mercadorias e Serviços) estadual; e CIP (Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública) municipal. Como todos eles são definidos por lei, o consumidor legalmente tem que pagar ou, então, seguir a orientação acima e buscar apoio que venha em seu beneficio.

Talvez


postado em Artigos



Por Ricardo Amorim


Imagine um país em que não haja limitações à terceirização do trabalho nem de atividades meio, nem de atividades fim.

Imagine que, nele, homens e mulheres só possam se aposentar após os 67 anos de idade e que, depois de aposentados, recebam em média menos da metade do que ganhavam enquanto trabalhavam. Meia entrada para idosos não existe lá.

Imagine que neste país não existam 30 dias de férias remuneradas. Imagine que os empregados têm de negociar com os patrões quanto tempo terão de férias e se elas são remuneradas ou não. Adicional de férias não existe por lá.

Imagine que 13º salário também não existe.

Imagine que mulheres grávidas só tenham direito a 12 semanas de licença maternidade e que durante o período de ausência elas não são remuneradas.

Imagine que os patrões possam negociar com os empregados se eles vão trabalhar em finais de semanas ou feriados nacionais. Adicional noturno, por horas extras, trabalho em finais de semana ou feriados não existem.

Imagine que não existem faculdades gratuitas, nem meia entrada para estudantes em cinemas, shows, teatro ou outros espetáculos.

Imagine um país onde ninguém tem estabilidade no emprego, nem os funcionários públicos.

Imagine um país onde não existe FGTS, muito menos adicional de 40% em caso de demissão sem justa causa.

Imagine que nele os trabalhadores não tenham um limite no número de horas que podem trabalhar. Seus patrões e eles podem combinar o que quiserem.

Imagine que o salario mínimo por lá fique 11 anos sem nenhum reajuste.

Imagine que não exista carteira de trabalho, nem Justiça Trabalhista.

Quem iria querer trabalhar e morar em um país assim? Quase todo o mundo. Este país existe. Ele se chama Estados Unidos e seu presidente está se esforçando para impedir a entrada de milhões e milhões de trabalhadores de outros países que a cada ano querem ir trabalhar lá.

Com regras assim, como tanta gente arrisca a vida e tantos outros se mudariam para lá neste exato segundo se pudessem? Talvez, porque por estas e outras razões, os preços e a inflação são muito menores do que aqui, a taxa de desemprego é um terço da nossa e as pessoas ganham, em média 7 vezes mais do que aqui? Talvez…

Ricardo Amorimautor do bestseller Depois da Tempestade, apresentador do Manhattan Connection da Globonews, o economista mais influente do Brasil segundo a revista Forbes, o brasileiro mais influente no LinkedIn, único brasileiro entre os melhores palestrantes mundiais do Speakers Corner e ganhador do prêmio Os + Admirados da Imprensa de Economia, Negócios e Finanças de 2016.

Bolsonaro: visita de Macri serve para reforçar laços

POLITICA LIVRE

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (16) no Twitter que a reunião com o presidente argentino, Mauricio Macri, é uma “grande oportunidade” de estreitar as relações com o país vizinho. Macri está no Brasil com uma comitiva de seis ministros e será recebido por Bolsonaro no Palácio do Planalto. Em seguida, os presidentes seguem para o Palácio Itamaraty onde será oferecido um almoço ao líder argentino. “Hoje, às 10h30, receberei o presidente da Argentina, Mauricio Macri. É a primeira visita oficial de um chefe de Estado ao Brasil desde a minha posse. Uma grande oportunidade de reforçar os laços de amizade com essa nação-irmã”, disse Bolsonaro na rede social. As negociações para acordos bilaterais, além de medidas de flexibilização do Mercosul (bloco que reúne Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, uma vez que a Venezuela está suspensa momentaneamente) e a crise na Venezuela estarão na pauta da conversa entre os presidentes. Acordos deverão ser negociados nas áreas de comércio, combate ao crime organizado e corrupção, indústria de defesa, desenvolvimento espacial, energia nuclear e dinamização do comércio bilateral. A delegação oficial da Argentina é formada pelos ministros das Relações Exteriores, da Produção, da Defesa, da Fazenda, de Segurança Pública, além do de Justiça e Direitos Humanos.
Agência Brasil

Governo prevê investimentos de R$ 25 bilhões em segurança hídrica

POLITICA LIVRE

O Ministério do Desenvolvimento Regional prevê investimentos de R$ 25 bilhões em 114 obras para ampliar o abastecimento de água no país. Do total de projetos, 66 são no Nordeste. As iniciativas fazem parte do Plano Nacional de Segurança Hídrica, em elaboração pela Agência Nacional de Águas (ANA) e que deve ser lançado em abril deste ano. De acordo com a pasta, o plano vai priorizar intervenções estruturantes e estratégicas, contemplando obras dos estados e da União. Estão sendo mapeadas infraestruturas como barragens, sistemas adutores, canais e eixos de integração, consideradas necessárias à oferta de água para abastecimento humano e o uso em atividades produtivas. O governo vai priorizar a conclusão dos empreendimentos já em andamento. O ministério uniu os antigos Integração Nacional e das Cidades e passou a agrupar órgãos com atuação no setor hídrico, como a própria ANA e o Conselho Nacional de Recursos Hídricos. Para o ministro Gustavo Canuto, a reestruturação permite centralizar e unificar o gerenciamento numa única instituição, fortalecendo o Sistema Nacional de Gerenciamento dos Recursos Hídricos. “O principal desafio será encontrar novas alternativas para garantir a segurança hídrica, tanto em quantidade e qualidade de água ofertada”, destacou a pasta, por meio de comunicado.
Agência Brasil

Bolsonaro defende Mercosul enxuto e com relevância

POLITICA LIVRE
Foto: Agência Brasil
Jair Bolsonaro se reuniu em Brasília com o presidente argentino, Mauricio Macri
O presidente Jair Bolsonaro defendeu que o Mercosul, bloco que reúne países sul-americanos, seja mais enxuto para ganhar relevância na região. Bolsonaro e o presidente da Argentina, Mauricio Macri, reuniram-se hoje (16) pela manhã, no Palácio do Planalto, e conversaram sobre o aperfeiçoamento do Mercosul. Macri é o atual presidente do bloco. “Concordamos com a importância de, com os demais parceiros, Paraguai e Uruguai, aperfeiçoar o bloco e propor nova agenda de trabalho, sempre com sentido de urgência”, disse Bolsonaro em declaração após a reunião ampliada entre os dois líderes e seus ministros de Estado, no Palácio do Planalto. Para Bolsonaro, no plano interno, o Mercosul precisa valorizar a sua tradição original, de abertura comercial, redução de barreiras e eliminação de burocracias. “O propósito é construir um Mercosul enxuto que continue a fazer sentido e ter relevância”, disse. Na frente externa, os dois líderes concordaram que é preciso “concluir rapidamente as negociações mais promissoras” que estão em andamento e iniciar novas negociações “com criatividade e flexibilidade para recuperar o tempo perdido”. “Temos que criar novas oportunidades comerciais e de investimentos, a fim de gerar prosperidade e bem-estar em nossos países”, disse o presidente brasileiro. Entre as parcerias em negociação está o acordo do Mercosul com a União Europeia. Para o presidente Macri, é preciso avançar em um espaço de integração que se “adapte aos desafios do século 21 e aproveite as oportunidades que o mundo oferece”. Nesse sentido, o comércio é um instrumento que impulsiona esse desenvolvimento. “Por isso, é chave agilizar e terminar as negociações em curso. A negociação com a União Europeia requereu muito esforço e avançou como nunca antes. Com sua chegada, temos a oportunidade de renovar o compromisso político do Mercosul”, disse o argentino.
Agência Brasil

Defesa no Detran para motoristas que podem ter CNH suspensa vale até o dia 31

POLITICA LIVRE

Os mais de 40 mil condutores baianos que respondem ao processo de suspensão do direito de dirigir podem apresentar a defesa prévia, no Departamento Estadual de Trânsito (Detran), até o próximo dia 31. Em Salvador, os interessados devem se dirigir ao protocolo do órgão, na Central de Atendimento, no Shopping da Bahia, à Coordenação de Acompanhamento dos Processos de Habilitação (CAPH), na sede do Detran, na Avenida ACM, ou às unidades do departamento que funcionam nos SACs. No interior do estado, o cidadão deve procurar as Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans) ou postos avançados da autarquia. A defesa precisa estar escrita, datada, assinada e acompanhada de cópia de identificação civil. O documento também pode ser enviado pelos Correios para o endereço da sede do Detran (Avenida ACM, 7744, Pernambués, Salvador-BA/ CEP 41.100-140). O motorista que não apresentar o recurso responderá ao processo com os efeitos da revelia. A relação dos condutores notificados está disponível no site www.detran.ba.gov.br.

Kim Kataguiri recorre ao Supremo para poder concorrer à presidência da Câmara

POLITICA LIVRE
O líder do Movimento Brasil Livre, Kim Kataguiri; deputado federal eleito completa 23 anos neste mês
O deputado federal eleito Kim Kataguiri (DEM-SP) apresentou nesta quarta-feira, 16, ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido para que a Corte assegure a ele o direito de concorrer ao cargo de presidente da Câmara dos Deputados mesmo não tendo 35 anos. O futuro parlamentar completará 23 anos no final do mês. A defesa argumenta que o deputado federal eleito atende à única condição regimental imposta para sua candidatura ao cargo de presidente da Câmara, que é ser brasileiro nato. Segundo os advogados, parlamentares e especialistas sugerem que para se candidatar à presidência da Casa, Kim Kataguiri deveria preencher as condições de elegibilidade previstas para o cargo de presidente da República, entre elas a idade mínima de 35 anos. “A Constituição Federal, a legislação infraconstitucional e, sobretudo, o Regimento Interno da Câmara dos Deputados não preveem idade mínima para a assunção do cargo de presidente da Casa Legislativa Federal, motivo pelo qual é incabível qualquer interpretação restritiva do direito do autor”, alegam os advogados de Kim Kataguiri. Segundo eles, como a intenção de Kim é lançar-se candidato à presidência da Câmara – e, não, à presidência da República – a única condição de elegibilidade a ser atendida por ele deveria ser a de ser brasileiro nato. A defesa lembra ainda que a Constituição Federal estipula a idade mínima de 21 anos para a elegibilidade dos candidatos ao cargo de deputado federal. Ao citarem uma situação hipotética em que a Câmara seja composta apenas por parlamentares menores de 35 anos, os advogados afirmam que “seria risível dizer que a Câmara Federal ficaria sem presidente pelo fato de nenhum deputado ter a idade mínima prevista para concorrer ao cargo de Presidente da República”.
Agência Brasil

Inep vai eliminar mais de 42 mil caixas de avaliações do Saeb e Enem

POLITICA LIVRE
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) vai eliminar 42.429 caixas de documentos relativos ao Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2012 a 2015. A autorização foi dada pelo Arquivo Nacional e publicada hoje (16) no Diário Oficial da União. Os documentos incluem folhas de respostas, controle de frequência, questionários socioeconômicos, cadernos de provas e formulários de controle de aplicação, que reúnem fichas de ocorrências e atas de sala, entre outras informações. Segundo o Inep, os arquivos foram considerados sem valor para a guarda permanente pelo Arquivo Nacional. Quem quiser ter acesso aos documentos e solicitar cópias pode fazê-lo no período de 30 dias. A relação dos arquivos que serão eliminados está disponível no portal do Inep. De acordo com a autarquia, o objetivo da eliminação é otimizar o uso do espaço físico e promover economia com a diminuição de custos operacionais. “A medida também assegura a manutenção e a preservação de conjuntos documentais relevantes”, diz em nota. Faziam parte do Saeb nos anos considerados, a Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA), Avaliação Nacional da Educação Básica (Aneb) e a Avaliação Nacional do Rendimento Escolar (Anresc), conhecida como Prova Brasil. Em 2019, as siglas ANA, Aneb e Anresc deixarão de existir e todas as avaliações passarão a ser identificadas pelo nome Saeb. A educação infantil passará a ser também avaliada. O Saeb é aplicado em todo o território nacional com o objetivo de medir a qualidade do ensino nas escolas brasileiras. Já o Enem é usado para o ingresso no ensino superior e é preciso inscrever-se para participar do exame.
Agência Brasil

Procuradoria acusa ex-ministro da Saúde e mais 5 por improbidade na compra de medicamentos e 14 mortes

POLITICA LIVRE
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
O ex-ministro da Saúde Ricardo Barros
A Procuradoria da República no Distrito Federal ofereceu, nesta quarta-feira, 16, ação civil pública de improbidade administrativa contra o ex-ministro da Saúde Ricardo Barros. Segundo o Ministério Público Federal, o processo cita suposto ‘favorecimento de empresas, inobservância da legislação administrativa, de licitações e sanitária, prejuízo ao patrimônio público, descumprimento de centenas de decisões judiciais, além de, pelo menos, 14 pacientes mortos’. A reportagem está tentando contato com o ex-ministro. O espaço está aberto para manifestação. Segundo a Procuradoria, em 2018, foram instauradas investigações ‘com a finalidade de apurar o desabastecimento de medicamentos destinados ao tratamento de doenças raras, em razão de irregularidades praticadas no bojo dos processos de compra do Ministério da Saúde’. “Em todos os procedimentos de compras do Ministério da Saúde supramencionados, houve atrasos injustificados na entrega dos fármacos, com o consequente descumprimento de centenas de decisões judiciais e um grave desabastecimento, o que culminou na morte de pelo menos 14 pacientes e na piora do quadro de saúde de centenas de outros”, sustenta a Procuradoria. O Ministério Público Federal ainda diz que as ‘razões da demora na finalização dos processos administrativos de compra dos referidos fármacos – e na entrega dos medicamentos -, como se verá, não decorreram de circunstâncias alheias à vontade dos agentes públicos envolvidos, tampouco de caso fortuito ou força maior, mas, sim – e infelizmente – de motivos não republicanos até então inconfessáveis, que perpassam a imoralidade e o descumprimento de normas da administração pública e que constituem atos de improbidade administrativa’.
Estadão

A Tarifas de embarque em aeroportos terão aumento de 5,39%

POLITICA LIVRE

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou hoje (16) reajuste de 5,39% para o teto das tarifas de embarque, conexão, pouso e permanência nos aeroportos administrados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Os novos valores poderão ser aplicados depois de 30 dias que a Infraero fizer a divulgação oficial do reajuste. As tarifas aeroportuárias são valores pagos aos operadores do setor pelas companhias aéreas, pelo operador da aeronave ou pelo passageiro. Segundo a Anac, a tarifa de embarque é a única paga pelo passageiro e tem a finalidade de remunerar a prestação dos serviços, instalações e facilidades disponibilizadas aos passageiros. Com o reajuste, a tarifa máxima dos passageiros em embarques domésticos passará de R$ 31,27 para R$ 32,95. Nas viagens internacionais, a tarifa máxima de embarque aumentará de R$ 112,83 para R$ 115,82. Os valores valores já incluem o adicional do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC) de US$ 18, o correspondente a R$ 57,47. De acordo com a Anac, o reajuste foi aplicado considerando a inflação acumulada entre dezembro de 2017 e dezembro de 2018, medida pela variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE). Responsável por cerca de 60% do movimento aéreo no país, a Infraero administra mais de 50 terminais que operam voos regulares e não regulares, voos domésticos regionais e nacionais e também internacionais. Entre eles, destacam-se aeroportos de grande movimentação como Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e do Recife, além de terminais regionais como Campina Grande, na Paraíba, Juazeiro do Norte, no Ceará, e Montes Claros, em Minas Gerais.
Agência Brasil

Pressão avassaladora: General também clama por #Renan-Não

 
Uma "Ilusão Libertária", em relação incestuosa com o movimento das "Diretas Já", gerou uma "Constituição Cidadã", cujo parto, longo e complicado, teve como parteira uma Câmara de Deputados auto proclamada de "constituinte"!
Os parteiros e a descendência degenerada dessa relação espúria quase transformaram o Brasil em uma aberração circense.
Renan Calheiros foi um dos parteiros da "Cidadã" e tem estado, desde então, entre os principais protagonistas da confusão jurídica, da hipocrisia e da roubalheira que tomaram conta do País.
Renan é acusado de corrupção em 12 inquéritos, sendo 9 na Lava Jato. Sua atuação parlamentar é um libelo ao anacronismo e às maquinações demagógicas de quem só pensa em si mesmo, acobertado pela aposta na ignorância e na tolerância do sofrido e iludido povo alagoano.
Para eleger-se Presidente do Senado, Renan confia nas migalhas esquerdistas e corruptas que ainda restam no Congresso e quer "Lula livre" como argumento para não ser preso.
Com o Senado sob seu controle, ele poderá manter seguros e tranquilos os ministros do STF e, consequentemente, os processos em que é réu em banho maria.
Renan Calheiros é algo que rima com "basta", o grito de revolta do povo brasileiro, acuado e indignado com tudo que ele e sua geração representam.
#RENAN-NÃO (na Presidência do Senado), apenas para começar, já que a lata de lixo ainda não foi o seu destino na história política do Brasil!
(Texto do General Paulo Chagas, cidadão brasileiro)

Renan Calheiros "rides again", o cangaceiro alagoano...

 
Renan Calheiros é e sempre foi um fora da lei. Houvesse Justiça justa e célere neste país, sem Foro Privilegiado - este biombo protetor de criminosos de colarinho branco - e fosse o STF uma corte de justiça respeitável, eficiente e eficaz no combate à corrupção - está a anos-luz disso – e Renan já estaria, há muito tempo, na cadeia.
Eis um relato muito breve sobre este indivíduo farsante e inescrupuloso que, segundo a expressão de Augusto Nunes, não possui currículo, possui prontuário.
É alvo de nove inquéritos na Operação Lava-Jato. Ao todo são 14 procedimentos criminais por atos de corrupção e lavagem de dinheiro. Em dezembro de 2007, renunciou à presidência do Senado para fugir da cassação certa. Ele havia sido acusado de receber dinheiro do lobista Cláudio Gontijo, seu amigo íntimo e ligado à construtora Mendes Júnior, para pagar o aluguel de um apartamento para sua ex-amante Mônica Veloso e a pensão alimentícia de sua filha de três anos, fruto do seu relacionamento com aquela mulher. Mas não foi apenas este fato que o levou à sua renúncia. Ele fora também acusado de comprar um grupo de comunicação através de laranjas.
Mais três denúncias pesavam sobre o cangaceiro alagoano:
1. Ter recebido verbas desviadas de ministérios aparelhados por seu partido, o PMDB;
2. Espionagem sobre a vida de senadores, obviamente para compor dossiês e melhor chantageá-los;
3. Usar o cargo de presidente do Senado para praticar crimes como tráfico de influência, intermediação de interesses privados, corrupção ativa e passiva e formação de quadrilha ao ter repassado R$ 280.000, 00 a uma empresa fantasma.
Foi sob o peso de tais acusações que Renan renunciou à presidência do Senado, para evitar ser cassado. Mas, em estando no Brasil e, principalmente, no Senado, nada impediu que Renan reassumisse a presidência daquela casa de tolerância, seis anos após a renúncia! A bancada nordestina, enorme para a pouca relevância econômica daquela parte do país, garantiu seu retorno à presidência.
Em 2018, Renan, do MDB, foi reeleito senador pelo notório estado de Alagoas - o estado que já ‘deu’ ao Brasil ‘presentes’ como Deodoro da Fonseca, Floriano Peixoto, Fernando Collor de Mello e ‘last but not least’, ele próprio: Renan Calheiros - do notório reduto do atraso petista do Brasil: o Nordeste.
Esperto e sem escrúpulos, desta vez buscou e conseguiu o apoio, para sua campanha, do Presidiário de Curitiba, Lula, e manteve-se colado ao poste, Fernando Haddad. Até uma carta de apoio à sua campanha para o Senado conseguiu do ‘Princeps Corruptorum’. Portanto, quando se pensa em Renan Calheiros na legislatura que se inicia em primeiro de fevereiro, pense-se – até por uma questão de justiça – em Lula, o seu patrono eleitoral.
Na campanha, Renan jurou por todos os juros que não voltaria, se reeleito, a ser presidente do Senado. Uma mentira, mais uma mentira deste velho cangaceiro político. Uma vez eleito, começou a movimentar-se para voltar a ocupar a presidência do Senado.
Renan é um dos adversários mais sorrateiros e perigosos da Lava-Jato. Sua luta contra a Operação Lava-Jato virou caso de autopreservação, de auto sobrevivência, dado as inúmeras acusações que carrega e das quais procura livrar-se. Tudo fez, enquanto esteve na presidência do Senado, para minar a ação saneadora daquela Operação. E tudo fará para minar o ímpeto reformista de Moro para fortalecer a Lava-Jato e o combate à corrupção.
Combater a corrupção significa, neste momento, combater Renan Calheiros e associados. Votar em Calheiros para a presidência do Senado é votar em seu padrinho político Lula, é votar na bancada do atraso, é colocar uma pedra no caminho de Moro e da higienização moral do Brasil.
É claro que a bancada nordestina do Senado é enorme, como já se falou aqui, mas uma mãozinha de Toffoli pode dar - como já deu - à eleição de Renan à presidência do Senado um impulso e uma possibilidade mais real. Basta introduzir no processo mais um ingrediente imoral: a eleição secreta para a presidência do Senado.
Como o nome Renan Calheiros é muito associado a corrupção, pronunciá-lo em votação aberta é bastante constrangedor, mesmo para senador encrencado na Lava-Jato. E aí vem a mãozinha safada de Toffoli a caçar a liminar de Marco Aurélio que impunha voto aberto.
É a gloria inicial da campanha de Renan. Em votação secreta a eleição de Renan cresce muito em possibilidade. Toffoli, feito ‘juiz’ no gabinete de Lula e Renan eleito nas costas de Lula, fazem a dobradinha preferencial da malandragem contra a Lava-Jato no Brasil.
O próprio coordenador da Força Tarefa da Operação Lava-Jato de Curitiba, Deltan Dallagnol já se manifestou pelas redes sociais:
“Decisão de Toffoli favorece Renan, o que dificulta a aprovação de leis contra a corrupção, pois a presidência do Senado decide pauta (o que e quando será votado). Diferentemente de juízes em tribunais, senadores são eleitos e têm dever de prestar contas. Sociedade tem direito de saber”.
Verdade. A sociedade tem o direito de saber como votam os senadores que ela elegeu. A decisão de Toffoli, centrada na forma (assunto interno do Senado) é escapista e fere um direito básico do cidadão, que é o de saber como votam os seus eleitos. O formalismo jurídico é, não raro, uma forma elegante, mas safada, de fugir às responsabilidades e encarar a questão de frente. Toffoli é useiro e vezeiro desta forma escapista.
Barrar a pretensão de Renan Calheiros é uma questão de honra da cidadania esclarecida. É barrar a ação pró-corrupção da dobradinha Toffoli-Calheiros. Por isso encareço a todos os cidadãos responsáveis a que assinem uma petição, que circula na internet, contra o voto secreto para a eleição do presidente do Senado.
Renan Calheiros é como um vampiro: só sobrevive politicamente nas trevas. À luz do sol, isto é, em eleição aberta, a candidatura ao Senado do Drácula de Alagoas vira pó, como aconteceu com o Drácula de Bram Stoker.
Eis um link para assinar à petição por voto aberto no Senado, à luz do sol, à prova de vampiros políticos, como Renan Calheiros:
https://publicabrasil.com/movimento-cria-abaixo-assinado-contra-a-candidatura-de-renan-calheiros-a-p...

José J. de Espíndola

Engenheiro Mecânico pela UFRGS. Mestre em Ciências em Engenharia pela PUC-Rio. Doutor (Ph.D.) pelo Institute of Sound and Vibration Research (ISVR) da Universidade de Southampton, Inglaterra. Doutor Honoris Causa da UFPR. Membro Emérito do Comitê de Dinâmica da ABCM. Detentor do Prêmio Engenharia Mecânica Brasileira da ABCM. Detentor da Medalha de Reconhecimento da UFSC por Ação Pioneira na Construção da Pós-graduação. Detentor da Medalha João David Ferreira Lima, concedida pela Câmara Municipal de Florianópolis. Criador da área de Vibrações e Acústica do Programa de Pós-Graduação em engenharia Mecânica. Idealizador e criador do LVA, Laboratório de Vibrações e Acústica da UFSC. Professor Titular da UFSC, Departamento de Engenharia Mecânica, aposentado.

A estupenda inteligência dos especialistas da Globo


 
A Globo está cada vez mais desonesta. Numa matéria da revista Época, afirmam que "especialistas temem que a liberação das armas aumente os casos de suicídio".
É CLARO! Eles têm razão! Eu já estou até imaginando as várias possibilidades de alguém se matar com uma arma!
O cara vai numa loja de armas, compra um 38, depois se joga da ponte e morre. A culpa é da arma.
O cara resolve se matar, pula nos trilhos do metrô ou na frente de um ônibus, morre e a culpa é da arma.
Ou talvez, quem sabe, coloca a arma na cintura, tome arsênico, e se morrer a culpa é da arma.
Pode ser também que ele compre a arma, faça uma forca, se pendure nela, se enforque e a culpa será da arma.
Mas eu prefiro considerar que ele vá pendurar uma pedra no pescoço, se jogar de um penhasco no mar e a culpa vai ser da arma.
Sabe por quê? Porque se ele comprar a arma ele vai fazer tudo isso. Só existe um jeito de uma pessoa disposta a se matar consumar o ato: comprando uma arma.
Em qualquer desses casos os nossos "doutos" especialistas irão dizer: "Morreu porque estava armado".
Obrigado, especialistas, por vocês serem tão inteligentes!
Obrigado Globo/Época, por refletirem essa inteligência!

Miriam Leitão, em qual planeta a senhora esteve nas últimas três décadas?

 
Na manhã desta terça-feira (15), a colunista Míriam Leitão publicou em O Globo uma reprodução de seu comentário realizado no telejornal Bom Dia Brasil, da Rede Globo, cujo único objetivo é, levianamente, acusar o Presidente Jair Messias Bolsonaro de "enfraquecer a Funai-Fundação Nacional do Índio" e "incentivar grileiros a invadir terras indígenas".
Eu gostaria de saber onde estava dona Miriam Leitão em todos esses anos de administração do PT, PSDB e MDB, quando a Funai tornou-se palco de sucessivos escândalos e seu desmantelamento foi esfarelando paulatinamente todas as políticas públicas voltadas para as populações indígenas deste país. Onde estavas, Miriam?
Lembrá-la-ei de alguns desses casos, ok?!
✔️ 20 MAI 1980
Começo com a imagem acima e pertence ao precioso acervo do Instituto Socioambiental - ISA. Trata-se do clipping de um furo de reportagem do jornalista Avelino do Vale, publicado em 1980 no Correio Braziliense, com uma série de denúncias de corrupção contra a Funai realizadas pelos índios Terena. Recomendo a leitura da integra da matéria, disponível no portal do ISA - https://bit.ly/2FBRO5C
✔️ 18 MAR 2003
Índios denunciam corrupção de funcionários da Funai e assassinatos de líderes indígenas. Foi enviada ao então ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos e ao então presidente Nacional do PT, José Genoíno, uma carta com todas as reivindicações em favor dos direitos indígenas e as denúncias de violência contra os índios, desrespeito à demarcação de terras, corrupção e abuso de poder por parte de funcionários da Funai e policiais militares e federais. [Fonte: Agência Brasil - https://bit.ly/2AMnl1A]
✔️ 26 FEV 2014
Centenas de moradores são coagidos a fazer cadastro na Funai como se fossem índios para engrossar invasões de terras produtivas no sul da Bahia. A região vive um conflito permanente por causa da expulsão de agricultores dessas propriedades. O Jornal da Band revelou, com exclusividade, como funcionava a fraude que criou uma tribo de falsos indígenas. [Fonte: Band - https://bit.ly/2QTgVmm]
✔️ 23 MAI 2016
Trecho de uma reportagem do jornal Estado de Minas tratou da passagem do ex-senador Romero Jucá pela fundação: "Em dezembro de 1989, pouco depois de deixar a presidência da Funai, ele [Jucá] manifestou-se contra o plano de retirada de cerca de 40 mil garimpeiros que tinham invadido terras indígenas ianomâmis. Meses antes da eleição para governador de Roraima, em que o peemedebista tentava permanecer na cadeira, a Procuradoria-Geral da República denunciou Jucá sob acusação de que, quando era presidente da Funai, ele realizou venda ilegal, mediante suborno, de madeiras de lei da reserva indígena Uru-eu-au-wau." [Fonte: EM - https://bit.ly/2Hfndgr]
✔️ 19 ABR 2017
A demarcação de terras indígenas no Brasil está praticamente parada e, segundo movimentos sociais e pesquisadores, enfrenta um momento de grande dificuldade e instabilidade. A Funai teve corte de cargos e fechamento de unidades. Além disso, desde 29 de abril de 2016, nenhum decreto homologando demarcação de terras foi assinado pelo presidente Michel Temer. [Fonte: UOL Notícias - https://bit.ly/2DcWjC0]
✔️ 07 MAR 2017
A Justiça Federal de 1º Grau do Estado do Mato Grosso condenou a Funai a pagar indenização de R$ 10 milhões aos índios da etnia Terena por danos morais. Para o juiz Cesar Augusto Bearsi, a Funai falhou ao não garantir a posse exclusiva desses indígenas. [Fonte: G1 - O Portal de Notícias da Globo - https://glo.bo/2lXYaPY]
✔️ 05 DEZ 2017
Encerro com uma matéria emblemática do jornal alemão DW Deutsch cujo título e subtítulo não deixam dúvidas e dispensam quaisquer comentários, ipsis litteris: "Cinco décadas de manchetes sobre conflitos e mortes de indígenas. Criada em resposta a genocídios de indígenas e denúncias de corrupção, Funai completa 50 anos em estado de 'crise permanente'. Indígenas enfrentam aumento da violência e resistência organizada no centro do poder." [Fonte: DW - https://bit.ly/2QNVpiU]
E a dona Miriam Leitão vem dizer na TV e escrever no jornal que é o Governo Bolsonaro quem está enfraquecendo a Funai?! Em qual planeta estiveste nas últimas três décadas, minha senhora?
Deveriam transferir a Miriam para aquele programa noturno do sábado. Se não me engano, chama-se "Zorra Total". Seria mais justo e adequado com o trabalho desenvolvido atualmente.
#ÉaLama

Helder Caldeira

Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista
*Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.

Na mais sórdida inversão de valores, Renan ameaça Deltan

 
 
Um sujeito envolvido em inúmeras práticas criminosas, impune graças ao nefasto foro privilegiado, inimigo intransigente da Operação Lava Jato e que representa a pior escória da politicagem nacional, se arvora a atacar e ameaçar um notável Procurador da República, respeitável patriota e figura fundamental na luta contra a corrupção.
Um absurdo!
O país ainda tem muito o que avançar.
É inconcebível que um homem como Renan Calheiros, que na expressão do inigualável jornalista Augusto Nunes “não possui currículo, possui prontuário”, prossiga na sua caminhada tortuosa, inescrupulosa e com chances reais de chegar ao poder.
A força da sociedade é fundamental neste momento.
Precisamos evitar que Renan seja conduzido à presidência do Senado Federal e exigir que responda efetivamente por todos os crimes que cometeu.
A ameaça que ele acaba de fazer ao procurador Deltan Dallagnol é inconcebível.

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Na mais sórdida inversão de valores, Renan ameaça Deltan

 
Um sujeito envolvido em inúmeras práticas criminosas, impune graças ao nefasto foro privilegiado, inimigo intransigente da Operação Lava Jato e que representa a pior escória da politicagem nacional, se arvora a atacar e ameaçar um notável Procurador da República, respeitável patriota e figura fundamental na luta contra a corrupção.
Um absurdo!
O país ainda tem muito o que avançar.
É inconcebível que um homem como Renan Calheiros, que na expressão do inigualável jornalista Augusto Nunes “não possui currículo, possui prontuário”, prossiga na sua caminhada tortuosa, inescrupulosa e com chances reais de chegar ao poder.
A força da sociedade é fundamental neste momento.
Precisamos evitar que Renan seja conduzido à presidência do Senado Federal e exigir que responda efetivamente por todos os crimes que cometeu.
A ameaça que ele acaba de fazer ao procurador Deltan Dallagnol é inconcebível.

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br
Um sujeito envolvido em inúmeras práticas criminosas, impune graças ao nefasto foro privilegiado, inimigo intransigente da Operação Lava Jato e que representa a pior escória da politicagem nacional, se arvora a atacar e ameaçar um notável Procurador da República, respeitável patriota e figura fundamental na luta contra a corrupção.
Um absurdo!
O país ainda tem muito o que avançar.
É inconcebível que um homem como Renan Calheiros, que na expressão do inigualável jornalista Augusto Nunes “não possui currículo, possui prontuário”, prossiga na sua caminhada tortuosa, inescrupulosa e com chances reais de chegar ao poder.
A força da sociedade é fundamental neste momento.
Precisamos evitar que Renan seja conduzido à presidência do Senado Federal e exigir que responda efetivamente por todos os crimes que cometeu.
A ameaça que ele acaba de fazer ao procurador Deltan Dallagnol é inconcebível.

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br