segunda-feira, 16 de janeiro de 2017


MPE notifica prefeitura e câmara de Itabuna sobre Nepotismo


O Ministério Público Estadual instaurou procedimento com o propósito de investigar a prática de nepotismo por parte do atual Chefe do Poder Executivo Municipal, o Prefeito Fernando Gomes. No dia 09 de Janeiro foi expedido, pelo Promotor de Justiça, ofício 002/2017 ao Prefeito, bem como ao Procurador Geral, Luiz Fernando Maron Guarnieri e ao Presidente da Câmara de Vereadores, Francisco José Carmo dos Reis, onde o Promotor de Justiça concede o prazo de dez dias para que seja enviada à Terceira Promotoria de Justiça de Itabuna a relação das pessoas contratadas pelo Município de Itabuna e pela Câmara de Vereadores que possuem vínculos com o Prefeito, vice Prefeito, secretários municipais e vereadores. Também foi instaurado, no dia 09.01.2017, procedimento no âmbito daquela Promotoria de Justiça, para insvestigar as circunstâncias em que a nova gestão pretende realizar o carnaval/2017. Portanto foi expedido ofício 001/2017 ao Prefeito Fernando Gomes, ao Procurador Geral e ao Presidente da Fundação Itabunense de Cultura (FICC), Daniel Garcia Moreno de Souza Leão, requisitando, no prazo de dez dias, informações referentes aos valores dos restos a pagar deixados pela administração do ex Prefeito, Claudevane Leite, a previsão de despesas com a festa do Rei Momo, a previsão orçamentária para os festejos, os editais de licitações para os gastos e contratações com montagem de palcos, trios elétricos, sonorização, iluminação, segurança, limpeza e publicidade, além da cópia do ato administrativo que decretou estado de emergência do município de Itabuna. Na data de hoje, 16.01.2017, foram instaurados mais dois procedimentos investigativos na Promotoria de Justiça de defesa ao Patrimônio Público e Moralidade Administrativa; um com o propósito de investigar as circunstâncias em que foi celebrado o contrato entre a Prefeitura Municipal de Itabuna com a empresa Bio Sanear Tecnologia Ltda, para prestação de serviços referentes a limpeza pública assinado no dia 03.01.2017, no valor de R $ 3.338.140,40 (três milhões, trezentos e trinta e oito mil, cento e quarenta reais e quarenta centavos), com vigência de sessenta dias. O outro procedimento investigatório instaurado trata da apuração e análise dos termos do projeto de lei encaminhado pelo Chefe do Poder Executivo ao Legislativo referente a Reforma Administrativa do Município pretendida pelo Prefeito Fernando Gomes. O Promotor de Justiça adverti ainda, que a recusa por parte do agente políticos em enviar as informações requisitadas pode resultar em Ação de Exibição, Busca e Apreensão, além da ação Civil pública e ação criminal contra o gestor, presidente da Câmara, dentre as outras autoridades requisitadas. Por fim, o Promotor de Justiça esclareceu que o Ministério Público tem ação Civil pública instaurada contra o ex Prefeito em relação ao concurso público realizado no ano passado (2016), pois foram identificadas inúmeras irregularidades que embora não sanadas, o Poder Judiciário negou a medida liminar pleiteado pelo Promotor de Justiça e permitiu a realização do concurso. No entanto, o Poder Executivo poderá anular o certame por força do reconhecimento das ilegalidades/irregularidades do Concurso Público. Todavia, nada impede que o classificados/aprovados proponham a competente ação judicial para apreciação do Poder Judiciário.

Deputados baianos divergem sobre queda de ministro da Justiça



Por Alexandre Galvão
Deputados de governo e oposição da bancada baiana divergem sobre a queda do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes. Recentemente, o titular recebeu críticas por conta das rebeliões que deixaram diversos mortos em presídios do país. 
 
Para Afonso Florence (PT), a queda de Moraes é “uma questão de horas ou dias”. “A decisão já foi tomada. Ele vai cair. Ele não conseguiu se estabelecer como ministro. Ele fez várias declarações imponderadas. Agora é inoperante, ineficiente, incompetente”, afirmou, ao Bocão News
 
Pensamento diferente tem o deputado José Carlos Aleluia (DEM). Para ele, as rebeliões acontecem justamente pela atuação forte de Alexandre de Moraes. “Acho importante ele continuar. Ele acabou o clima de apaziguamento entre o Estado e o crime. Por isso que estão tendo essas rebeliões. Grande parte das penitenciárias são controladas por crime organizado. O ministro está enfrentando isso. O pior é convier com o crime”, argumentou. 
 
Para Alice Portugal (PCdoB), no entanto, o ministro “perdeu o controle do sistema prisional”. “Quero dizer que ele perdeu a condição. A grande quantidade de declarações desastradas, completamente fora do contexto. Perdeu o controle do sistema prisional. No período anterior [ao governo Temer] era mantido de forma ordeira, e agora tratou das indicações como forma política. Perdeu a função de continuar no cargo”, constatou. 
 
Claudio Cajado (DEM) ponderou, no entanto, que as responsabilidades não podem ser todas jogadas nas costas do ministro. “Essas rebeliões ‘denigrem’ imagem do Brasil, demonstra falta de política pública, mas não podemos culpar apenas o governo federal. é precipitado colocar nas costas do ministro. precisamos fazer debate sobre isso”, indicou.

Artigo- Minhas lembranças com o amigo Ramon Vane


Em um dia de verão do ano de 1985, saindo de um ensaio de uma peça de teatro de rua, estavam Betão, Alba Cristina, Eva Lima, Ramon Vane e eu de intruso, porque estava começando a namorar com Eva (pra quem não sabe,nós fomos casados). Nessa época, artista tinha que contar as moedas para tomar cervejas. Eu tinha 20 anos e também era assalariado ou seja, duro também.
Saindo da Sala Zélia Lessa, seguimos pela Cinquentenário e eles resolveram passar no antigo Caçuá (hoje não existe mais, deu lugar a praça Camaçã) para tomar uma rodada de chop's que era o que o dinheiro dava.
Sentamos na pizzaria e as mesas na época eram de cimento, tipo um tampão redondo. Estava tendo um sambão de um grupo super conhecido na cidade (não vou divulgar os nomes porque não estou autorizado). Eram nossos amigos, e conhecidos
das baladas. O sambão estava muito bom, o bar cheio e de repente... Ramon sobe numa mesa e começa a recitar um poema. O som do sambão estava muito alto e as pessoas não ouviam o que ele dizia e também estavam querendo ouvir a música. Ele insistiu e começou a recitar mais alto, quando viu que ninguém prestava a atenção, proferiu para o pessoal do sambão: Respeitem o artista rebanho de @#$%¨&. Não sei como, com aquela barulheira toda, os caras ouviram o palavrão. Nossa! não sei em que instante esses caras (uns dez) largaram os tambores e pularam pra cima de Ramon! Ele Por sua vez, pulou da mesa sentido Caixa Econômica e correu desesperado. Os caras correram sentido contrário, sentido banco do Nordeste para pegá-lo do outro lado.Eu na época, tinha 85 quilos e era grosso que nem uma porta. Na realidade, o pessoal do teatro não gostava muito de mim, porque eu era considerado almofadinha, mas era namorado de Eva então eles me engoliam, só que eu dava um boi para não entrar numa briga e... Resultado, saí correndo igual um maluco pelo lado que Ramon correu e consegui chegar na frente dele. Tomei a frente e coloquei ele atrás e fiz barreira. Com a mão
estendida, falei que ninguém encostava nele.Os caras em número de 8 a dez, não lembro bem, se olharam e iam partir pra cima, Ramon e eu íamos apanhar mais que mala velha. A salvação foi (esse eu falo o nome porque é meu amigo pessoal) Reinaldinho do Bradesco, gritou: Parem, Ari é gente minha, deixa isso pra lá. Os outros não gostaram muito, mas, voltaram para o bar. Nisso, foram chegando o resto do pessoal e me agradeceram e foi aí que nasceu o apelido, ARI FACÃO que o safado do Betão colocou que até hoje em Salvador, a galera me chama assim!


Texto de autoria de Ari Rodigues

Polícia belga alerta sobre chegada de pistola semelhante a iPhone na Europa


Todos os órgãos de segurança da Bélgica foram avisados sobre a possível chegada à Europa da arma conhecida como “iPhone Gun”, uma pistola que aparenta ser o famoso celular da Apple, mas que, na realidade, é uma arma de calibre 9 milímetros.
O jornal belga “La Dernière Heure” indicou que as forças de segurança foram informadas sobre a possível entrada no país das armas fabricadas pela empresa americana Gun Runner Distributing, que custa US$ 395 nos Estados Unidos.
“Não encontramos nenhuma arma desse tipo no país”, disse à Agência Efe um porta-voz da Polícia Federal da Bélgica, negando-se também a confirmar sobre a chegada da “iPhone Gun”.
A venda da arma, que aparenta ser um telefone celular, está proibida na Bélgica, mas há maneiras de comprá-la de forma ilegal pela internet, de acordo com a imprensa local.
A empresa que produz a “iPhone Gun” no estado de Minnesota pede que os compradores se assegurem que a arma é legal no país em que residem. E afirma que a pistola é indetectável se não está aberta.
O nome oficial do produto é “Ideal Conceal” (que pode ser traduzido por “dissimulação ideal”). O fabricante anuncia que as “iPhone Guns” serão vendidas a partir do primeiro trimestre deste ano só para quem possuir porte de armas.
VERDINHO DE ITABUNA

Prefeito de Ilhéus decreta situação de emergência na Saúde


O prefeito Mário Alexandre (Marão) decretou situação de emergência na saúde de Ilhéus. O decreto tem validade de 60 dias e foi assinado na última sexta (13). Segundo a assessoria do prefeito, o ato baseia-se em relatório de uma comissão responsável por levantar a situação de contratos, bens e serviço. Segundo a comissão, 23 contratos da área de saúde foram encerrados em 31 de dezembro passado. “A situação tem impedido a continuidade da prestação de serviços”, diz. O desabastecimento afeta toda a rede com a falta de “medicamentos e insumos médicos e odontológicos”. O prefeito diz que os contratos assinados pelo governo passado “não foram disponibilizados à comissão de transição de governo” nem a equipe técnica “teve acesso às informações em tempo hábil para providenciar a prorrogação desses contratos”. A partir do decreto, o prefeito terá como contratar os serviços na área de saúde por meio de dispensa de licitação

Remédio derivado da maconha, começa a ser vendido


A empresa Hemp Meds Brasil recebeu autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para importar um remédio derivado da cannabis livre do tetrahidrocanabinol (THC). Criado nos Estados Unidos, o Real Scientific Hemp Oil-X (RSHO-X) é indicado para crianças que precisam usar o canabidiol no tratamento de epilepsia, mas não devem consumir a substância psicoativa responsável pelos efeitos da maconha. O remédio também pode ser prescrito para os atletas que passam por testes antidoping. Isso porque o THC é proibido no meio esportivo e o RSHO-X não deixa qualquer traço de THC no corpo. (Maurício Lima)

Após 26 mortos em penitenciária, RN tem mais uma rebelião


Detentos do Presídio Provisório Professor Raimundo Nonato, em Natal, se rebelaram durante a madrugada desta segunda-feira (16), desde as 3h (4h no horário de Brasília). De acordo com o governo do Rio Grande do Norte, a rebelião foi controlada por volta das 5h30 no horário local, 6h30 em Brasília. No mesmo estado, uma outra rebelião no fim de semana deixou 26 mortos. Segundo informações da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc), os presos tentaram derrubar uma parede do presídio Raimundo Nonato. A polícia interveio e evitou a fuga. Os presidiários tentaram entrar em uma área de isolamento da unidade, onde estão os presos ameaçados de morte, mas não conseguiram. O Grupo de Operações Especiais da pasta entrou no presídio às 7h30 (8h30 de Brasília) para debelar o motim. A nova rebelião atrasou uma revista prevista para ocorrer na manhã desta segunda-feira na Penitenciária de Alcaçuz, onde ocorreram as mortes no fim de semana. Conhecida como Cadeia Pública de Natal, o Presídio Provisório Raimundo Nonato não tem grades, arrancadas em rebeliões anteriores. A unidade tem 166 vagas, mas abriga 600 detentos, segundo um relatório de novembro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). As condições no estabelecimento são consideradas "péssimas". Uma outra rebelião já havia ocorrido no Rio Grande do Norte neste sábado (14), na Penitenciária de Alcaçuz. A rebelião, que durou mais de 14 horas deixou 26 presos mortos, quase todos decapitados. (JB)

Aplicativo informa sobre pontos turísticos e eventos em Itacaré


Itacaré já conta com um novo aplicativo de turismo com informações atualizadas sobre a história, pontos turísticos e tudo que acontece na cidade. O novo aplicativo foi reformulado pela Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria de Turismo, e traz informações como principais passeios, calendário de eventos, dicas de gastronomia e hospedagem, contatos, história da cidade, atividades culturais, pontos turísticos dentre vários outros serviços. Para acessar é muito simples. Basta acessar o site http://app.vc/destinoitacare e baixar o aplicativo no celular. O secretário de Turismo, Júlio Oliveira, explica que em qualquer lugar do mundo os turistas poderão ter acesso a informações sempre atualizadas de Itacaré. A grande vantagem é que é fácil instalar e ter as principais informações de Itacaré na palma da mão. O principal objetivo desse aplicativo, conforme explica o prefeito Antônio de Anízio, é divulgar Itacaré, atrair mais turistas para a cidade e facilitar a estadia de quem visita o município. Com informações sobre o potencial turístico da cidade, fotos das belezas naturais de Itacaré e a atualização do calendário de eventos fica muito mais fácil vender o destino Itacaré para todo o mundo.

Morre a professora Litza Mary Modesto Câmera


"É com grande pesar que a Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) registra o falecimento da professora Litza Mary Modesto Câmera, pedagoga, professora de História, Francês e Didática, uma das fundadoras da Faculdade de Filosofia de Itabuna (FAFI), da Federação das Escolas Superiores de Ilhéus e Itabuna (FESPI) e uma das grandes entusiastas da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Como educadora, passou por escolas em Itabuna como o Colégio Divina Providência, o Colégio Estadual de Itabuna (onde também foi diretora) e o Colégio Cenecista Firmino Alves. Natural de Itapé, a professora Litza escolheu a cidade de Itabuna para morar. Tinha 94 anos e deixa 3 filhos (Paulo, Thales e Cristina), além de netos e bisnetos. Seu desaparecimento causou grande consternação, especialmente entre profissionais do magistério, e a FICC expressa seus maiores sentimentos ao seu grande número de amigos, admiradores e familiares.

Itabuna, 16 de janeiro de 2017.

Daniel Garcia Moreno de Souza Leão
Diretor Presidente"

Banco do Nordeste fechará cinco agências na Bahia


O Banco do Nordeste (BNB) informou, na última sexta, 13, que seu conselho de administração aprovou a desativação de 19 agências da instituição. Na Bahia, cinco agências serão fechadas: Vitória da Conquista (Brasil), Feira de Santana (Maria Quitéria), Juazeiro (Adolfo Viana) e Salvador (Cajazeiras e Liberdade). O BNB é o maior banco de desenvolvimento regional da América Latina e tem foco especial na região Nordeste do Brasil. No último balanço realizado, o banco totalizava 307 agências. Com as medidas de reestruturação dos bancos controlados pelo governo federal, além da Bahia, os estados de Alagoas, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco e Sergipe também terão agências do BNB encerradas. Bahia e Ceará serão os maiores prejudicados, perderão 9 agências no total.

domingo, 15 de janeiro de 2017


INTERVENÇÃO MILITAR – LEGITIMIDADE VERSUS LEGALIDADE.


Caros amigos
A Constituição Federal de 1988 não diz que os militares podem intervir na política. Diz que as FFAA destinam-se a garantir as INSTITUIÇÕES, a LEI e a ORDEM, SEMPRE sob a AUTORIDADE SUPREMA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA, mesmo quando solicitadas a agir por qualquer dos outros poderes (Legislativo ou Judiciário).
A CF não dá aos militares, portanto,  nenhuma autorização para agir por iniciativa própria. Todavia, ISTO NÃO OS IMPEDE DE FAZE-LO, mas, se o fizerem, estarão realizando, conscientemente, um GOLPE MILITAR, por mais nobre e necessária que seja a iniciativa.
No Brasil de hoje, tomar uma atitude como esta envolve elevado risco de mortes e derramamento de sangue de irmãos brasileiros, o que, talvez, não tenha grande significado para quem não foi formado para dissuadir agressões externas e defender e respeitar o povo do qual faz parte.
Isto pode parecer simples efeito colateral para quem não tem, nem nunca terá, sobre seus ombros e consciência o peso da responsabilidade por essas mortes.
Mais simples ainda pode parecer para quem é patologicamente desequilibrado – e, por isto mesmo, nunca poderá ser ou poderia ter sido militar – como alguns que, incoerentemente e desprezando princípios democráticos,  advogam por atitudes radicais idênticas às dos Castro e de Guevara quando tomaram Cuba!
Só quem não confia nem tampouco conhece as FFAA brasileiras quer decidir por elas a tomada de uma iniciativa tão desastrosa.
Digo e repito, uma intervenção militar na política PODE ser legitima e necessária, mas NÃO tem amparo legal e só se justifica se for para evitar um mal maior do que o que causará!
O atual governo é fruto de uma pressão popular exercida dentro da norma constitucional e conhece o comprometimento dos militares com a legalidade, mas, acima de tudo, com o Brasil!
Não é por outra razão que, no ambiente adverso em que se organizou para superar a pior crise política,  moral e econômica da nossa história, não tem negligenciado da competente e comprometida assessoria dos militares escolhidos para, com ele, dar cumprimento e bom termo ao curto mandato que lhe cabe.
É como eu penso e, com toda a certeza, é como pensam e deverão proceder os Comandantes das FFAA.
Gen Bda Paulo Chagas

Politicamente correto: uma doutrina maléfica e perigosa.


O politicamente correto é uma sobrevivência da patrulha comunista derrubada a partir do muro de Berlim e do desmantelamento da União Soviética. Relativista e negador da verdade, é abraçado pela mentalidade esquerdista prevalecente em vários países ocidentais. É uma praga a ser eliminada. A propósito, segue artigo de Lucas Berlanza, publicado no site do Instituto Liberal:


Prestigiada por sua carreira de sucessos merecidos como atriz, homenageada com uma honraria na cerimônia do Globo de Ouro, Meryl Streep subiu ao palco e preferiu destilar veneno esquerdista ao microfone. Repetiu a mentira Democrata sobre o suposto deboche de Donald Trump a um repórter com deficiência física, um engodo detalhadamente desmentido por Felipe Moura Brasil em sua coluna na Veja.

Não ficou só nisso, como se caluniar alguém dessa forma fosse pouco; “chorou miséria”, lamentando o quanto os afortunados artistas de Hollywood, os estrangeiros e os jornalistas – eles mesmos, os figurões da CNN que trocam carícias e cargos com o Partido Democrata – são as “categorias” mais perseguidas nos EUA na era nazista de Trump. Trump, saliente-se, que ainda nem foi empossado como presidente da República (!). O que é, na verdade, um posicionamento de oposição à imigração ILEGAL – ILEGAL! -, Streep, como os seus amigos Democratas, lê como xenofobia. Ainda sobrou para os lutadores de MMA e jogadores de futebol, menosprezados de maneira gratuita pela diva do cinema.

Dias depois, saltou-nos aos olhos uma notícia sobre um incidente bastante inacreditável em uma universidade britânica. Segundo a notícia, reproduzida na Gazeta do Povo, “estudantes em Londres querem ‘afrontar a instituição branca’. Por isso, exigem que filósofos brancos (…) deixem de constar no currículo de filosofia e devem ser incluídos no programa ‘apenas se necessário’ e estudados ‘de um ponto de vista crítico’” – como se alguém os estivesse forçando a concordar integralmente com Platão, Kant ou Descartes. De acordo com essas AMEBAS chamadas estudantes da Escola de Estudos Orientais e Africanos, esses “filósofos brancos” – como se as grandes questões da filosofia estivessem intrinsecamente atreladas a cores de pele – representam a “colonização” do ensino superior (?), e deveriam ser estudados majoritariamente filósofos africanos e asiáticos. Mentes lúcidas, como o conservador Roger Scruton, criticaram essa estupidez, como não poderia deixar de ser. É de uma idiotice tão grande que tenho dificuldades até de comentar.

Mentiras sobre a conduta pessoal de um adversário político-ideológico que incomoda as próprias certezas e imperativos rocambolescos sobre o mundo; confusão propositada entre se opor a um grupo que infringe a lei e ser hostil a qualquer estrangeiro; jogar no lixo a maior parte da epopeia da filosofia ocidental que forjou a nossa cultura. Todos esses comportamentos lamentáveis estão sob a mesma égide: o politicamente correto.

Esses dois incidentes revelam da maneira mais indiscutível que, sob o pretexto de proteger minorias supostamente vítimas, em determinado contexto social, de perseguições e opressões naturalmente absurdas, a esquerda moderna – quer seja a chamada beautiful people da classe artística e do Partido Democrata americano, quer seja a New Left em qualquer parte do mundo, quer sejam os “coletivos” (de negros, LGBT ou qualquer coisa que o valha) – está disposta a: destruir reputações, transformar o apreço pela lei no ódio ao diferente, inventar e disseminar histórias falsas, explorar qualquer oportunidade (mesmo premiações individuais) para destilar o seu veneno, atentar contra a educação e a continuidade da transmissão das informações que moldaram a nossa cultura.

Em resumo: DESTRUIR todos os nossos valores e TODA A NOSSA CIVILIZAÇÃO. No ponto extremo, é a esse resultado que eles pretendem chegar, se continuarmos a dar ouvidos a eles. Quando um limite dessa monta e uma pretensão apocalíptica a essas proporções começam a mostrar seus sintomas, passa a não ser nem de longe mais possível o comedimento em defesa das verdades e coisas permanentes que nos são caras. O politicamente correto de que estamos falando é um adversário RACISTA, OBSCURANTISTA e DESTRUTIVO e, por isso mesmo, não merece um pingo de respeito.
BLOG ORLANDO TAMBOSI

“RAMON SE MUDOU DA TERRA”


Domingos Matos, 15/01/2017 | 16:29
o trombone
Por Adroaldo Almeida
No meio da década de 1980 eu cheguei a Itabuna para estudar e trabalhar. Era bancário e sindicalista, mas queria ser escritor. Por revés da sorte, acabei advogado e político, uma lástima. Naquele tempo, transitava na senda da arte entre Buerarema e Ilhéus uma trupe felliniana: Jackson, Betão, Alba, Eva, Gideon, Gal, Delmo, Zé Henrique e, naquela miríade estrelar, ele, claro, RAMON VANE, o mais cênico de todos. A figura de um pintor holandês do século XVII, a recitação de um menestrel medieval e a presença carismática de um franciscano. Um astro rasgando o céu da Mata Atlântica. Nosso Rimbaud trovando no alto da proa de um barco bêbado, singrando os mares e domando as ondas naquela temporada no inferno, atirando poesias contra a estação da ditadura ainda presente.
Eu o encontrava quase todas as noites no curso noturno de Direito da FESPI. Fomos colegas e contemporâneos, nos códigos e na decodificação da Justiça, mas “as leis não bastam, os lírios não nascem da lei”, como aprendemos com Drummond e escrevemos o nome tumulto na pedra.  Era tímido na faculdade, nunca o encontrei no DCE, mas enxergava-o de soslaio num canto da biblioteca do Departamento de Letras, onde ambos acorríamos à procura da consolação na palavra. Porém, como ele sabe agora, jamais encontramos um bálsamo, conforto ou doçura na provisoriedade dessa condenação da existência. Talvez nessa travessia, na eternidade de serafins e cítaras, ele possa declamar todo seu lirismo sem a azáfama e a urgência dos dias terrenos.
Neste domingo acordei com uma mensagem de Gideon Rosa: “Ramon se mudou da terra hoje de madrugada”. Assustado, levantei mudo e pasmo, e essas reminiscências me afloraram durante toda a manhã. Daqui de Itororó, lamentavelmente, não pude ir ao sepultamento, então, mando rápidas e atropeladas letras na ambição de contribuir para desentortar as veredas no seu caminho ao paraíso.
Ramon Vane era um artista, eu me lembro!
Adroaldo Almeida é escritor, advogado e político

Lula quer perseguir quem pede privatização da Petrobrás que o PT adorou saquear


Lula quer perseguir quem pede privatização da Petrobrás que o PT adorou saquear
Em discurso no 29º Encontro Nacional do MST – que acontece em Salvador nesta quarta-feira (11) – Lula novamente encenou o papel de coitadinho perseguido. Em seguida, sugeriu que “eles devem perseguir os que estão querendo vender a Petrobras”, se referindo à Operação Lava Jato.
“Eles querem criminalizar o país. Eles caminham para transformar o PT em um partido ilegal. Eles tentam criminalizar o Gabrielli (ex-presidente da Petrobras), porque houve plataforma de solda que era feita na China, em Cingapura ou na Coreia, que gerava emprego e riqueza lá, que ele trouxe para fazer no Brasil, para formar engenheiros da indústria naval aqui, formar técnicos aqui. Deveriam perseguir estes que agora estão entregando a Petrobras”, disse Lula.
Lula completou: “Eu quando indiquei um diretor da Petrobras, o cara tinha 30 anos de Petrobras. Nunca a Polícia Federal tinha dito que ele era ladrão, nunca a empresa tinha dito que ele era ladrão. Nunca o Ministério Público tinha dito. Se esses caras cometeram erros, que paguem pelos erros que cometeram. Mas a Petrobras não pode ser vendida por conta disso. A Petrobras é do povo brasileiro. Eles nunca aceitaram quando nos fizemos a lei da partilha, que o petróleo deixou de ser do cara que ia buscar ele lá e passou a ser do povo brasileiro”.
Vamos aos fatos. Deveríamos colocar num pedestal aqueles que, corajosamente, falarem em vender a Petrobrás. Infelizmente, não é isso que está acontecendo: no máximo se fala em maior abertura.
A Petrobrás estatizada e monopolista do mercado petrolífero sempre foi uma maldição para o Brasil, mas a praga foi ainda maior no governo petista, durante o qual o saqueamento da empresa tinha uma finalidade: tentar nos transformar em uma ditadura, para que todos nós vivêssemos como gado nas mãos de um governo sádico como o de Nicolas Maduro. É principalmente para isso que monstruosamente gente como Lula quer perseguir pessoas que falem em maior abertura do negócio petrolífero. Perseguição maior advirá sobre aqueles que falarem em privatização, pelo principal motivo de que não devemos ter uma estatal de petróleo que só serve para ajudar tiranos.

APOIANDO O VANDALISMO

Se queimar ônibus é um ato legítimo pelo “direito humano ao transporte”, então queimar a sede da Carta Capital é a legítima luta por liberdade de expressão?

Se queimar ônibus é um ato legítimo pelo “direito humano ao transporte”, então queimar a sede da Carta Capital é a legítima luta por liberdade de expressão?
Obviamente não. Não mesmo. Contudo, isso não impediu que a Carta Capital lançasse uma matéria alegando que queimar ônibus é um ato justificável na luta pelo “direito humano ao transporte”.
Se observarmos rapidamente, de imediato percebe-se uma incoerência lógica muito simples aí, que é o simples fato de que um ônibus queimado equivale a um ônibus a menos, e assim sendo quem queima ônibus está, de forma deliberada, tirando o direito de outras pessoas ao transporte. Contudo, ainda que observemos do ponto de vista simbólico em si, queimar um ônibus não ajuda em absolutamente nada na luta pelo suposto direito ao transporte.
Com toda certeza, a Carta Capital está de sacanagem. Uma matéria como essa tem como única finalidade proteger seus pupilos, aqueles vândalos do MPL que não fazem outra coisa senão gerar atraso. Alegar que queimar ônibus realmente ajuda a resolver o problema é o mesmo que dizer que, queimando a sede da Carta Capital, estaríamos ajudando a lutar por liberdade de expressão, quando na prática é justamente o contrário, obviamente.
Assim como queimar a sede de um jornal é um ato contrário ao direito a liberdade de expressão, pois ao fazer isso estaria-se justamente violando e limitando a expressão de alguma ou de algumas pessoas, queimar ônibus surte efeito evidentemente contrário ao “direito ao transporte público”.
Tudo isso, no fim das contas, é irrelevante. A seção da Carta que publicou a matéria se chama “Justificando”, e a finalidade é claramente a de passar a mão na cabeça e sustentar seus comportamentos execráveis. Quem queima ônibus está fazendo qualquer outra coisa, menos resolver um problema. Ao contrário, aliás, queimar ônibus causa problemas, gera transtornos, cria despesas e, na prática, aumenta o custo médio das passagens. Queimar ônibus é um ato de quem odeia o povo e quer mais é que ele se exploda, é coisa de quem está a fim de atrapalhar o cidadão para empurrar suas bandeiras goela abaixo.

Sabe aquele socialista que te disse ser contra o capitalismo?

 Sinto dizer, mas ele te enganou..

Sabe aquele socialista que te disse ser contra o capitalismo? Sinto dizer, mas ele te enganou..
É incrível como ainda tem gente que cai nas esparrelas ditas pela extrema-esquerda e a esquerda em geral. Deve ser o mesmo tipo de gente que compraria falsos bilhetes premiados da loteria achando que “no fundo deve haver um prêmio”. Nada disso. Ninguém venderia um bilhete premiado de loteria. Se alguém tem um prêmio de R$ 500 mil num bilhete por que te venderia por R$ 25 mil? Não faz sentido. Não há casos de bilhetes premiados vendidos cujo valor tenha sido sacado pelo comprador.
Em tempo: alguns podem se indignar e dizer: “ei, Luciano, você me ofende, pois eu não compraria falsos bilhetes premiados da loteria?”. Ok, entendo, posso ter cometido um excesso. Mas sendo assim, por que essa mesma pessoa que não compraria um bilhete premiado de loteria continua acreditando em discursos de esquerdistas sobre suas próprias ideias? Assim como não existe bilhete premiado de verdade, não existe nenhuma “luta contra o capitalismo” por parte da extrema-esquerda, e nem mesmo da esquerda genérica que resolve “atacar o capital”.
Basta observar que os maiores bilionários apoiaram a campanha de Hillary Clinton. No caso de Lula e Dilma, eles sempre tiveram o apoio dos maiores detentores “do capital”. Isso também vale para a Rússia, a China e até Cuba. Nunca existiu qualquer intenção de “lutar contra o capitalismo” por parte de socialistas e esquerdistas genéricos.
Mas se assim o é, porque eles dizem “lutar contra o capitalismo”? A razão para isso é que a direita normalmente cai nos logros dessa gente. Achando que participam de “debates”, são vítimas de rotulagens em verdadeiras guerras de frames. Incapazes de perceber a armação oponente, muitos vestem a camisa de força verbal dada pelo adversário e dizem: “É, nós lutamos pelo capitalismo, e eles lutam contra”. Já tendo estigmatizado a busca pelo capital como uma “malvadeza”, basta para a  esquerda compilar seus dividendos políticos, e, enquanto fazem isso, contarão com a ajuda dos maiores capitalistas. É ou não é uma baita jogada? Mais uma vez, vemos esperteza em excesso do lado da esquerda e ingenuidade absoluta por parte da direita.
A verdade, como de costume, transcende os discursos políticos, mostrando que, como os maiores capitalistas estão do lado da esquerda, na verdade a luta socialista não é contra o capitalismo, mas por coisas como capitalismo de estado, capitalismo de compadres e capitalismo de laços, em completa oposição ao capitalismo de livre mercado. Quer dizer, nunca existiu uma luta “contra o capitalismo”, mas uma luta pelo capitalismo mais perverso que existe, em oposição ao capitalismo que gera melhores resultados para o cidadão pobre.
Esquerdistas não odeiam o capital, mas o amam de paixão, desde que seja um capital obtido da maneira mais perversa: a partir do conluio entre uma elite de bilionários e um estado opressor.
Um pena é que muitos na direita ainda não se acostumaram com a ideia de que a esquerda é capitalista, mas da forma mais perversa e imoral que alguém pode sê-lo, em luta contra a forma mais humanitária de capitalismo, o de livre mercado. Aceitando a noção falsa de que “só existe um capitalismo” e de que a esquerda “é contra o capitalismo”, esses direitistas que caíram no jogo esquerdista se recusam a ver o mundo como ele é enquanto aceitam as rotulagens mais desonestas criadas pelo discurso opositor. Desse modo fica fácil criar um jogo de “vilões e mocinhos” no qual os direitistas são os vilões.
O modo de resolver isso é rejeitar de uma vez por todas a oposição entre “capitalismo X socialismo”, mas tratar as coisas como elas são: uma luta entre o capitalismo de compadres contra o capitalismo de livre mercado.

É preciso ficar bem atento ao que acontece na disputa pelo Mar do Sul da China


O mapa dos territórios em disputa no mar do Sul da China
Este é o mapa das ilhas em disputa no Mar do Sul da China
Deu no People’s Daily
Um destroier da Marinha dos EUA, o USS Decatur, navegou em águas da Ilha Xisha, parte do Mar do Sul da China e de águas territoriais chinesas, em outubro, sem licença das autoridades chinesas. O governo chinês opõe-se firmemente a esse comportamento de provocação, e tomará uma série de contramedidas efetivas. Na declaração sobre fundamentos do mar territorial, emitida em maio de 1996, China esclareceu o fundamento legal da territorialidade das Ilhas Xisha. A Lei da República do Povo da China sobre o Mar Territorial e a Zona Contígua e outras leis internacionais também estipula que navios de guerra estrangeiros têm de obter aprovação do governo para navegar em águas chinesas.
A entrada de navios de guerra dos EUA em águas chinesas, sem permissão, viola gravemente a soberania da China e seus interesses se segurança, e é infração grave contra a lei chinesa e a lei internacional, além de ser também ameaça contra a paz, a segurança e a ordem em águas importantes.
A ação dos EUA visa a ferir a soberania, a segurança e interesses marítimos de países regionais, em nome de uma suposta “operação liberdade de navegação”. Mas esses atos de provocação mais uma vez deixam à vista a energia negativa da estratégia de “Reequilíbrio para a Ásia” do governo norte-americano, e ao mesmo tempo comprovam que o papel dos EUA é, realmente, criar confusão e problemas no Mar do Sul da China.
A suposta patrulha que os EUA lançaram dessa vez vem precisamente quando China e Filipinas, países diretamente interessados na questão do Mar do Sul da China, estão recompondo suas relações. Durante a visita oficial do presidente Rodrigo Duterte à China, os dois países assinaram vários acordos de cooperação.
O ato de provocação dos EUA em águas territoriais chinesas, num momento em que o reatamento de relações entre China e países relevantes está levando a questão do Mar do Sul da China a uma solução encorajadora, é prova de que os EUA insistem em desestabilizar o Mar do Sul da China, jogando com as tensões e agindo para reaquecê-las.
Ao lançar essas supostas patrulhas, a superpotência diz ao mundo que não sabe conviver e não pode tolerar nem com um Mar do Sul da China tranquilo, nem com um Pacífico Asiático pacífico e estável.
O presidente Duterte destacou, em discurso, que “os EUA sentem-se um pouco aflitos, ao verem os laços firmes que unem hoje China e Filipinas,” e suas palavras revelam a complicada psicologia dos EUA. A ostensiva provocação pode ser vista, de fato, como modo de tentar aliviar a própria depressão e própria frustração, espécie de movimento inercial do que foi a potência hegemônica.
Washington deve cuidar de entender que é precisamente essa sua mentalidade hegemonista que resultou na decadência de sua influência global como hoje se vê, e na própria inabilidade para enriquecer os bens públicos com energia positiva. Washington também deve admitir que aquela era, quando um país podia dominar uma rede de alianças criando tensões e mentiras sempre novas ou renovadas, já acabou e jamais voltará.
Ninguém quer enfraquecer a influência dos EUA na região do Pacífico Asiático, mas essa influência tem de se basear numa dedicação positiva ao desenvolvimento comum de toda a região. A mentalidade hegemonista já senil e ultrapassada dos EUA não é mais aceita, de modo algum, pelos países regionais, que aspiram à paz, à cooperação e ao progresso partilhado.
É bem sabido que a “liberdade de navegação”, frequentemente citada pelos EUA como pretexto, não passa de uma falsidade, para permitir que os EUA tentem impor à região uma “liberdade absoluta”, só dos EUA, para que cuidem do que entendam que seja sua segurança.
Mas os EUA devem ter em mente as reais consequências de buscar segurança absoluta só para si, e que o país já pagou preço suficientemente amargo pela própria arrogância e pela própria ignorância.
A decisão arbitrária, dessa vez, com certeza levará os EUA a um impasse. Esse país obsessivo e turrão pode conseguir algum poder duro, mas jamais conseguirá poder suave nem poder inteligente.
Se os EUA querem realmente ser potência mundial, de modo algum podem recorrer a armas, armamentos, separação ou provocações, na tentativa de obter algum proveito das águas turvas e agitadas. Esforços para ampliar interesses têm de partilhados por todos os países. Palavras altissonantes, mas ações agressivas de teimosia obstinada não recebem respeito e confiança como resposta de outros países.
Ao longo dos anos, sempre empenhados só em firmar a própria hegemonia marítima, os EUA só tem feito desestabilizar a paz regional, intrometendo-se ilegalmente no Mar do Sul da China, provocando a China e tentando minar os laços que ligam China e Filipinas.
Washington não entendeu que esses truques infantis não conseguem reverter a tendência regional na direção de desenvolvimento pacífico. Como as Filipinas já disseram, “Não podemos ser para sempre os ‘irmãos escurinhos dos EUA”. A opção dos filipinos por ajustar as políticas diplomáticas e reforçar a cooperação com a China também prova que a causa injusta que os EUA tentam promover encontra pouco ou nenhum apoio.
Ainda mais, os EUA que não acalentem fantasias na questão do Mar do Sul da China, porque essa não será a primeira briga que arrumam, contra a China. A China é uma rocha, na determinação de salvaguardar a própria soberania e a própria integridade territorial. A China nunca exigirá o que não lhe pertença, mas lutará por cada polegada do território protegido pela soberania chinesa.
O presidente Xi Jinping da China, na reunião de comemoração dos 80 anos da conclusão da Longa Marcha (1934-36), conclamou todos os militares chineses a permanecer vigilantes e conscientes de suas responsabilidades, destacando que a modernização da defesa nacional e das forças armadas da China deve prosseguir, porque é necessária à defesa dos interesses da soberania, da segurança e do desenvolvimento da China.
Quanto mais os EUA insistirem em tentar consolidar sua hegemonia com ações militares, mais a China reforçará sua defesa, e maior a firmeza com que defenderá seus próprios legítimos interesses.
O exército chinês com certeza salvaguardará a soberania nacional e a segurança da China, aumentando a força e o escopo do patrulhamento conforme seja necessário e otimizando suas capacidades defensivas. A China nunca permitirá que EUA desestabilizem Mar do Sul da China – para a China, essa é questão de princípios.
Posted in

Agente é preso por passar informação sobre segurança de cadeia para preso


Caso ocorreu em presídio onde ocorreu massacre de 56 presos em Manaus.
Governo diz que homem é funcionário terceirizado da empresa Umanizzare.

Do G1 AM
Famílias buscavam por informações no Compaj (Foto: Suelen Gonçalves/ G1 AM)Caso ocorreu no Compaj, unidade que registrou massacre de 56 presos  (Foto: Suelen Gonçalves/ G1 AM)
A Polícia Civil prendeu um agente de socialização da empresa Umanizzare suspeito de repassar informações sigilosas a um interno do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), unidade onde um massacre deixou 56 detentos mortos no 1º deste ano em Manaus. A prisão ocorreu noite de sábado (14) e foi divulgada na tarde deste domingo (15) pelo Governo do Amazonas.
A Umanizzare comunicou que o agente "foi denunciado pela própria empresa, para o bem da segurança e da guarda dos reeducandos, que são obrigações do Estado, indelegáveis pela Constituição, e em sua prática, estipulada pelo Lei de Execução Penal" e que não é conivente com a conduta do agente. A identidade dele não divulgada.
  •  
O homem foi detido, em flagrante, pelo crime de violação de sigilo funcional qualificado por dano à administração pública. Ele foi detido por policiais militares que atuam no Compaj, no momento em que estava trabalhando.
"Na apuração dos fatos, o agente repassou informes precisos e sigilosos sobre o quantitativo de agentes e policiais nas guaritas e no portão operacional, o P3. Esse local é estratégico para uma possível rebelião e onde se guarda todo material necessário ao normal funcionamento da penitenciária”, disse o diretor do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), delegado Juan Valério, por meio da assessoria de imprensa.

Em depoimento à polícia, segundo informado pelo governo, o funcionário negou ter dado detalhes da segurança do Compaj, mas testemunhas desmentiram a versão.
De acordo com as investigação, preso que recebeu a informação do agente fingiu estar doente para poder ser transferido à enfermaria, onde, de lá, receberia informações do agente penitenciário.

"Com a volta do interno ao pavilhão, iniciou-se um tumulto nas celas, onde os internos batiam nas grades e ameaçavam queimar colchões. Rapidamente o tumulto foi cessado com o acionamento do reforço emergencial das forças de segurança”, informou.

O agente penitenciário foi autuado em flagrante por violação de sigilo funcional qualificado por dano à administração pública, previsto no Artigo 325, parágrafo segundo, do Código Penal Brasileiro (CPB).
A Polícia Civil informou que um inquérito policial foi instaurado para apurar a possível participação do agente penitenciário em uma organização criminosa, pois há indícios que o homem atuava naquele presídio repassando informações privilegiadas que possuía do Sistema para membros de uma facção.

Ainda de acordo com o governo, a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) irá abrir um processo administrativo na Corregedoria do Sistema Penitenciário.

Nota
Em nota, A Umanizzare informou que conforme estabelecem os procedimentos e as normas de conduta exigidas pela empresa, a atitude irregular acarretou na detenção do colaborador para averiguação de responsabilidades contrárias à segurança da unidade prisional.

"Desse modo, o colaborador denunciante coibiu a evolução da distorção, dado comprovadora de que a empresa não é conivente, e sim eficiente nas responsabilidades contratuais para com sua atividade-meio, pelo modelo de cogestão", diz um trecho da nota.
"Portanto, a Umanizzare reitera que foi ela própria (a empresa cogestora) que coibiu e denunciou o fato, demonstrando não ser conivente, e sim eficiente. Nossos procedimentos internos são rigorosos no sentido de evitar que isso aconteça. Criamos mecanismos contra isso", completa outro trecho do comunicado.
Rebeliões e fugas
Desde o dia 1º de janeiro, o sistema prisional do estado registrou fuga de 225, rebeliões e um massacre que resultou de 64 mortes de detentos. Presos chegaram a postar foto com armas antes de uma das rebeliões, o que aponta para a existência de sinal de celular dentro das unidades.
A rebelião que aconteceu no Compaj durou mais de 17 horas e foi considerado pelo secretário estadual de Segurança Pública, Sérgio Fontes, como "o maior massacre do sistema prisional" do Amazonas. Ao todo, 56 foram mortos dentro do presídio entre 1º e 2 de janeiro. Essa é uma das maiores matanças ocorridas em presídios brasileiros desde o massacre do Carandiru, em 1992.
Parentes de presos esperam divulgação de lista de mortos (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)Quatro presos foram mortos na Vidal Pessoa (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)
Na tarde de segunda (2), outros quatro presos morreram na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), na Zona Leste de Manaus.No útlimo domingo (8), outros quatro presos foram mortos em uma rebelião na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, reativada para receber presos transferidos do Compaj após o massacre.
Investigação
A polícia do Amazonas apontou sete presos como líderes do massacre. Documentos o Ministério Público Federal (MPF) dizem que estes líderes têm estreita relação com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, as Farc. Segundo o MPF, os traficantes brasileiros teriam comprado pistolas, fuzis e submetralhadoras do mesmo fornecedor de armas do grupo de guerrilha colombiano.
Diversos relatórios elaborados antes da rebelião já apontavam risco iminente no presídio de Manaus. Um texto do setor de inteligência da Secretaria de Segurança alertava para um plano de fuga no regime fechado do Compaj. Além disso, apontava que oito armas de fogo tinham entrado no presídio na semana anterior ao Natal por meio de visitantes e com o ajuda de agentes.
Documentos emitidos pela administradora do presídio, a Umanizzare, alertavam para o risco de se permitir visitas no fim do ano aos presos. O governo estadual havia permitido que cada um dos mais de 1,2 mil presos do Compaj pudesse receber ao menos um acompanhante no Natal e no Ano Novo.
No dia 27 de dezembro, quatro dias antes da rebelião, a empresa ainda pediu providências imediatas porque, no dia 24, com autorização da secretaria do governo, os horários de visitas não foram respeitados, o que prejudicou a revista de celas e a contagem de presos. O secretário justificou a autorização, dizendo que se tratava de "humanização".
Pedro Florêncio, titular da Seap, disse não descartar hipótese de motim ter sido motivado por transferência de suposto líder de crime organizado  (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)Pedro Florêncio, ex titular da Seap
(Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)
Exoneração
Após mortes e fugas no sistema prisional, o Governo do Amazonas anunciou nesta sexta-feira (13) mudança na gestão da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). O tenente-coronel da Polícia Militar, Cleitman Rabelo Coelho, assume o cargo. Ele assume a pasta substituindo o agente da Polícia Federal, Pedro Florencio.
O Governo não informou se Florencio entregou o cargo ou se foi desligado da função por recomendação do governador José Melo. Agente da Polícia Federal, ele estava no comando da Seap desde outubro de 2015.

Com 95,6% do rebanho vacinado, AP supera meta contra aftosa em 2016


Campanha de vacinação ocorreu entre setembro a novembro no estado.
Resultado pode deixar Amapá livre da febre aftosa em 2017, diz Diagro.

Jéssica AlvesDo G1 AP
Campanha de vacinação segue até o dia 15 de novembro no Amapá (Foto: Jéssica Alves/G1)Campanha de vacinação ocorreu de setembro a novembro de 2016 no Amapá (Foto: Jéssica Alves/G1)
Cerca de 95,6% do rebanho bovino no Amapáfoi imunizado contra a febre aftosa em 2016, segundo levantamento da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária (Diagro), e ultrapassou a meta estabelecida pelo Ministério da Agricultura, estabelecida em 90%. A campanha de vacinação ocorreu entre setembro a novembro.
O saldo é considerado positivo pela Diagro, que previu no final da campanha deixar o estado livre da febre aftosa em 2017. Caso ocorra a mudança de status para "livre da febre aftosa", o Amapá poderá comercializar a carne para outros estados. Atualmente, o rebanho local é considerado de "alto risco", pelo governo federal.
A última melhor marca que o Amapá obteve em imunização foi no ano de 2010, quando foi realizado um trabalho em parceria com o governo federal ultrapassou a marca de 90%. Em outros anos, a meta variou nos percentuais na casa de 80%.

Dados da Diagro apontam que o estado tem quase 330 mil cabeças de gado. Em 2015, um total de 90,15% foi imunizado.
A vacinação e declaração dos dados são de responsabilidade dos produtores, que devem imunizar e comprovar na Diagro. A campanha no estado encerrou no dia 25 de novembro.
Febre aftosa
O maior impacto da doença é o financeiro, pois ela atinge os animais, sendo necessário sacrificá-los. Os principais sintomas são febre, casco fendido e bolhas na boca, focinho, tetas e narinas.
A doença é contagiosa e surgiu no ano de 1514, na Itália. No Brasil, o primeiro caso registado ocorreu em 1895, no Triângulo Mineiro. No Amapá, há mais de 20 anos não são registrados casos de aftosa, no entanto, a atual classificação de risco do rebanho impede a comercialização pelo Amapá para outros estados.

Diário oficial do AC publica lei de 1993 assinada por prefeito que já morreu


Em publicação, prefeito autoriza investimento de 100 milhões de cruzeiros.
Prefeitura diz que não foi erro e que medida foi recomendação de banco.

Iryá RodriguesDo G1 AC
Lei de 1993 assinada por prefeito que morreu em 2013 foi publicada na edição desta quinta (12) do DOE (Foto: Reprodução/DOE)Lei de 1993 assinada por prefeito que morreu em 2013 foi publicada na edição desta quinta (12) do DOE (Foto: Reprodução/DOE)
A edição desta quinta-feira (12) do Diário Oficial do Estado do Acre (DOE) teve uma publicação um tanto inusitada da prefeitura de Senador Guiomard, cidade do interior do estado. Um texto de três laudas divulgou a aprovação de uma lei de julho de 1993 assinada pelo prefeito e desembargador Lourival Marques de Oliveira, que morreu em 2013.
O governo do estado, por meio da assessoria de imprensa, informou que os textos publicados no Diário Oficial pela Casa Civil são enviados pelas entidades e prefeituras já formatados e salvos em formato PDF.

Após receber o arquivo, a secretaria junta os documentos e publica. Ainda de acordo com a assessoria, a Casa Civil é responsável apenas pela editoria das publicações feitas pelo governo do estado, que ficam nas primeiras páginas do Diário Oficial.
A prefeitura de Senador Guiomard, por meio da assessoria de imprensa, afirmou que a publicação não é um erro e que faz parte de uma solicitação do banco, para que fosse disponibilizado o acesso às contas públicas por parte da nova gestão da cidade. Segundo a prefeitura, somente após a publicação no DOE de uma série de leis já instituídas, é que a gestão teria acesso às senhas do banco.
Na publicação, divulgada nas páginas 127, 128 e 129, o prefeito institui o Plano Municipal de Saúde da cidade e autoriza a abertura de crédito adicional especial no valor de 100 milhões de Cruzeiros. De acordo com o texto, o Fundo tem o objetivo de criar condições financeiras e de gerência dos recursos destinados ao desenvolvimento das ações de saúde, executadas e coordenadas pela Secretaria Municipal de Saúde.
Com relação ao valor da moeda defasada, a prefeitura informou que essa informação na legislação deve ser atualizada após a volta das sessões da Câmara de Vereadores, no próximo dia 15. Segundo a gestão da cidade, somente os vereadores podem aprovar essa atualização para então ser sancionada pelo atual prefeito, André Maia (PSD).

Acre é o estado com a gasolina mais cara do país, aponta ANP


Acreanos pagam em média R$ 4,23 por cada litro de gasolina, diz estudo.
Dados da Agência Nacional do Petróleo são de 1° a 7 de janeiro deste ano.

Caio FulgêncioDo G1 AC
posto, gasolina, diesel, aumento, peço, macapá, amapá (Foto: Jéssica Alves/G1)Acreanos pagam em média R$ 4,23 por cada litro da gasolina, diz ANP (Foto: Jéssica Alves/G1)
Levantamento feito pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostrou que o Acre é o estado com o maior preço do litro de gasolina no país. Segundo o estudo, o consumidor acreano paga em média R$ 4,23 pelo combustível. Os números foram contabilizados entre os dias 1° e 7 deste mês, primeira semana de 2017.
O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Gás Liquefeito de Petróleo e Lubrificantes do Estado do Acre (Sindepac) explicou que o preço final ao consumidor é composto sobretudo por uma "alta carga tributária", em que incidem impostos como ICMS, PIS/Cofins e Cide.
Além disso, o Sindepac acrescentou que a logística do transporte também afeta diretamente o custo nos postos. A maior quantidade dos combustíveis consumidos no estado sai de Manaus (AM) por via fluvial.
"Segue para o estado de Rondônia. De Porto Velho até o Acre, o transporte é realizado via terrestre até a capital acreana e demais municípios do interior. Em determinados municípios, chega a percorrer uma distância de até 1 mil quilômetros, como é o caso de Cruzeiro do Sul", afirmou.

O cálculo foi feito com base nos preços praticados em 31 postos espalhados nas duas maiores cidades acreanas. Conforme o estudo, o valor mínimo cobrado pelo litro da gasolina é de R$ 4,10. Por outro lado, existem estabelecimentos que comercializam por R$ 4,70.
Cruzeiro do Sul, cidade distante 648 km da capital, pratica os maiores preços. A pesquisa afirma que a média paga pelos cruzeirenses é aproximadamente R$ 4,57. Já em Rio Branco, o preço médio é de R$ 4,17 - podendo chegar a R$ 4,23.
Os postos da capital acreana tiveram o último reajuste em dezembro do ano passado, quando o governo federal anunciou o aumento dos combustíveis nas refinarias. Na época, o Sindepac salientou que, além do reajuste anunciado, as distribuidoras também modificaram os preços aos revendedores. A média de encarecimento foi de em torno R$ 0,10.
Também na Região Norte, o Pará é o local com o segundo maior preço médio da gasolina, chegando a R$ 4,09. Logo em seguida, aparece o Rio de Janeiro, no Sudeste, onde se comercializa o produto por R$ 4,02.
O estado nordestino de Pernambuco é outro destaque. De acordo com a ANP, trata-se do lugar com menor valor médio cobrado pelo combustível, de R$ 3,55. São Paulo e Maranhão estão logo acima, com os preços de R$ 3,60 e R$ 3,61, respectivamente.
Ainda em nota, o Sindepac ressaltou que os revendedores recebem reajustes todas as semanas por parte das distribuidoras de combustíveis. No entanto, o valor não chega a mudar ao consumidor. "Devido à grande concorrência e redução de compra, muitos empresários preferem manter os preços até onde o custo operacional do estabelecimento permite".
Porto Walter
Apesar de não constar no levantamento feito pela ANP, o município acreano de Porto Walter, distante 574 km de Rio Branco, possui um preço ainda maior da gasolina, segundo um empresário do ramo Francisco Evenilson. Cada litro custa em torno de R$ 5,38.
Evenilson afirma que o valor é justificado pela distância da cidade. "Pagamos dois fretes para o combustível chegar da distribuidora o Porto Walter. Não temos alternativa a não ser praticar esse preço. Tenho consciência que é caro", fala.

Sindicato denuncia sucateamento de veículos dos Correios no Acre


Bicicletas, automóveis e motos não passam por manutenção, diz Sintect-AC.
Correios negam e dizem que veículos estão em boas condições de uso.

Caio FulgêncioDo G1 AC
Bicicletas, carros e motos estão sem manutenção desde o ano passado, diz sindicato (Foto: Divulgação/Sintect-AC)Bicicletas, carros e motos estão sem manutenção
desde o ano passado, diz sindicato
(Foto: Divulgação/Sintect-AC)
O Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos do Acre (Sintect-AC) denunciam o sucateamento dos veículos que compõem a frota da estatal. Edson Pinheiro, presidente do Sintect-AC, diz que desde o ano passado as bicicletas, automóveis e motocicletas não passam por manutenção.
Ao G1, os Correios informaram, por meio da assessoria de comunicação, que todas as bicicletas e motocicletas utilizadas pelos carteiros estão em boas condições de uso. O órgão acrescentou que caso apresentem algum tipo de defeito, os veículos são retirados das entregas para a devida manutenção ou substituição.
"Os problemas com o sucateamento já vêm acontecendo desde o ano passado. Em meados de março, começamos a informar a empresa sobre isso, mas ocorreram sempre medidas paliativas e agora chegou ao caos. Acreditamos que está correndo para uma privatização, porque a empresa está deixando de investir", diz Pinheiro.
O sindicalista revela que, algumas vezes, os próprios funcionários acabam gastando dinheiro "do próprio bolso" na manutenção dos transportes. "É um problema na capital e também no interior. Não é responsabilidade do trabalhador, mas sim da empresa. Daqui a pouco, vão querer que o pessoal trabalhe a pé", ressalta.
Devido ao problema, Pinheiro acrescenta que a categoria não descarta a possibilidade paralisações e até uma greve. "Se a empresa não resolver essa problemática, a categoria vai fazer paralisações. Queremos manter o serviço com qualidade, mas os gestores da empresa precisam fazer o dever de casa", finaliza.

Espécie rara de serpente é descoberta em Estação Ecológica no Acre


Animal vive entre folhas secas que caem no chão da floresta, diz pesquisador.
Serpente foi achada em fevereiro de 2016 e ICMBio divulgou nesta sexta (13).

Iryá RodriguesDo G1 AC
Espécie de serpente rara foi achada pela primeira vez na Estação Ecológica Rio Acre, em Assis Brasil  (Foto: Marco Freitas/Arquivo Pessoal)Espécie de serpente rara foi achada pela primeira vez na Estação Ecológica Rio Acre, em Assis Brasil (Foto: Marco Freitas/Arquivo Pessoal)
Uma rara serpente de cor preta, cabeça branca e com cerca de 40 a 50 centímetros foi descoberta na Estação Ecológica Rio Acre, a 70 quilômetros de Assis Brasil, interior do estado. O animal foi achado por pesquisadores do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Apesar da descoberta ter ocorrido em fevereiro de 2016, ela foi divulgada apenas nesta sexta-feira (13).
Essa foi a primeira vez que a espécie, de nome científico Ninia hudsoni, foi encontrada em solo acreano e a sétima vez no país, segundo o ICMBio. De acordo com o analista ambiental Marco Antônio Freitas, um dos pesquisadores da equipe, a serpente é um animal noturno e terrestre que vive entre as folhas secas que caem no chão da floresta.
"É uma serpente rara por natureza, pouco conhecida pela ciência e não é ameaçada de extinção. Inteiramente negra no dorso, com a cabeça e barriga branca. As escamas são acarenadas, que dá o aspecto áspero ao toque. É completamente inofensiva, não morde, não tem peçonha e se alimenta de pequenos animais que vivem no folhedo da floresta", detalhou o pesquisador e especialista em répteis e anfíbios.

A pesquisa teve início em abril de 2015 e, segundo o pesquisador, inicialmente foram 22 dias de campo e em fevereiro de 2016 foram mais 15 dias no local. Em seguida, vieram as análises em laboratório. A descoberta foi transformada em um artigo científico que foi publicado no final do ano passado.
"Ela foi coletada e fixada com a devida licença do próprio órgão. Está tombada na coleção científica da Universidade Federal Rural de Pernambuco, onde sou estudante e doutorado. A gente tem que ter um animal tombado do registro, quando ele é raro ou quando precisa fazer um inventário, como foi o caso", explicou Freitas.
Estação Ecológica Rio Acre
A unidade de conservação Estação Ecológica Rio Acre fica, de acordo com o pesquisador, a 35 quilômetros de uma aldeia indígena. Em linha reta, o local fica a cerca de 70 quilômetros da cidade de Assis Brasil, distante 342 quilômetros da capital acreana, Rio Branco.
Dependendo da situação do rio, se estiver cheio ou seco, a viagem até a Estação Ecológica, que tem 77 mil hectares, pode levar até uma semana. Ao menos 110 espécieis de anfíbios e répteis foram achadas na unidade de conservação, além de mais de 400 espécieis de aves e 28 espécieis de roedores e marsupiais.
"A Estação Ecológica Rio Acre é uma das regiões mais isoladas do planeta. É uma região muito pouco conhecida, faz fronteira direta com o Peru e é uma região importante, porque está sendo utilizada como refúgio dos índios isolados da Amazônia. Então, toda e qualquer pesquisa é de extrema importância para o conhecimento da biota local, seja de fauna ou flora", finalizou Freitas.

Temer está com medo depois que a PF apreendeu celular de Geddel, diz site



Por Redação Bocão News
O presidente da República, Michel Temer (PMDB), estaria com medo depois que a Polícia Federal apreendeu o celular do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) durante a operação Cui Bono, na última sexta-feira (13). Segundo o site O Antagonista, o mandatário do país teme que mensagens trocadas por Geddel possam relacioná-lo com seu operador, José Yunes.
Recentemente, o ex-executivo da Odebrecht Cláudio Melo Filho disse em sua delação premiada que, na campanha eleitoral de 2014, foi entregue dinheiro vivo no escritório do advogado José Yunes, amigo de Michel Temer e até então assessor especial da Presidência.
Segundo o delator, a quantia entregue em São Paulo era parte de um repasse de R$ 10 milhões, combinado no Palácio do Jaburu, quando Temer, então vice-presidente da República, recebeu Marcelo Odebrecht, na época, presidente da empreiteira. O encontro ocorreu em maio de 2014, dois meses depois do início da Operação Lava Jato.

iPhone pode ter causado queda de avião egípcio


Sputnik

A queda do maior avião da EgypyAir em maio de 2016 no mar Mediterrâneo pode ter sido causada devido a gadgets na cabine de pilotagem, escreve o jornal francês Le Parisien, citando investigadores.
Os peritos detectaram uma ligação dos sinais de alerta com celular iPhone 6S, iPad mini 4 e acessórios do copiloto que estavam na cabine de pilotagem. Segundo o jornal, os investigadores descobriram isso após analisarem as filmagens das câmeras de segurança do aeroporto dos momentos em que o avião ainda não tinha decolado.
"Todos esses equipamentos estavam no canto direito da cabine de pilotagem, perto da janela, no local de onde vieram os sinais automáticos de alerta", escreve o Le Parisien.
Os peritos não excluem a possibilidade de superaquecimento das baterias de lítio dos dispositivos eletrônicos, ocasionada por uma "ligação indireta" entre os dispositivos na cabina e os sinais de alerta, acrescenta o jornal francês.
O avião A320 da EgyptAir com rota de Paris ao Cairo desapareceu dos radares em 19 de maio de 2016: 66 passageiros e membros da tripulação estavam a bordo. Os restos do voo MS804 foram encontrados pelo navio francês John Lethbridge. A caixa preta revelou que, antes da queda, o avião estava em chamas. No dia 15 de dezembro, os peritos informaram que nos corpos das vítimas foram encontrados vestígios de explosivos.

Human Rights: Trump e líderes europeus representam uma ameaça aos direitos humanos


Sputnik

A organização Human Rights Watch divulgou seu Relatório Mundial de 2017 no qual classificou o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, e vários outros líderes mundiais como ameaças aos direitos humanos.
"A eleição de Donald Trump à presidência dos EUA após uma campanha fomentando ódio e intolerância, e o crescimento da influência de partidos políticos na Europa que rejeitam direitos universais, colocaram em risco o sistema de direitos humanos do pós-guerra", afirmou a Human Rights Watch em relatório publicado em seu site em 13 de janeiro.
A organização também adverte o mundo para ficar em alerta contra a tirania no contexto de vitórias populistas.
 Trump e líderes europeus representam uma ameaça aos direitos humanos
 Trump e líderes europeus representam uma ameaça aos direitos humanos
O relatório de 687 páginas aborda questões de direitos humanos em mais de 90 países, mas os EUA e Trump tiveram uma menção específica no artigo do diretor-executivo da organização, Kenneth Roth, intitulado "The Dangerous Rise os Populism" ("A Perigosa Ascensão do Populismo", em português), no qual ele argumenta que Trump chegou à vitória usando a "Política de intolerância".
"O aumento do populismo representa uma profunda ameaça aos direitos humanos", diz Kenneth Roth.
"Trump e vários políticos na Europa procuram o poder através do apelo ao racismo, xenofobia, misoginia e nativismo. Todos eles afirmam que o público

Impeachment de Gilmar Mendes:

 Juristas pedem ao STF que anule arquivamento feito por Renan


O grupo de juristas e representantes da sociedade civil que em setembro pediu ao Senado o impeachment do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF) - formado pelos juristas Celso Antônio Bandeira de Mello, Fábio Konder Comparato, Sérgio Sérvulo da Cunha e Álvaro Augusto Ribeiro da Costa; a ativista de direitos humanos Eny Raymundo Moreira; e o ex-deputado e ex-presidente do PSB, Roberto Amaral – reforçou a medida, agora junto à própria Suprema Corte.
Na sexta-feira (13), o advogado que representa o grupo, o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcello Lavenère, protocolou no STF um Mandado de Segurança contra o ato do presidente do Senado, Renan Calheiros, que negou o seguimento do pedido de impeachment e determinou seu arquivamento imediato. O pedido foi protocolado em 13 de setembro e arquivado já no dia 21.
Renan alegou que não caberia ao Senado processar e julgar um ministro do STF por condutas atinentes exclusivamente ao cargo, função que, argumenta, seria dos órgãos próprios de fiscalização do Judiciário, em observância ao princípio da separação e harmonia dos Poderes da República. Para os juristas, no entanto, o ato do presidente do Senado foi ilegal, pelo que o Mandado de Segurança pede a sua anulação ao Supremo Tribunal e a continuidade do processo no Senado.
Gilmar Mendes e Renan Calheiros
Gilmar Mendes e Renan Calheiros
Eles contestam a competência do presidente do Senado para, isoladamente, decidir sobre o pedido, sem submetê-lo à apreciação dos demais membros da Mesa Diretora da Casa. Levantam também a questão da suspeição de Renan, que por ser réu em processo no STF, não poderia decidir sobre algo que beneficia um dos ministros que deverá julgá-lo. Por fim, apontam falta de fundamentação jurídica para justificar o arquivamento da peça.
Os juristas pedem ao STF que declare a nulidade do ato de Renan Calheiros e determine o encaminhamento do pedido de impeachment de Gilmar Mendes à Mesa do Senado, para o devido seguimento do processo de acordo com o estabelecido no Regimento Interno da Casa. E que, caso não concorde, o STF ao menos reconheça o impedimento do senador no caso e determine o envio do pedido ao seu substituto legal. O Mandado de Segurança pede ainda que, caso não seja adotada essa alternativa, o Supremo Tribunal ordene a Renan que profira outra decisão devidamente fundamentada.
Fundamentos do Mandado de Segurança
O advogado Marcello Lavenère sustenta que a decisão de Renan Calheiros afrontou o direito líquido e certo dos juristas de oferecer denúncia contra ministros do STF no Senado, assegurado pela Constituição Federal (artigo 52), pela Lei 1079/1950 (artigos 38 e 44) e pelo próprio Regimento Interno do Senado Federal (artigos 377). Esse conjunto de legislação determina que compete privativamente ao Senado processar e julgar ministros do Supremo nos crimes de responsabilidade e estabelece normas para o processo e julgamento desses crimes (artigos 379, 380 e 382 do Regimento Interno do Senado), pelas quais é da competência legal da Mesa – e não do Presidente – receber ou não a denúncia ou pedido de impeachment.
“Essa competência específica da Mesa não pode ser usurpada pela Presidência do Senado, pois os dois órgãos são distintos e têm jurisdições próprias”, afirma Lavenère, que em 1992, junto com Barbosa Lima Sobrinho, assinou o pedido de impeachment contra Fernando Collor de Mello. Ele comprova no Mandado, pelos Diários do Senado, que não houve nenhuma consulta de Renan à Mesa Diretora sobre o pedido, bem como nenhuma manifestação desta no processo.
Outro vício legal apontado pelo Mandado de Segurança é a falta de imparcialidade de Renan Calheiros ao decidir sobre pedido de impeachment contra autoridade que está prestes a julgá-lo em processos no STF. Ele foi denunciado perante o Supremo Tribunal por crime de peculato bem antes do protocolo do pedido de impeachment dos juristas - Inquérito 2.593/DF, relator ministro Edson Fachin. E, após isso, vários outros pedidos de instauração de processo criminal contra ele, encaminhados pela Procuradoria Geral da República, foram admitidos pelo STF.
“O senador Renan Calheiros estava absolutamente impedido de despachar em processo de impeachment contra o ministro Gilmar Mendes, pois tinha conhecimento da possibilidade de vir a ser julgado por ele em virtude desses processos e é inegável seu interesse em não contrariá-lo ao denegar o pedido”, afirma Lavenère no Mandado. A imparcialidade, destaca ele, é elemento nuclear do exercício das funções estatais, especialmente do devido processo legal. Por isso, a ausência de isenção é tratada nos Códigos de Processo Penal (CPP) e Civil (CPC), que determinam que o juiz não poderá exercer jurisdição no processo em que ele próprio for diretamente interessado no feito. “Esta conjuminância de réu e juiz, juiz e réu, é inaceitável no sistema jurídico brasileiro”, resume o advogado.
O Mandado de Segurança também rebate os argumentos de Renan para negar o pedido de impeachment - de que não havia justa causa para embasar o processamento da denúncia e que esta havia sido amparada exclusivamente em matérias jornalísticas e supostas declarações do ministro Gilmar Mendes. Para os juristas, a fundamentação do presidente do Senado foi apenas aparente e tem omissões flagrantes sobre os pressupostos legais que justificariam a medida.
“Sobre a justa causa, ele usou tão somente uma petição de princípio, que não preenche a exigência jurisprudencial. E sobre o amparo em matérias jornalísticas, seu próprio despacho o contradisse ao mencionar, mais adiante, ‘o conjunto probatório carreado aos autos’ (sic)”, pontuou o advogado Marcello Lavenère. “A denúncia foi, sim, acompanhada de conjunto probatório: autos judiciais, atas e acórdãos do STF, além de arrolar testemunhas e protestar pela apresentação de outras. O farto material jornalístico referido foi anexado porque a conduta do ministro Gilmar Mendes contestada no pedido de impeachment consistiu precisamente no uso da imprensa para declarações partidárias, incompatíveis com a dignidade e o decoro de suas funções”.
Fundamentos do Pedido de Impechament
No pedido protocolado em setembro no Senado, o grupo de juristas acusa o ministro Gilmar Mendes de adotar "comportamento partidário", mostrando-se leniente com relação a casos de interesse do PSDB e "extremamente rigoroso" no julgamento de casos de interesse do PT e de seus filiados, "nomeadamente o ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, não escondendo sua simpatia por aqueles e sua ojeriza por estes".
Para os autores, o ministro tem ofendido a Constituição, a Lei Orgânica da Magistratura e o Código de Ética da Magistratura ao não atuar com imparcialidade e conceder frequentes entrevistas nas quais antecipa seus votos e discute o mérito de questões sob julgamento do STF. Além disso, eles acusam Mendes de atuar de maneira desrespeitosa também durante julgamentos e utilizar o cargo a favor dos interesses do grupo político que defende.
O ministro, apontam os juristas, tenta ainda atuar como legislador ao sugerir e reclamar mudanças na legislação eleitoral, na condição de presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), criticando leis que "lhe cumpre aplicar".

" A cartada final de Lula"



Por Ruy Fabiano - O Globo - 14/01/2016
Lula continua encenando o papel de presidenciável. Sabe que as chances reais de exercê-lo de fato são tão remotas quanto as de Dilma Roussef voltar à vida pública.Lula é réu em cinco processos criminais - e em breve o será de outros mais, podendo ser preso a qualquer momento.Queixa-se com frequência de que já não pode comparecer a locais públicos sem ouvir desaforos. Viajar em aviões comerciais, nem pensar. Viaja em jatos particulares, cedidos por amigos. Hoje, só fala a plateias amestradas – e mesmo aí já enfrenta resistências.
Na quinta-feira, por exemplo, num encontro em Brasília, foi vaiado pelo PSTU, legenda da esquerda radical que o considera um traidor da causa. E a causa, óbvio, é a revolução, abandonada ou negligenciada na medida em que Lula enriquecia e se aburguesava.
Com todas essas credenciais adversas, Lula insiste, como disse esta semana em Salvador, em que, “se for necessário”, voltará a disputar a presidência da República. Não esclarece que necessidade seria essa. Do país, seguramente, não é.
O rastro de destruição – política, econômica, social e moral - que o período por ele inaugurado, em 2003, e encerrado em 2016 com Dilma, deixou confere-lhe uma das maiores taxas de rejeição de toda a história. Dilma é parte de sua obra, concluída com um impeachment e a revelação do maior escândalo de corrupção já visto em todo o mundo. Corrupção e má gestão, soma fatal, que impôs ao país a crise atual, da qual procura acusar os que a herdaram.
Diante de tal cenário, sua candidatura a presidente só não é uma piada porque serve a uma causa real: sua blindagem, pessoal e política. Mantendo-se presente e atuante no cenário público, dá concretude àquilo que dele falou o presidente Michel Temer, a quem finge odiar, mas com cuja complacência tem contado.
Temer, numa recente entrevista ao programa Roda Viva, se disse contrário à prisão de Lula por achar que tumultuaria a paz pública. Com isso, conferiu-lhe um prestígio que já não tem – e o transfigurou em salvo conduto, inibindo, de maneira oblíqua, a ação dos que têm a responsabilidade de fazê-lo pagar por seus delitos.
Não parece ter sido por mera simpatia que o fez. Temer receia o que está por vir – as delações, sobretudo as da Odebrecht - e parece inclinado a estabelecer um armistício com o PT, de que dá testemunho a preservação de aliados da velha ordem em cargos estratégicos da administração pública.
PMDB e PT, afinal, foram parceiros. Embora o comando da Organização Criminosa (nas palavras de Celso de Melo, do STF) coubesse ao PT, o PMDB desfrutava de alguns feudos dentro da máquina pública, de que dão notícias operações da Polícia Federal.
A mais recente delas, ontem efetuada, flagrou uma rapina organizada dentro da Caixa Econômica Federal, entre 2011 e 2013, envolvendo o então presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e o vice-presidente daquela instituição, Geddel Vieira Lima, até há pouco ministro do núcleo duro do governo Temer.
Para sorte de Temer, Geddel caiu antes desse escândalo, por outro comparativamente menor. Mas a lama do PT, como é óbvio, salpicou também – e com frequência - no PMDB.
Lula investe nisso ao atacar o governo Temer, ao tempo em que busca um protagonismo oposicionista, que o transfigure de mero (ou por outra, mega) gatuno em perseguido político.
É um jogo esquizofrênico em que, de um lado, pede a cabeça do presidente da República e, de outro, manda PT e aliados apoiar o candidato do Planalto à presidência da Câmara, Rodrigo Maia.
Claro está, portanto, que não postula a presidência para valer; quer apenas tornar mais complexa ou mesmo impossível a operação de colocá-lo atrás das grades. Joga sua cartada final.