segunda-feira, 27 de março de 2017


TSE libera para julgamento ação que pede cassação da chapa Dilma-Temer


A última etapa do processo foi concluída pelo relator

por
Agência Brasil
Publicada em TRIBUNA DA BAHIA
O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Herman Benjamin liberou nesta segunda-feira (27/3) para julgamento a ação em que o PSDB pede a cassação da chapa Dilma-Temer, que disputou as eleições presidenciasis de 2014.
Com a decisão, a ação poderá ser julgada a partir da semana que vem, mas caberá ao presidente do tribunal, Gilmar Mendes, marcar a data. Herman é o relator do processo.
A última etapa do processo foi concluída nesta tarde pelo relator, que enviou aos demais integrantes do colegiado o relatório final. Ao concluir o processo, Herman pediu a Gilmar Mendes que inclua o processo imediatamente na pauta, conforme prevê a Lei de Inelegibilidade (Lei Complementar 64/1990).
No relatório, que é mantido em sigilo pelo relator, há uma síntese sobre a fase de coleta de provas, entre elas os depoimentos de delação premiada de ex-executivos da empreiteira Odebrecht, que citaram supostos pagamentos irregulares para a campanha presidencial.  O voto de Herman Benjamin será conhecido somente no dia do julgamento.
Apesar do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, a ação prosseguiu porque os dois integrantes da chapa podem ficar inelegíveis por oito anos se o TSE entender pela cassação do resultado da eleição de 2014.
Composição do TSE
O TSE é formado por sete ministros, dois oriundos do Supremo Tribunal Federal,  Gilmar Mendes e Luiz Fux; dois do Superior Tribunal de Justiça, Herman Benjamin e Napoleão Nunes Maia Filho;  e dois da advocacia, Luciana Lóssio e Henrique Neves.
Nos próximos dois meses, Neves e a ministra Luciana vão encerrar seus mandatos no TSE e serão substituídos. O STF já indicou para ocupar a vaga de Henrique Neves o nome de três advogados. Fazem parte da lista tríplice elaborada pelo STF os advogados Admar Gonzaga e Tarcísio Vieira, que já atuam como substitutos no TSE, e Sérgio Silveira Banhos. Gonzaga foi o mais votado da lista, com oito votos. Caberá ao presidente Michel Temer fazer a indicação.
Processo
Em dezembro de 2014, as contas da campanha da então presidenta Dilma Rousseff e de seu companheiro de chapa, Michel Temer, foram aprovadas com ressalvas, por unanimidade, no TSE. No entanto, o processo foi reaberto porque o PSDB questionou a aprovação, por entender que há irregularidades nas prestações de contas apresentadas por Dilma, que teria recebido recursos do esquema de corrupção investigado na Lava Jato. Segundo entendimento do TSE, a prestação contábil da presidenta e do vice-presidente é julgada em conjunto.
A campanha de Dilma Rousseff nega qualquer irregularidade e sustenta que todo o processo de contratação das empresas e de distribuição dos produtos foi documentado e monitorado. No início do mês, a defesa do presidente Michel Temer sustentou no TSE que a campanha eleitoral do PMDB não tem relação com os pagamentos suspeitos. De acordo com os advogados, não se tem conhecimento de qualquer irregularidade no pagamento dos serviços.

Financial Times: Brasil suspira aliviado com volta da exportação de carne

Financial Times: Brasil suspira aliviado com volta da exportação de carne

China, Chile e Egito voltaram a importar carne brasileira enquanto investigação continua


O jornal britânico Financial Times deu destaque à volta da importação de carne brasileira por países como a China, que responde por cerca de um terço das exportações brasileiras de carne.
O jornal lembrou que outros grandes clientes do Brasil, como Chile e Egito, também retiraram a suspensão das importações de carne nacional, a despeito das investigações em andamento sobre alegações de corrupção entre fiscais sanitários e produtores nacionais.
Para o jornal, a retirada da suspensão é uma boa notícia para o governo Temer, “que está lutando com a pior recessão do país em mais de um século.”
Polícia Federal investiga a venda ilegal de carnes por frigoríficos brasileiros
Polícia Federal investiga a venda ilegal de carnes por frigoríficos brasileiros
A resposta da JBS e BRF, empresas envolvidas no escândalo, também recebeu espaço no jornal. Foi destacado que elas negaram qualquer erro e afirmaram não tolerar corrupção em suas operações. “Elas também afirmaram não ter vendido produtos de má-qualidade. A polícia não está investigando se tanto a JBS ou a BRG venderam carne podre, se concentrando nas alegações de tais práticas entre operadores menores”, ressaltou o artigo do Financial Times.
O jornal deu destaque às avaliações de analistas, para os quais a boa notícia do reinício das exportações para a China ainda fica à sombra da investigação em curso sobre as supostas violações. “Membros do governo e sua base aliada já estão envolvidos em um esquema envolvendo a estatal Petrobras e uma das maiores empreiteiras do país, a Odebrecht. O senhor Temer tem necessitado de toda a credibilidade que puder reunir para conseguir passar difíceis reformas no Congresso. Incluindo uma reforma no caro sistema previdenciário do país”, disseram analistas ao jornal.

Governo discute com líderes possível judicialização da reforma da Previdência


Para Temer, reforma da Previdência precisa ser feita com urgência
Para Temer, reforma da Previdência precisa ser feita com urgência
Preocupados com a possibilidade de se avançar ações no Judiciário contra a reforma da Previdência, integrantes da cúpula do governo se reúnem na tarde desta segunda-feira, 27, com líderes da base aliada para discutir o tema.

O encontro previsto para ocorrer a partir das 17h no Palácio do Planalto deverá ser conduzido pelo ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. A reunião também deverá contar com a participação do líder do governo no Congresso, deputado André Moura (PSC-SE), do líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PE), e do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).

Apesar dos discursos realizados na semana passada, por parte de integrantes da base, de que a retirada dos servidores municipais e estaduais da proposta diminuirá a pressão nos redutos eleitorais, dentro do governo ainda se busca um caminho para viabilizar tal medida. A decisão, anunciada pelo presidente Michel Temer, ainda é estudada por integrantes da equipe econômica do governo, que buscam alternativas para inseri-la no relatório final do projeto que, atualmente, tramita em Comissão Especial da Câmara.

Um dos pontos que ainda causa controvérsia é a previsão constitucional de que é prerrogativa da União estabelecer as regras gerais de Previdência de servidores públicos. Se esse entendimento for pego ao pé da letra poderá ser considerado inconstitucional a decisão de Temer de transferir aos Estados e municípios uma iniciativa que, em tese, compete ao governo federal.

Preço da carne cai em Belo Horizonte e Região Metropolitana


Houve recuo de preços em vários cortes da carne bovina
Houve recuo de preços em vários cortes da carne bovina
Pesquisa realizada pelo site Mercado Mineiro mostrou que as carnes bovina, suína e de frango registraram queda de preço nos açougues de Belo Horizonte e Região Metropolitana. O recuo generalizado ocorre poucos dias após a Polícia Federal deflagrar a Operação Carne Fraca, que colocou em xeque a fiscalização do setor e a qualidade da carne brasileira. Desde o último dia 17, vários importadores levantaram embargos ao produto nacional, o que vem sendo revertido aos poucos pelo governo brasileiro. 
O levantamento foi realizado entre os dias 20 e 23 de março em 35 estabelecimentos, dentre açougues, frigoríficos e casas de carne. No comparativo entre os preços médios praticados em janeiro e a semana passada, o maior recuo foi do peito resfriado (-30,23%). Em janeiro, o corte custava, em média, R$ 8,37, passando agora para R$ 7,29. 
Dentre os cortes bovinos, o contra-filé teve o preço reduzido em 7,63%, passando de R$ 28,82 para R$ 26,62. Já o patinho, que custava R$ 22,12, caiu para R$ 21,40, redução de 3,25%. O miolo de alcatra, que caiu -5,18%, foi de R$ 29,90 para R$ 28,35, e a chã de dentro caiu de R$ 25,15 para R$ 23,31, redução de -7,32%.
Já nos cortes suínos, a maior queda foi do pernil (-6,89%). Em janeiro, o corte custava R$ 12,33 e, agora, R$ 11,48. O lombo inteiro, que custava R$ 14,83, caiu para R$ 14,44, queda de -2,63%.  
A salsicha, porém, foi na contramão das outras carnes, com um aumento de 2,73% entre  janeiro de 2017 e a semana passada. O quilo custava R$ 6,60, passando para R$ 6,78.
Diferenças entre estabelecimentos
Com ou sem ameaça à reputação da carne brasileira, continua valendo a pena pesquisar. De acordo com o levantamento, para os cortes de frango foram identificadas variações de até 116,86%, como é o caso do coraçãozinho, que tem preços variando entre R$ 10,99 e R$ 23,75. Já o peito resfriado apresentou variação de 88,27%, podendo ser encontrado em valores de R$ 5,79 a R$ 10,90.
O pacote do carvão apresenta preços entre R$ 9,99 e R$ 5,99, com variação de 66,78% e média de R$ 7,19.
Entre as carnes bovinas, a maminha foi a que apresentou a maior variação, chegando a 233% e preços entre R$ 16,49 e R$ 54,95. O miolo de alcatra pode custar de R$ 19,99 a R$ 38,95, variando 94,85%, e a fraldinha tem preços de R$ 14,00 a R$ 69,95, variação de 88,50%.

Nos cortes suínos as variações também são impressionantes. O lombo inteiro, por exemplo, apresenta preços entre R$ 9,95 e R$ 22,90, variação de 130%. A costela tem variação de 150%, chegando a custar de R$ 7,95 a R$ 19,95. O pernil sem osso varia de R$ 9,45 a R$ 19,90, diferença de 110%. A salsicha, por sua vez, apresenta preços entre R$ 4,99 e R$ 8,99, uma variação de 80,16%.

Média diária de exportação de carne caiu 19% na semana seguinte após operação da PF


Operação Carne Fraca da Polícia Federal investiga 21 frigoríficos
Operação Carne Fraca da Polícia Federal investiga 21 frigoríficos
O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) informou que a média diária de exportação do grupo carnes (incluindo bovina, suína, frango e outras) caiu 19% na quarta semana de março (dias 20 a 26), na comparação com o acumulado do mês até a terceira semana. Nos 19 primeiros dias de março, a média diária de embarques do produto foi de US$ 62,2 milhões.
Já na semana passada, após a Operação Carne Fraca, a média por dia de vendas externas foi de US$ 50,5 milhões.
Ainda assim, a média diária de exportações total do Brasil na quarta semana foi de US$ 890,6 milhões, 0,4% superior à média de US$ 886,9 milhões verificada em março até a terceira semana do mês.

Produtora de Claudia Leitte vai a CPI e pode ter que devolver R$ 1,2 milhão


O escritório de advocacia que representa a produtora afirma que todos os eventos foram realizados

Publicada em TRIBUNA DA BAHIA
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga irregularidades nas concessões de benefícios fiscais repassados a ações culturais por meio da Lei Rouanet ouve, nesta terça-feira (28/3), o sócio-administrador da produtora Ciel, Claudio de Oliveira Inácio Junior.
Em outubro de 2016, a Ciel teve rejeitada a prestação de contas de um projeto de shows da cantora Claudia Leitte, pelo Norte, Nordeste e Centro-Oeste, que havia sido autorizado a captar recursos via Lei Rouanet.

O Ministério da Cultura pede que a cantora devolva R$ 1,2 milhão aos cofres públicos - dinheiro captado por meio da Lei Rouanet. O ministério alega que a produtora não cumpriu regras legais de distribuição e venda de ingressos.

O escritório de advocacia que representa a produtora, no entanto, afirma que todos os eventos foram realizados e podem ser comprovados.

A audiência será realizada no plenário 6, a partir das 14h30, a pedido do relator da CPI, deputado Domingos Sávio (PSDB-MG).

Mulher trabalha 5,4 anos a mais do que homem, diz estudo do Ipea


O trabalho extra é resultado dos afazeres domésticos

por
Mariana Branco - Repórter da Agência Brasil
Publicada em TRIBUNA DA BAHIA
Foto: Arquivo/Agência Brasil
Mulheres trabalham 5,4 anos a mais que os homens, aponta estudo do Ipea
A mulher trabalha 5,4 anos a mais do que o homem ao longo de cerca de 30 anos de vida laboral, segundo simulação do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).
O trabalho extra é resultado dos afazeres domésticos. O cálculo foi feito a partir de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
De acordo com o Ipea, nesse período de aproximadamente 30 anos, as mulheres somam, em média, 22,4 anos de contribuição para a Previdência Social. Um total de 44,4% das mulheres às quais foram concedidas aposentadorias em 2014 atingiram até 20 anos de contribuição.
A pesquisadora do Ipea Joana Mostafá explica que essas informações foram obtidas por meio de uma parceria que possibilitou o acesso a microdados do extinto Ministério da Previdência Social – atualmente Secretaria da Previdência Social, vinculada ao Ministério da Fazenda.
Segundo Joana, as interrupções na contribuição previdenciária feminina são causados por situações como desemprego, trabalho informal, afastamento do mercado de trabalho para cuidar dos filhos, entre outras.
Com base nesse cenário, o Ipea lançou uma nota técnica na última semana na qual defende que as idades de aposentadoria de homens e mulheres devem ser diferentes.
“A princípio, a diferença [no sistema em vigor hoje, em que a mulher se aposenta cinco anos mais cedo que o homem] é justificada”, disse a pesquisadora. Atualmente, para se aposentar, o homem deve acumular 35 anos de contribuição e a mulher, 30. Há ainda a opção da aposentadoria por idade, que exige 15 anos de contribuição e idade de 65 anos para o homem e 60 anos para a mulher.
A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, de reforma da Previdência, atualmente em discussão na Câmara dos Deputados, altera esse modelo e estabelece como condição para a aposentadoria no mínimo 65 anos de idade e 25 anos de contribuição para homens e mulheres. Um dos argumentos do governo para a mudança é que as mulheres vivem mais que os homens.
Acordo social
Segundo dados do IBGE, ao atingir os 65 anos, a mulher tem uma sobrevida 3,1 anos superior à do homem. Mas, para Joana Mostafá, usar a sobrevida como base para equiparação das aposentadorias está em desacordo com a função da Previdência.
“O acordo da Previdência é um acordo social. Ele visa, entre outras coisas, compensar algumas desigualdades do mercado de trabalho”, afirma.
A pesquisadora destaca que outros fatos, além da jornada dupla de trabalho, distanciam a realidade feminina da masculina. “Estamos falando da desigualdade ocupacional, da diferença de salários e da taxa de desemprego, que é maior entre as mulheres do que entre os homens. A mulher poderia contribuir mais [para a Previdência] se não fossem essas dificuldades”, afirma.
A pesquisadora Luana Mhyrra, professora do Departamento de Demografia e Ciências Atuariais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), corrobora dizendo que os sistemas nos quais os participantes ganham de acordo com o que poupam e com o tempo que contribuem são modelos de capitalização, diferentes da proposta previdenciária brasileira.
“Os fundos de Previdência complementar [privados] são exemplos de fundos capitalizados, que atualizam e capitalizam o dinheiro aplicado pelo contribuinte. Isso não se aplica ao RGPS [Regime Geral da Previdência Social] do Brasil, uma vez que quem contribui hoje não o faz para sua própria aposentadoria e sim para aqueles que já estão aposentados. Pensar que a mulher precisa contribuir mais porque vive mais é coerente quando se pensa em um fundo capitalizado”, ressalta.
Queda na desigualdade
De acordo com o governo, ao equiparar-se a idade de aposentadoria masculina e feminina, a desigualdade no mercado de trabalho tende a cair. Recentemente o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que a defasagem entre os salários de homens e mulheres acabará em até 20 anos.
A pesquisadora Joana Mostafá admite que tem havido uma redução na desigualdade de renda. Segundo ela, dados da Pnad apontam que em 1995 o rendimento da mulher equivalia a 55% do rendimento dos homens. Passados 20 anos, em 2015, esse percentual havia subido para 76%. Joana alega, entretanto, que a melhora não é verificada em outros indicadores. Ela cita como exemplo a participação da mulher no mercado de trabalho. “Desde 2005, está em 60%. Não se move”, afirma.
Em debate na Câmara dos Deputados, a assessora especial da Casa Civil da Presidência da República Martha Seiller disse que as justificativas para manutenção da diferença de idade mínima para aposentadoria entre homens e mulheres já não se sustentam como antigamente.
Martha lembrou que a pirâmide demográfica brasileira está cada vez mais desfavorável à manutenção de um sistema previdenciário equilibrado, já que a base jovem tem diminuído, devido à queda na taxa de natalidade, ao crescente número de idosos no topo, com o avanço da expectativa de vida. "Como é que esse sistema previdenciário sobrevive com uma mudança tão brusca na taxa de natalidade e expectativa de vida sem passar por mudanças?", questionou.
A assessora da Casa Civil disse que as regras de transição previstas na reforma para vigorar em 20 anos podem compensar as desigualdades ainda existentes. Ela acrescentou que a diferença de cinco anos é a maior entre os regimes de outros países que ainda consideram a necessidade de diferenciação.

WhatsApp te dará 2 minutos para apagar mensagens enviadas


Novo recurso permite apagar mensagem sem deixar rastros, impedindo que o destinatário leia o texto

por
Leia Já , site parceiro da Tribuna da Bahia Online
Publicada em TRIBUNA DA BAHIA
Foto: Pixabay/Creative Commons
Os usuários terão dois minutos para fazer isso
O WhatsApp, que pertence ao Facebook, está testando uma função que vai permitir apagar uma mensagem já enviada em uma conversa, evitando que o destinatário leia o texto.
Os usuários terão dois minutos para fazer isso. A ferramenta já havia surgido em uma outra versão do aplicativo, mas o limite de tempo era de 29 minutos. A novidade foi descoberta pelo WABetaInfo.
Na versão atual do WhatsApp, apagar uma mensagem só serve para fazer o texto desaparecer da sua conversa, mas o restante dos contatos ainda pode ler o que foi enviado. Uma vez que o usuário aperta o botão de enviar, é tarde demais para se arrepender.
Mas a nova função vai permitir ao usuário apagar uma mensagem completamente, sem deixar rastros, em um período de dois minutos. O destinatário não conseguirá ler o texto, mas vai receber um alerta avisando que o remetente revogou a informação.
O aplicativo Telegram, rival do WhatsApp, já possui este recurso desde janeiro. A função permite que o usuário apague aquela mensagem enviada por engano antes que a outra pessoa veja em até 48 horas. A ferramenta vale também para mídias como fotos e vídeos e funciona tanto nas conversas individuais quanto para os grupos.

Carne Fraca: governo atualiza lista de países que restringem o produto


A relação foi atualizada às 13h desta segunda-feira, 27, pelo Ministério da Agricultura (Mapa)

por
Estadão Conteúdo
Publicada em TRIBUNA DA BAHIA
Mesmo com a reabertura dos mercados da China, Chile e Egito à carne brasileira, atualmente chega a 31 o número de mercados que adotaram algum tipo de restrição ao produto nacional ou solicitaram informações adicionais ao País, por causa da Operação Carne Fraca.
Nesta semana, entraram para lista Peru, que fez a suspensão temporária de dois frigoríficos, além do Bahrein, Marrocos, Zimbábue, Santa Lúcia e Irã. A relação foi atualizada às 13h desta segunda-feira, 27, pelo Ministério da Agricultura (Mapa).

A lista mostra que dez mercados decidiram suspender as compras apenas das unidades frigoríficas investigadas na Operação Carne Fraca da Polícia Federal e que outros 14 mercados mantêm algum tipo de suspensão ao produto nacional.
Relaciona, ainda, outro mercados que reforçaram o controle pelas autoridades sanitárias (aqui entram os Estados Unidos) e mais um que enviou pedido de informação ao Brasil (Irã). Veja abaixo a relação atualizada):

REABERTOS 

China: reaberto em 25/março; SIF 530 suspenso; registro de 7 veterinários brasileiros cancelados.

Chile: reaberto em 25/março; 21 SIFs envolvidos permanecem sob suspensão temporária.

Egito: reaberto em 25/março 21 SIFs envolvidos permanecem sob suspensão temporária.

Coreia do Sul: reaberto em 21/março; aumento de amostras inspecionadas.

MERCADOS QUE ACOLHERAM DECISÃO DO BRASIL DE SUSPENDER APENAS SIFs INVESTIGADOS

Japão: suspensão temporária de 21 SIFs envolvidos.

África do Sul: suspensão temporária e pedido de informações de 6 SIFs exportadores.

União Europeia: suspensão temporária, intensificação de controles sanitários (100% das exportações brasileiras de produtos agrícolas) e pedido de informações detalhadas sobre 21 SIFs (decisão mantida em 24/3).

Suíça: suspensão temporária e pedido de informações detalhadas sobre 21 SIFs (segue UE).

Arábia Saudita: suspensão temporária e pedido de informações de 4 SIFs envolvidos (530, 1010, 270 e 2156).

Canadá: suspensão temporária de 2 SIFs envolvidos.

Emirados Árabe: suspensão temporária de 6 SIFs exportadores

Vietnã: suspensão temporária de 21 SIFs envolvidos

Peru: suspensão temporária de 2 SIFs e suspensão por 180 dias de novos pedidos de habilitação.

Bahrein: suspensão temporária de 4 SIFs envolvidos (segue Arábia Saudita)

MERCADOS COM BARREIRAS APLICADAS PARA ALÉM DOS 21 SIFs SUSPENSOS PELO MAPA 

Hong Kong: suspensão temporária e recall no mercado de produtos provenientes dos 21 SIFs envolvido

Temer deve sancionar terceirização antes de Senado votar alternativa


O texto encaminhado para sanção do peemedebista na semana passada permite, entre outros pontos, que a terceirização seja feita de forma irrestrita

BAHIA.BA
Foto: Beto Barata/ PR | Agencia Brasil
Foto: Beto Barata/ PR | Agencia Brasil

O projeto alternativo sobre a terceirização que tramita no Senado não deverá ser aprovado antes de o presidente Michel Temer sancionar o texto aprovado pelos deputados na última quarta-feira (22).
O texto encaminhado para sanção do peemedebista na semana passada permite, entre outros pontos, que a terceirização seja feita de forma irrestrita, isto é, realizada tanto na atividade-meio quanto na atividade-fim.
O projeto, atualmente, é visto por integrantes do Palácio do Planalto como um complemento ao projeto da Câmara, considerado muito liberal por sindicatos e pela oposição.

Samsung oferece até R$ 2.4 mil em aparelho usado para desconto na compra de um celular novo


O DEFENSOR
Quem pensa em comprar algum smartphone da família Galaxi s7 e Galaxi A 2017 pode dar o celular antigo como entrada e pagar a diferença na promoção da Samsung. A ação faz parte do programa Trade In, uma parceria entre a marca e a Trocafone, e é válida até o próximo domingo (2). O bônus máximo para descontos chegar até R$ 2,4 mil.
Segundo a Samsung, o consumidor precisa verificar se seu modelo de tablet ou smartphone está na lista do programa de Trade In da Samsung. Basta ir a uma Loja Samsung ou procurar na lista. Se o modelo for contemplado pela promoção, o próximo passo é a análise do aparelho usado nas Lojas Samsung.
Lá eles vão avaliar ano de lançamento, marca, modelo e avarias do aparelho. Após a análise, o consumidor poderá usar o bônus na compra do novo modelo. “Nestes primeiros meses de 2017, queremos demonstrar como os modelos das famílias Galaxy S7 e Galaxy A 2017 são os mais inovadores do mercado, oferecendo vantagens exclusivas para os clientes Samsung”, explicou Demetrius Oliveira, diretor da Divisão de Samsung Stores, Loja Online e Acessórios da Samsung Brasil.
Bônus e troca
Para os consumidores que adquirirem um Galaxy S7, o consumidor irá receber a avaliação do aparelho usado, que pode chegar até R$ 1,4 mil. A Samsung ainda oferecerá um bônus de R$ 750, apenas para a troca do celular usado iPhone 4S ou inferior, ou R$ 1 mil, apenas para a troca do celular usado iPhone 5 ou superior, totalizando um desconto de até R$ 2,4 mil.
Já para a compra de um Galaxy A5 2017 ou um Galaxy A7 2017, a Samsung garante um bônus extra de até R$ 300 para compra. Esse valor será acrescentado na avaliação do aparelho ofertado para a troca. Nesse caso, o desconto pode chegar a R$ 1,7 mil.
Pela internet
Também é possível fazer o processo pela internet. Basta entrar no site da Samsung e seguir os passos: Avaliar o celular usado, comprar o um novo aparelho na Loja Samsung Online. Após receber o produto, o consumidor deve usar o cupom enviado por e-mail para vender seu celular usado para a Trocafone por + 20%. Depois disso, basta enviar o aparelho e receber o pagamento. (Informações: Correio)

Direito é o curso melhor avaliado na Uesc, segundo Enade


De acordo com o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) de 2015, as universidades estaduais do Estado (Uneb), Campus de Salvador, de Vitória da Conquista (Uesb) e de Itabuna/Ilhéus (Uesc), ficaram entre as melhoras do Brasil, superando a média nacional em algumas disciplinas, ao conseguir Conceito Preliminar de Curso (CPC) mais alto que instituições particulares e outras públicas. Os resultados foram divulgados este mês pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anízio Teixeira (Inep). Alguns cursos se aproximaram da nota máxima (5), como é o caso de Psicologia da Uneb (campus de Salvador), avaliado com 4,7422, ficando, em terceiro lugar - seguido da Universidade Federal do Recôncavo –UFRB (7º) e Universidade Federal da Bahia - Ufba (10º) - entre as graduações da disciplina no País. A explicação para o desempenho é o enquadramento às diretrizes curriculares. A Uneb, em Salvador e Juazeiro, também foi bem avaliada pelo Enade – exame que todo estudante concluinte precisa fazer para obter o diploma - no curso de Direito, com notas 4,3391 e 4,0616, respectivamente. A Uesb (Conquista) teve destaque nos cursos de Administração (4,0915) e Direito (4,0886). Na Uesc, o curso mais bem avaliado foi o de Direito, com a nota 4,0278.

Ex prefeito entra com recurso no TSE para cassar atual de Iguaí


O prefeito de Iguaí, Rony Moitinho (PSD) foi denunciado no Tribunal superior eleitoral (TSE) pela coligação “ Juntos para novas realizações”, do ex-prefeito Murilo Veiga (DEM), pela acusação de ter tidos suas contas rejeitadas pela câmara municipal. Rony Moitinho teve seu registro de candidatura indeferido pela justiça eleitoral local, mas conseguiu o deferimento no Tribunal Regional eleitoral (TRE). O relator do processo é o Ministro Napoleão Nunes Maia Filho. Se o TSE indeferir o registro de candidatura de Rony Moitinho, ele perderá o mandato o presidente da câmara assumirá até a realização de uma nova eleição. (PSB)

Ministério da Agricultura anuncia interdição de mais dois frigoríficos


A decisão de interditar as empresas foi tomada após fiscais auditarem as unidades

BAHIA.BA
Foto: Agência Reuters
Foto: Agência Reuters

O Ministério da Agricultura informou, nesta segunda-feira (27), que mais dois frigoríficos alvos da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, foram interditados: Souza Ramos, em Colombo, e Transmeat, em Balsa Nova, ambos no Paraná.
De acordo com o governo federal, a decisão de interditar os frigoríficos foi tomada após fiscais auditarem as unidades. O Planalto não chegou a especificar os motivos, somente informou que foram encontrados indícios de falhas.
No dia 17 de março, quando a força-tarefa foi deflagrada pela PF, três frigoríficos já haviam sido interditados: um da BRF, em Mineiros (GO), e dois da Peccin Agro Industrial, um em Curitiba (PR) e outro em Jaraguá do Sul (SC).

Em seis anos, País desativa 10,1 mil leitos pediátricos na rede pública


A situação da rede hospitalar para crianças no País preocupa

por
Estadão Conteúdo
Publicada em TRIBUNA DA BAHIA
Brayan tinha só um dia de vida quando foi diagnosticado com disfunção cardíaca grave. Os médicos da maternidade avisaram à família que ele teria de ser transferido para um hospital especializado e passar por cirurgia o mais rápido possível. Quanto mais o procedimento demorasse, maior era o risco de morte A vaga, porém, só saiu três meses depois, quando a família entrou com ação na Justiça. "Toda noite era uma angústia. A gente ia embora do hospital e não sabia se ele estaria vivo no outro dia", diz a atendente Érica Bezerra de Melo, de 25 anos, mãe do bebê.
Brayan, hoje com 6 meses, aguentou esperar e sobreviveu à cirurgia. Já Luan, nascido em novembro, não suportou tamanha demora. Diagnosticado também com problema no coração, o bebê morreu com só 70 dias, após aguardar um mês por um leito que nunca foi liberado. "A gente tenta acreditar que ele veio para esse mundo numa missão. Ou a gente pensa assim ou fica revoltado", diz a prima do menino, a estudante Maria de Jesus Araújo, de 19 anos.
A situação da rede hospitalar para crianças no País preocupa. Entre 2010 e 2016, o Sistema Único de Saúde (SUS) fechou quase 10,1 mil leitos de internação em pediatria clínica (para pacientes de 0 a 18 anos), segundo levantamento inédito feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria e obtido com exclusividade pelo jornal O Estado de S. Paulo. Em 2010, a rede pública tinha 48,2 mil vagas do tipo (entre leitos próprios e conveniados). Em 2016, caiu para 38,1 mil.
Só em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) neonatais, estruturas necessárias para atender recém-nascidos em estado grave, como Brayan e Luan, faltam 3,2 mil leitos, conforme parâmetro da Sociedade de Pediatria. Segundo a entidade, são necessários ao menos 4 leitos do tipo por mil nascidos vivos. No País, a taxa atual é de 2,9.
"É uma situação gravíssima porque as crianças muitas vezes chegam a um serviço de pronto-socorro e não têm para onde ser encaminhadas. Sofrem a família, a criança e a equipe médica", afirma Luciana Rodrigues Silva, presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria.
Ela atribui a situação à falta de investimento do Ministério da Saúde na área. "Muitos serviços estão fechando as portas por uma questão financeira. Há ainda casos de unidades desativadas porque não têm profissionais suficientes no quadro."
Dificuldade. Nascido no interior do Tocantins, Luan foi um dos cinco bebês que morreram nos últimos meses no Estado à espera de transferência. No caso dessas crianças, a dificuldade era ainda maior do que a oferta do leito. Não há, em todo o Tocantins, serviço que faça cirurgia cardíaca infantil. O governo estadual depende da liberação de vagas em Goiás, que também enfrenta déficit de leitos.
"Como não há o serviço organizado aqui, sempre que surge paciente com essa necessidade, o Estado fica no escuro, tentando resolver de última hora e achar a vaga em outros locais", explica Maria Roseli de Almeida Pery, promotora do Ministério Público Estadual (MPE) do Tocantins. Após as mortes dos bebês, ela entrou com ação civil pública para tentar obrigar a Secretaria Estadual da Saúde a criar uma unidade de saúde que absorva a demanda.
Maria de Jesus até chegou a procurar o MPE na tentativa de conseguir a transferência de Luan. "Entraram com ação, mas aí tem muita burocracia na Justiça, teve o feriado de carnaval no meio e as coisas não andavam. No dia 1º de março, na Quarta-Feira de Cinzas, ele não aguentou mais", afirma.
O quadro dramático não se limita a regiões com estrutura mais precária. São Paulo, Estado mais rico do País, é também o que mais perdeu leitos pediátricos no período. No Estado, a Defensoria Pública acumula casos de crianças da capital que só conseguiram vaga por decisão judicial ou cuja sentença favorável chegou tarde.
"A fila é a coisa mais cruel que existe porque quem cuida da regulação dos leitos acaba tendo que brincar de ser Deus, organizando por gravidade os que vão conseguir", afirma Flávio Américo Frasseto, defensor público da Infância e Juventude.
Embora tenha tido alta, Brayan vai precisar de cirurgias cardíacas no futuro. Para a família, fica o receio de enfrentar tudo de novo. "Não gosto nem de pensar para não sofrer por antecipação. Nossa maior preocupação é ele não conseguir leito quando precisar", afirma a mãe.

Muito longe de Lênin



Artigo de J. R. Guzzo na edição impressa de Veja:

Todos podem ir se preparando desde já. Está aí à frente, tão certo quanto a próxima fase da lua, o centenário da Revolução Comunista de Outubro de 1917 — e vai se falar, escrever e discursar sobre o assunto como se o golpe de Estado então comandado por Lenin, com a formação do regime soviético na Rússia, tivesse sido o maior evento da história da humanidade desde que o macaco desceu da árvore para arriscar a sorte na tentativa de levar uma vida inteligente em terra firme. É curioso que o primeiro centenário da Revolução de 1917 venha a ocorrer quando o regime criado por ela já não existe mais — foi demolido, sem o disparo de um único buscapé por parte dos adversários, em consequência de seus fracassos, sua demência interna e suas enfermidades de nascença. É também interessante notar que o regime revolucionário produziu uma ditadura absoluta do primeiro ao último dia de sua existência. Vai se comemorar, nesse caso, a fundação de uma ditadura que já terminou? A abolição do capitalismo no mundo, objetivo final da revolução, transformou-se há longos anos numa piada, por agredir ao mesmo tempo a natureza humana, o progresso, a tecnologia e a razão. O comunismo, enfim, acabou sendo uma das experiências que deram mais errado na história política dos seres vivos. De novo: dá para comemorar uma coisa dessas? Sim, dá. Podem ter certeza de que dá.

É compreensível, levando-se em conta a quantidade cada vez maior de “gente de esquerda” espalhada hoje em dia mundo afora — e “gente de esquerda” tem entre os seus deveres mentais prestar reverência automática a essas assombrações do passado. Bem poucos, aí, sabem o que foi a Revolução Soviética ou mostram a menor vontade de investir uma meia horinha do seu tempo tentando aprender alguma coisa a respeito. Aprender para quê? O que interessa é acreditar — o que, além disso, dá muito menos trabalho. A verdade é que no momento é mais fácil ser de “esquerda” do que não ser; as comodidades para isso são incomparáveis, e nem sempre foi assim. Ao contrário, já foi difícil — e perigoso. Acredite se quiser, mas houve um tempo neste país em que você podia acabar na cadeia por ser de esquerda. Para Lenin, especialmente, sempre foi muito difícil ser Lenin. Até assumir o comando da União Soviética, ou pouco antes, o homem praticamente não tinha onde cair morto. Vivia a dois passos da prisão, exilado, em desconforto material extremo, sem ajuda da mídia, dos formadores de opinião e da classe artística. Ninguém chegava lá, na época, financiado pelo imposto sindical, por comerciais de televisão milionários e pelo caixa dois de empreiteiras de obras públicas. A vida era dura. Para ser de esquerda, o sujeito tinha, realmente, de ser de esquerda.

Hoje ser de esquerda no Brasil é a coisa mais fácil desta vida. Você pode ser ministro do governo de Michel Temer e ser de esquerda. Pode ser um Eike Batista e, ao mesmo tempo, “campeão nacional” dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff. Pode ser o ex-governador Sérgio Cabral, que viveu anos como um herói do PT. Pode receber prêmio literário de 100 000 euros, dos quais o governo brasileiro paga a metade, e discursar contra o “golpe” na hora de pegar o dinheiro. Pode ser ministro do Supremo Tribunal Federal, depois de advogar para o maior partido da esquerda nacional ou para “movimentos sociais” que se dizem “revolucionários”. Pode, como militante, receber verbas do Banco do Brasil, cesta básica e lanche quando é chamado para se manifestar na rua, além de diária e ônibus fretado. Pode estar na cadeia por corrupção. Pode ter emprego no Itamaraty. Pode ser reitor, procurador público, arcebispo. Pode trabalhar na Rede Globo. Não precisa ler um único livro – Marx, então, nem pensar. Não precisa, Deus o livre, exigir a extinção da propriedade privada, sobretudo a sua. Não precisa entrar no PT e pagar contribuição mensal de 10% do que ganha.

É preciso, apenas, ter “posição” sobre uns tantos assuntos – mas quem já teve de tirar do bolso um único real para “ter posição” sobre alguma coisa? Não num país como o Brasil de hoje, onde, além do mais, o risco de aparecer como “progressista” etc. está muito abaixo de zero. E quais são as “posições” que o brasileiro interessado em tirar a sua certidão de “pessoa de esquerda” deve assumir? ­Alguns exemplos:

– Ser a favor das normas que permitem aos professores da rede estadual de ensino de São Paulo faltar até um dia sim, um dia não ao trabalho, sem desconto nenhum no salário, é claro – incluindo o vale-transporte e o auxílio-alimentação referentes aos dias em que o professor não foi à escola;

– Ser contra o aumento da velocidade de tráfego, para um máximo de 90 quilômetros por hora, nas avenidas marginais de São Paulo. Se possível, noticiar em tom de denúncia que, logo no primeiro dia com os novos limites, ocorreu um acidente de carro numa das marginais. O motorista estava bêbado. Além disso, ninguém se machucou – nem ele;

– Ser contra qualquer mudança na legislação trabalhista. Num momento em que 12 milhões de brasileiros estão desempregados, sustentar que as pessoas não precisam de emprego, e sim de proteção — mesmo que não tenham mais emprego nenhum para ser protegido;

– Ser a favor da aposentadoria das mulheres aos 50 anos, e de todas as regras parecidas com essa — a começar pelas que permitem a aposentados do serviço público ganhar mais de 50 000 reais por mês, ou 100 000, ou seja lá quanto for. Considerar correto que a totalidade da população pague, no fim das contas, a aposentadoria dos funcionários públicos — hoje, na média, cerca de 7 500 reais por mês. É quase o equivalente ao valor médio da aposentadoria dos funcionários públicos franceses, de 2 500 euros mensais. O PIB per capita da França, pela última tabela do Banco Mundial, é de 40 000 dólares por ano, quatro vezes o do Brasil;

– Ser a favor de pichadores ou “grafiteiros” de paredes, muros, viadutos, em prédios particulares e públicos. Considerar que quem não concorda está adotando uma atitude “higienista” — ou seja, a favor da higiene, considerada um hábito de direita;

– Ser contra o “agronegócio” e a favor da “agricultura familiar”. E quanto aos agricultores “familiares” que trabalham junto a grandes empresas agrícolas? Não há resposta para essa questão. Comentários demonstrando que o valor da terra, hoje, é dado pela sua capacidade de produzir, e não pelo seu tamanho nem por outros fatores, são tidos como argumentos a favor do “latifúndio”, do capitalismo na agricultura e do atraso. (A área rural vai pôr 240 bilhões de reais em circulação no interior do Brasil em 2017.)

– Ser contra os defensivos agrícolas de qualquer tipo, descritos como “agrotóxicos”, “venenos” ou “agentes químicos”. Considerar como ato de destruição da natureza a utilização de qualquer área de terra para produção em grande volume de alimentos. Denunciar como delito social o cultivo de pastagens e a criação de animais de corte;

– Acreditar que a única maneira de reduzir a pobreza é tirar dos ricos; a ideia de alcançar esse objetivo por meio da criação de mais riquezas é considerada de direita. Só o Estado, com a arrecadação de impostos — que, idealmente, devem ser sempre maiores —, tem a capacidade de distribuir renda. Cobrar imposto, por esse entendimento, é criar riqueza. Pelo mesmo entendimento, os pobres só existem porque existem os ricos. Na verdade, acredita-se que o 1% mais rico da população mundial tirou a sua fortuna dos demais 99%;

– Assinar manifestos de intelectuais, mesmo que você confunda Kant com Clark Kent.

É o que temos, hoje. Adeus, Lenin. (Via Augusto Nunes).
BLOG ORLANDO TAMBOSI

Uso excessivo de equipamentos eletrônicos pode prejudicar a visão, alerta especialista


Computadores, celulares, tablets e jogos eletrônicos já estão instalados na vida da maioria das pessoas, independentemente da idade e poder aquisitivo. A tecnologia facilita em muitos pontos, mas as pessoas precisam ter cuidados com os excessos. Em se tratando de visão, oftalmologistas perceberam muitos casos, nos consultórios, de queixas de olhos ressecados entre os adultos e erros de refração (quando os feixes de luz sofrem algum desvio provocado pelo formato do olho e não são focados na retina), nos mais jovens. “Como estamos conectados o tempo todo, e a internet já faz parte do nosso cotidiano, seja pelo computador ou no celular, a atenção visual passou a ser mais exigida. Em consequência disso, involuntariamente é normal piscar menos, provocando assim, a sensação de olho seco”, explica o médico oftalmologista, Antônio Nogueira, do CENOE Hospital de Olhos, que conta com três unidades, em Ilhéus, Jequié e Porto Seguro. 
A recomendação do especialista é a hidratação dos olhos nos intervalos de 5 a 10 minutos durante a jornada de trabalho, uso de colírios lubrificantes e realizar sempre uma consulta oftalmológica para afastar algum vício de refração. Algumas dicas importantes podem ser seguidas para amenizar prejuízos futuros. “É importante sempre regularizar a iluminação. O ideal é que a iluminação não seja nem muito forte, nem muito fraca, pois nos dois casos é preciso forçar demais a visão para enxergar. Ao utilizar qualquer equipamento eletrônico, verifique se há uma luz de apoio no ambiente. Essa iluminação é necessária para que não que haja grande esforço da visão. 
Por isso, quem possui o hábito de usar o computador durante a noite e madrugada, deve se atentar para deixar uma lâmpada acesa a fim de evitar qualquer complicação”, explica. Longos períodos em frente a monitores também são um risco. “É recomendado fazer pequenas pausas de meia em meia hora, para descansar os olhos. Durante esse período, foque em algum objeto que esteja mais distante do monitor por alguns segundos. Com isso, você não esforça tanto os olhos e voltará às atividades com mais leveza”, acrescenta o oftalmologista. Outra dica importante, segundo o especialista, é colocar o monitor ou tela a uma distância de, no mínimo, 50 centímetros dos olhos. O médico oftalmologista Antônio Nogueira, do CENOE Hospital de Olhos reforça que, mesmo com as dicas, é importante manter a saúde em dia, com consultas e acompanhamento de profissionais capacitados.
VERDINHO DE ITABUNA

Apostador do Rio Grande do Norte entra na justiça contra site de apostas


As apostas online são uma febre em todo o mundo e no Brasil não é diferente. Apesar de apostas serem uma prática proibida em nosso país, na internet não funciona bem assim. Porém todo cuidado é pouco. Muitos apostadores na ânsia de ganhar dinheiro acabam não tendo um devido cuidado e ficam frustrados por não terem o retorno financeiro esperado.
Foi o que aconteceu com um apostador do Rio Grande do Norte, que entrou com um pedido na justiça contra cinco pessoas físicas e uma jurídica, responsáveis por negócio de internet, o qual funciona como uma bolsa de ações, cujo objeto são dezenas de modalidades esportivas; ou seja, jogo de apostas.
Segundo o apostador, o valor total das transferências realizadas em favor de alguns dos réus referiam-se à compra de, aproximadamente, 50 contas TRADER GOLD+, cuja unidade custa por volta R$ 7.500,00 (US$ 2.046,00), totalizando quase meio milhão de reais. Sendo assim, ele investiu uma fortuna durante o período de 04 meses, sem realizar nenhum saque dos prometidos rendimentos mensais e no dia 20 de junho de 2016, ao tentar realizar o primeiro saque, teve, para sua surpresa, todas as suas contas TRADE GOLD+ bloqueadas.

Desde então o apostador vem tentando resgatar o montante investido, contudo, até o presente momento, não obteve sucesso, tendo em vista o total desinteresse dos responsáveis pelas apostas.

O solicitante da ação entrou com um pedido de indenização por danos morais e materiais, alegação de prática fraudulenta e sistema de pirâmide financeira.
VERDINHO DE ITABUNA

Justiça exige licença ambiental para áreas agrossilvipastoris


Patrícia França
A TARDE
Governo da Bahia pretende recorrer da decisão - Foto: Divulgação
Governo da Bahia pretende recorrer da decisão
Divulgação
Em meio à estiagem que compromete a produção em 221 municípios baianos em estado de emergência, o setor agrário baiano sofreu, na semana passada, mais dois baques. A Justiça Federal embargou o "procedimento especial de licenciamento ambiental" instituído pelo Decreto 16.963/2016 e suspendeu, retroativamente, os efeitos de parte do Decreto Estadual nº 15.682/14, que isentava as atividades agrossilvipastoris da necessidade de licenciamento ambiental.
Na prática, a decisão da Justiça Federal, acatando pedido do Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) e do Ministério Público do Estadual (MPBA), torna sem efeito todas as licenças concedidas desde então às atividades de plantio, agricultura, criação de animais de forma extensiva e plantio de florestas.
Obriga, também, a que o Inema (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos) volte a realizar o licenciamento das atividades agrossilvipastoris no estado dentro do que estabelece a legislação federal. A pena imposta pelo descumprimento é de multa diária de R$ 100 mil.
A liminar suspendeu, com efeito retroativo, os artigos 8º e 135º do Decreto Estadual nº 15.682/2014, que isentava as atividades agrossilvipastoris na Bahia de licenciamento ambiental, alterando o Decreto Estadual nº 14.024/2012.
Suspendeu, também, as alterações feitas pelo Decreto Estadual 16.963/2016, que permitia o governo conceder o licenciamento ambiental por meio de uma autorização administrativa eletrônica – um cadastro online – que dispensava estudo ambiental ou vistoria prévia para as atividades agropastoris – seja qual fosse o porte, natureza ou localização do empreendimento.
Na ação, o MPF/BA e MPBA alertam que todos os estados, por força da Lei nº 6.938/81 que institui a Política Nacional do Meio Ambiente, estão submetidos às resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama).
Entre as exigências impostas pelo Conama, está a de que as atividades com potencial para causar impactos ambientais – como agricultura, pecuária, aquicultura e silvicultura – têm que ser licenciadas por órgão ambiental.
Prejuízos
O governo da Bahia informou que vai recorrer, por meio do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), da decisão da 6ª Vara Federal. Como a decisão é provisória, o Inema suspenderá o procedimento especial de licenciamento ambiental para as atividades agrossilvipastoris.
O secretário estadual do Meio Ambiente (Sema), Geraldo Reis, não soube informar quantas licenças ficam sem efeito em razão da liminar concedida pela Justiça Federal.
Indagado sobre os prejuízos econômicos para o estado – já que a flexibilização no licenciamento ambiental tem como propósito "desburocratizar" a implantação de novos empreendimentos –, Reis disse o governo conduzirá "com tranquilidade" o problema.
"A questão ambiental é bastante sensível. Mas vamos buscar o consenso, juntar forças, para que o desenvolvimento da Bahia não fique prejudicado", assinalou o secretário.

Inadimplente tem a chance de limpar nome


Em Salvador, o inadimplente pode se dirigir até o edifício Catabas Empresarial, sala 501, que fica na Avenida Tancredo Neves

por
Yuri Abreu
Publicada em  TRIBUNA DA BAHIA
O número é alto e chama a atenção. De acordo com um estudo feito pela Serasa Experian, atualmente são quase 60 milhões de pessoas inadimplentes em todo o Brasil, o maior valor já registrado em todo o mês de janeiro desde quando a pesquisa começou a ser feita. Isso representa cerca de 40% da população adulta no País. Na Bahia, também segundo a Serasa, dados de 2016 chegaram a apontar que mais de quatro milhões de pessoas estavam com dívidas atrasadas, representando quase 30% da população.
Como forma de mudar essa realidade, os devedores terão a oportunidade de, a partir de hoje, voltar a ter o nome limpo na praça. Até o próximo domingo, dia 2 de abril, a Serasa Experian realiza a primeira edição do Liquida Dívidas, em todo o Brasil, nas modalidades presencial, online ou por telefone.
Em Salvador, o inadimplente pode se dirigir até o edifício Catabas Empresarial, sala 501, que fica na Avenida Tancredo Neves. O atendimento ao consumidor acontece das 8h30 às 17h30 (de segunda a sexta-feira) e das 8h30 às 14h (aos sábados). Os documentos necessários para o atendimento são o CPF e o documento de identidade com foto (RG ou carteira de trabalho).
De acordo com a entidade, os descontos variam de acordo com o credor e a situação, mas podem chegar a 90% do valor da dívida. A campanha vai permitir que o consumidor faça a negociação e pague suas contas atrasadas no site da Serasa ou pessoalmente com as empresas participantes, em quase 20 mil postos de atendimento e em canais exclusivos de atendimento ao consumidor.
Para maiores informações, o devedor pode acessar o site www.liquida dividas. com.br. Nele, será possível consultar como está a situação do CPF e negociar a eventual dívida, além de realizar a consulta das contas do FGTS, que poderá ser utilizado para o pagamento dos débitos existentes. Pouco mais de 20 empresas – das áreas de telefonia, financeiras, bancos, TVs por assinatura e companhias de energia elétrica – devem participar do Liquida Dívidas.
Além de consultar o site, para saber se a empresa a qual ele deve está participando, outra dica dada pela entidade é a de que, antes de partir para a renegociação, o consumidor inadimplente revise suas contas antes de acessar o serviço e veja de quanto pode dispor para quitar seus débitos à vista ou parcelado. Dentro do período do evento, as empresas participantes apresentarão propostas exclusivas para os clientes com contas vencidas.
Até neste momento, planejamento é fundamental. Antes de renegociar, é importante colocar na ponta do lápis todas as despesas fixas e as contas já assumidas ou previstas. Assim, é possível saber o quanto está disponível para pagar a nova dívida que será renegociada, escolhendo quais as condições e formas de pagamento que melhor se encaixam no orçamento.
Confira dicas dadas por especialistas:
Não tenha receio de olhar para as dívidas que saíram do controle: veja o quanto você já pagou e qual é o valor devido.
Não conte com rendimentos incertos, tais como: empréstimos, venda de bens, herança ou outros ganhos.
Veja quais são seus rendimentos e o quanto você pode pagar. Se você já tem uma poupança, essa é uma boa hora para usá-la.
Não tenha medo de pedir descontos ou, se precisar, mais parcelas. Assuma somente aquilo que você pode pagar.
Priorize as dívidas com juros maiores, como o cheque especial e o cartão de crédito.
Não caia no mesmo erro outra vez e pense seriamente antes de assumir novas dívidas. 

Manifestações pela Pátria


Caros amigos
Tenho muito orgulho de ser brasileiro e procuro demonstrar isto sempre que posso.
É este orgulho que leva homens e mulheres a empenhar um dia ensolarado de domingo para protestar contra os maus brasileiros que fazem da política uma atividade desonesta de grande rentabilidade pessoal.
Todos guardamos na memória, principalmente os mais velhos, o poema de Olavo Bilac, “A Pátria” (*), que aprendemos na escola – sem ideologia de gênero, sem partido e com educação moral e cívica – e que, desde crianças, nos exorta a “amar, com fé e orgulho, a terra em que nascemos”.
Temos, hoje, razões de sobra para sair às ruas e protestar, mas esta é a mais importante! As demais são circunstanciais e podem ser lidas nas faixas e nos cartazes que levamos ou ouvidas nas palavras de ordem e nos refrãos que nos animam e estimulam nas manifestações.
Hoje, 26 de marco de 2017, não foram tantos, como em outras oportunidades, os que se dispuseram a manifestar seu amor à Pátria nas ruas e praças do Brasil, mas, sem dúvidas, representaram a melhor essência do nosso patriotismo! Lá estiveram por si próprios, clamando pelo que querem e que podem fazer sem intermediários ou intervenção de terceiros.
Há mais de duzentos anos, um índio guarani bradou ao mundo que “esta terra” – sagrada e abençoada com o nome de Santa Cruz – “tem dono” e que este é o povo brasileiro!
Aqui, em Brasilia, estivemos reunidos próximo à Praça dos Três Poderes, local emblemático no qual poder é exercido em nosso nome e que, portanto, deve refletir a nossa vontade.
Deixamos claro que não serão algumas centenas de picaretas, de corruptos trabalhando em causa própria que irão destruir a nossa Pátria impunemente.
Gritamos ao pé do ouvido de governantes, políticos e juízes e os alertamos para que cumpram as leis, que acabem com a impunidade, que todos os criminosos – de todos os colarinhos -, sejam punidos e que não se atrevam a comprometer o nosso futuro e a desafiar a nossa fé no Brasil.
Enfatizamos o objetivo de mudar a cara das pessoas que circulam por aquela Praça e que vamos empenhar toda a força da nossa vontade para impedi-los de aprovar instrumentos que lhes assegurem outros mandatos.
Parabéns a todos que, mais uma vez, saíram às ruas para reafirmar seu amor ao Brasil e para reforçar a fé no futuro e o orgulho que temos da terra em que nascemos!
Brasil, acima de tudo!
Gen Bda Paulo Chagas
(*) A Pátria
Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!
Criança! não verás nenhum país como este!
Olha que céu! que mar! que rios! que floresta!
A Natureza, aqui, perpetuamente em festa,
É um seio de mãe a transbordar carinhos.
Vê que vida há no chão! Vê que vida há nos ninhos,
Que se balançam no ar, entre os ramos inquietos!
Vê que luz, que calor, que multidão de insetos!
Vê que grande extensão de matas, onde impera,
Fecunda e luminosa, a eterna primavera!
Boa terra! jamais negou a quem trabalha
O pão que mata a fome, o teto que agasalha…
Quem com seu suor a fecunda e umedece,
Vê pago o seu esforço, e é feliz, e enriquece!
Criança! não verás país nenhum como este:
Imita na grandeza a terra em que nasceste!

Ceplac anuncia clone de 100 arrobas anuais

clone de cacau
25.Março.2017

por hectare ou até mais, segundo a divulgação feita nesta semana. A produção de mais de 100 arrobas de cacau por hectare é o que promete a Ceplac na Bahia com o clone PS 1319, depois de produzido e testado em experimentos de campo pelos pesquisadores.
O Chefe de Serviço de Pesquisas, José Marques Pereira, conta que mais quatro clones dessa espécie estão em faze final de testes e podem ser lançados ainda neste ano. O anúncio foi feito na sessão especial dos 60 anos da Ceplac promovida na Câmara de Vereadores de Ilhéus.
Segundo Marques, o clone PS 1319 demonstra “o acerto tecnológico dos pesquisadores e extensionistas” do departamento do Ministério da Agricultura para tornar a produção brasileira de cacau e chocolate capaz de satisfazer as necessidades da população.
“A Ceplac registra avanços na pesquisa biológica molecular e no melhoramento genético do cacau quanto à resistência à vassoura-de-bruxa e outras doenças, mesmo em situação adversa. Pelo menos 50 clones tolerantes e resistentes ao fungo já foram produzidos”.
Mais clones
José Marques conta que estão em andamento experimentos com 750 variedades de clones em 150 fazendas do sul da Bahia. Este foi um dos argumentos usados em defesa da Ceplac, que foi rebaixada a departamento e continua sem orçamento e pessoal adequados.
A sessão especial reuniu técnicos, pesquisadores e extensionistas da instituição, produtores de cacau, convidados e 11 dos 19 vereadores. O Pastor Matos, que pediu a sessão, justificou a iniciativa pela necessidade de reforçar a luta para que a instituição retorne à condição de órgão.
O agrônomo Antonio Fernando Ribeiro apresentou documento com as sugestões de uma comissão de instituições para a transformação da Ceplac em autarquia federal, com foco na pesquisa agropecuária, desenvolvimento territorial, extensão rural e qualificação profissional.
O anteprojeto resultou de estudos, oficinas e reuniões com produtores rurais e as universidades Federal da Sul da Bahia (UFSB) e Estadual de Santa Cruz (UESC). O documento está sendo apresentado às representações de governo e dos estados produtores de cacau. 
JORNAL A REGIÃO

Planalto articula barrar texto alternativo da terceirização no Senado


Com aval do governo, o deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN) vai se reunir nesta terça-feira (28) com o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-AL)

BAHIA.BA
Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado
Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

O deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN), com aval do governo, vai tentar convencer o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-AL), a não colocar em pauta o projeto sobre terceirização que poderia amenizar o texto aprovado pela Câmara Federal na semana passada, segundo informou a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, nesta segunda-feira (27).
Relator da reforma trabalhista na Câmara, Marinho pedirá que, em vez de patrocinarem uma norma alternativa, os senadores devem citar pontos que julgam importantes para que ele os inclua na proposta que está sob sua guarda.
O tucano se reúne com Eunício nesta terça-feira (28). Em seguida, fala com o líder do governo na Casa, Romero Jucá (PMDB-RR). O Planalto e Marinho levantaram pontos que o presidente do Senado quer ver contemplados, como a criação de dispositivo que proíba transformar efetivos em terceirizados e um artigo que obrigue firmas contratantes a reter impostos para evitar calote de prestadores de serviços.

Tremor sentido na Bahia não foi abalo sísmico, diz centro


De acordo com o Centro de Sismologia da USP ainda não há diagnóstico conclusivo sobre as causas dos tremores, mas linha de investigação já tem uma hipótese

Rebeca Bastos /  BAHIA.BA
Foto: Manu Dias / GOVBA
Foto: Manu Dias / GOVBA

O Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP) disse que os tremores e estrondos ouvidos e sentidos por moradores de Salvador e cidades da Região Metropolitana na manhã deste domingo (26) não foi um abalo sísmico.
Conforme nota divulgada no site do centro, no final na noite desde domingo, “caso as vibrações tivessem sido causadas por um tremor de terra, o tamanho da área de percepção teria um raio de 20 km, e indicaria uma magnitude de pelo menos 3 na escala Richter” o que não aconteceu, pois nenhuma das estações da Rede Sismográfica Brasileira registrou qualquer sinal que pudesse ser associado a um abalo sísmico na capital baiana e adjacências.
Ainda de acordo com o órgão, os tremores e trepidações ainda não têm uma causa conhecida, mas uma possível linha de investigação sugerida é a quebra de barreira do som por jatos da Força Aérea nacional.

Tábuas caem do teto da Igreja do Bonfim neste domingo (26)



Por Redação Bocão News
Na tarde deste domingo (26), parte do teto da Basílica de Nosso Senhor do Bonfim, em Salvador, caiu. O acidente aconteceu antes da missa de um ano de morte do ex-vereador Antônio Lima. Ninguém ficou ferido.
 
Segundo o padre Edson Menezes, "como a igreja é muito antiga, os pregos podem ter afrouxado, além disso, tinha poeira em cima das tábuas do forro, e quando elas caíram pareceu que tinha sido algo grande".            
 
As tábuas serão recolocadas.  A missa ocorreu normalmente. A Defesa Civil (Codesal) esteve no local. A programação de missas da segunda-feira (27) está mantida. 

Milhares vão às ruas contra a Odebrecht na República Dominicana



Por Folhapress | Fotos: Reprodução
Milhares de pessoas saíram em protesto, neste domingo (26), na cidade de Santiago, na República Dominicana, para pedir que sejam interrompidas as atividades da empresa Odebrecht e que sejam punidos os funcionários envolvidos em corrupção. 
 
Segundo jornais do país, como "Diario Libre" e "La Información", os manifestantes pediam também uma auditoria para determinar se a construtora financiou as campanhas eleitorais do presidente Danilo Medina (2012 e 2016). 
 
Imagens do canal de televisão CDN mostraram a multidão vestida de verde, com cartazes que pediam, por exemplo, a prisão de funcionários suspeitos. 
Um manifesto lido no protesto pedia ainda a instalação de um órgão independente que investigue os supostos subornos que a companhia pagou para ter contratos com o governo. 
 
Essa foi a terceira grande manifestação no país contra a corrupção e a impunidade. Em 22 de janeiro, uma passeata pedia a abertura de investigações.Organizadores também coletaram milhares de assinaturas entregues à presidência pedindo que uma comissão das Nações Unidas participe da apuração.

Acredito que o São Francisco não dura mais 30 anos, aponta Eures Ribeiro



Por Redação Bocão News | Fotos: Paulo M. Azevedo/Arquivo/Bocão News
Prefeito de uma cidade banhada pelo Rio São Francisco, o município de Bom Jesus da Lapa, Eures Ribeiro (PSD) não tem boas expectativas quando o assunto é duração do rio nascido em Minas Gerais.
No comando da União dos Municípios da Bahia (UPB), Ribeiro disse, nesta segunda-feira (27), durante entrevista à Metrópole FM, que a transposição do Rio São Francisco foi uma medida irresponsável.
“Tem trecho do Rio são Francisco que a gente passa a pé. Fizeram a transposição do Rio São Francisco de maneira irresponsável. Eu acredito que o Rio São Francisco não dura mais trinta anos. Não existe uma política pública para o rio", apontou o gestor.
Colega de partido do senador Otto Alencar, Ribeiro lembra que o parlamentar se comprometeu a discutir a situação do Velho Chico com o presidente Michel Temer. "Eu achei que o presidente Michel Temer daria uma resposta positiva se investisse no rio. Achei que a novela da Globo ia ajudar o rio, mas não ajudou”, lamentou.

MP-BA pede anulação do aumento salarial de vereadores e executivo



Por Redação Bocão News
 
O Ministério Público da Bahia (MP-BA) solicitou a suspensão do aumento salarial de vereadores e cargos do executivo em Jequié, no centro sul da Bahia. O documento foi assinado pelo promotor Rafael de Castro Matias. Segundo a promotoria, essa ação visa conter os gastos públicos em um ano de ajustes das contas da prefeitura.
 
A 4ª Promotoria de Justiça da cidade sugere no processo multa de R$ 10.000 para cada pagamento irregular a cada agente político, efetivado a partir da publicação da liminar. Se o juiz aceitar a denúncia, os vereadores e cargos do executivo vão continuar a receber os atuais R$ 10 mil por mês. 
 
A Câmara de Vereadores aprovou no ano passado o aumento salarial dos edis dos atuais R$ 10 mil para R$ 12 por mês, o aumento beneficia também o prefeito, vice e secretários. 
 
Em janeiro deste ano, o prefeito Sérgio da Gameleira decidiu adiar o aumento salarial do executivo até o mês de junho. No dia 20 de dezembro de 2016, a população cercou a Câmara protestando contra o aumento votado pelos vereadores, que seguiram apenas uma lei municipal que regulamenta o reajusto a cada quatro anos. 
 

GOVERNO LULA INJETOU MAIS DE 14 BILHÕES DE REAIS EM COFRES DE FRIGORÍFICOS


Boatos apontam Lulinha, filho de Lula, como um dos
beneficiários da corrupção sistêmica nos governos petistas
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aplicou R$ 14,3 bilhões, entre 2005 e 2015, para consolidar o setor de processamento de carnes, abalado desde semana passada pela Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. O valor inclui empréstimos diretos e indiretos, aplicação em títulos de dívida e compra de participações acionárias para seis empresas. O BNDES, sobretudo na era Lula, atuou como articulador da consolidação dos frigoríficos na década passada, num processo que levou o Brasil ao posto de maior exportador de carnes do mundo. JBS, das marcas Friboi e Seara, e Marfrig (que não está na Operação Carne Fraca) são alguns dos expoentes do apoio do BNDES à consolidação internacional de empresas brasileiras, conhecida como política de "campeões nacionais" e alvo de críticas de muitos economistas. Quatro empresas abocanharam R$ 14 bilhões - não foram considerados empréstimos automáticos, a maioria para investir em máquinas e equipamentos. Além de JBS (R$ 5,4 bilhões) e Marfrig (R$ 3,8 bilhões), o Bertin recebeu R$ 2,7 bilhões. Em 2009, o JBS comprou o Bertin, formando o maior produtor de proteína animal do mundo. A BRF, criada em meio à crise de 2008, com a fusão entre Sadia e Perdigão, recebeu um total de R$ 2 bilhões. Minerva recebeu R$ 132 milhões em crédito e Independência, R$ 250 milhões em participação acionária. 
VAL CABRAL

Vitória da Conquista: Prefeitura exige emplacamento e habilitação para carroceiros


Os carroceiros de Vitória da Conquista terão que cumprir uma série de exigências da prefeitura. De acordo com o Blog do Anderson, a Lei Nº 1.485/2008, que regulamenta a circulação de veículos com tração animal, proíbe que carroças trafeguem nas avenidas Lauro de Freitas e Francisco Santos, além da Praça Barão do Rio Branco. 
Os condutores deverão ter mais de 18 anos, respeitar o limite de peso que o animal suporta, e precisam ter noções básicas de trânsito. Por isso, a prefeitura decidiu, a partir de uma parceria com a Associação de Carroceiros e o Sistema Municipal de Trânsito, fornecer capacitação e uma espécie de carteira de habilitação. 
Entre as exigências, também estão a necessidade de emplacamento das carroças e a instalação de bolsões coletores, para que os animais não sujem as ruas. As medidas foram divulgadas a partir de uma nota emitida pelo Executivo municipal, mas não há informações sobre a partir de quando as determinações começarão a valer.
VERDINHO DE ITABUNA

domingo, 26 de março de 2017


Em nome do país, são cometidas as maiores barbaridades


Resultado de imagem para terceirização charges
Charge do Duke (dukechargista.com.br)
Bernardo Mello Franco
Folha
“É mais uma vitória no caminho do Brasil que queremos”, comemorou o presidente da Fiesp, Paulo Skaf. “É um avanço para o Brasil”, endossou o presidente da Associação Comercial de São Paulo, Alencar Burti. Os empresários falaram em nome do país ao festejar a manchete dos jornais desta quinta-feira (dia 23): a Câmara liberou a terceirização irrestrita do trabalho. Faltou esclarecer se a notícia é mesmo boa para todos, ou apenas para os donos do dinheiro.
A Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho sustenta que a mudança não é nada patriótica: na prática, vai tirar direitos dos trabalhadores. Para a entidade, o objetivo do projeto é aumentar os lucros das empresas com a precarização dos vínculos dos funcionários.
PREJUDICADOS – Um estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) revela que os terceirizados recebem 17% a menos no fim do mês. De acordo com o Dieese, eles sofrem cerca de 80% dos acidentes de trabalho e permanecem 2,6 anos a menos no emprego.
Numa estratégia negociada com o governo Temer, a Câmara desengavetou um projeto de 1998 para liberar a terceirização irrestrita. Com a manobra, o texto não precisará ser votado no Senado, onde haveria mais resistência à sua aprovação.
O texto foi encaminhado à sanção presidencial. No dia seguinte, as empresas estarão livres para demitir funcionários e obrigá-los a formar cooperativas ou a se “pejotizar” para continuar trabalhando.
DESEMPREGO? – Governo e empresários repetem que a mudança vai reduzir o desemprego. Falta explicar por que a taxa atingiu o menor nível histórico no fim de 2014, quando a legislação trabalhista era rigorosamente a mesma.
Os defensores do projeto também acenam com um salto social para os terceirizados. O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, descreveu um cenário em que “o operário vira empresário”. Se os procuradores do Trabalho estiverem certos, o operário vai continuar operário. Só que com menos direitos.
Posted in