sexta-feira, 25 de maio de 2018

Neto ri e afirma desconhecer ‘simpatia’ de Bolsonaro pelo DEM


O prefeito preferiu não associar a sua imagem em uma eventual aliança com o deputado federal ao lembrar que o partido já tem Rodrigo Maia como pré-candidato ao Planalto

Mateus Soares / Matheus Morais
BAHIA.BA

Foto: Matheus Morais/ bahia.ba
Foto: Matheus Morais/ bahia.ba

O prefeito ACM Neto (DEM) afirmou, na manhã desta sexta-feira (25), desconhecer a afirmação do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), que disse ser “simpático” ao Democratas durante a sua vinda a Salvador.
Questionado pelo bahia.ba, o chefe do Palácio Thomé de Souza riu e preferiu não associar a sua imagem em uma eventual aliança com o presidenciável ao lembrar que o partido já tem o deputado federal Rodrigo Maia como pré-candidato ao Planalto.
“Vou explicar porque estou dando risada: primeiro porque não vi essa declaração do deputado Jair Bolsonaro, e segundo porque eu não tenho motivo nenhum para conflitar com os eleitores e simpatizantes dele”, disse.
“Ele é de outro partido. Eu respondo pelo Democratas e já temos um pré-candidato a presidência da República que é Rodrigo Maia. Não estou aqui para conflitar com ninguém. […] Sobretudo, não seria inteligente da minha parte gerar qualquer tipo de conflito com eleitores dele que, eventualmente, também simpatizem conosco”, completou.
Apesar do que foi dito, o democrata foi de encontro ao deputado no Congresso Nacional, em Brasília, em março deste ano. Na época, o político baiano afirmou que a reunião foi casual e não tem relação com o pleito de outubro.

Posto na Tancredo Neves tem fila exclusiva para abastecer carros oficiais


Viaturas e veículos do Governo aguardam no Posto Escola BR, na saída do Costa Azul, na manhã desta sexta-feira (25)

Luiz Felipe Fernandez
BAHIA.BA

Foto: Everaldo Cunha/Leitor Bahia.ba
Foto: Everaldo Cunha/Leitor Bahia.ba

Não tá fácil para ninguém. Na manhã desta sexta-feira (25), viaturas da Polícia Militar e carros oficias do Governo formaram uma fila para abastecer em um posto de combustível na Avenida Tancredo Neves. Motoristas comuns também aguardam, mas em fila separada.
O Posto Escola BR fica na saída do bairro do Costa Azul e é um dos estabelecimentos que fazem parte do convênio da Polícia Militar com a Petrobrás, através do programa de Controle Total de Frotas.
Nesta quinta-feira (24), o Sindicombustíveis adiantou que 50% dos postos da capital já estavam sem gasolina. A orientação foi de que fossem feito reservas para atender serviços de urgência, como viaturas, ambulâncias e carros de bombeiros. Desde que foi instaurada a greve dos caminhoneiros, postos de todo o país sofrem com a falta de combustíveis.

Gualberto diz que sonha ser governador e provoca PT: ‘Vão usar caixa 1, 2, 3…’


Tucano afirmou ainda que ACM Neto não pediu que ele desistisse de candidatura ao Palácio de Ondina

Mateus Soares / Matheus Morais BAHIA.BA

Foto: Alexssandro Loyola
Foto: Alexssandro Loyola

O deputado federal João Gualberto (PSDB) afirmou, na manhã desta sexta-feira (25), que não foi o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), que pediu que ele desistisse de lançar a sua pré-candidatura ao governo.
Em seu discurso, durante evento que promoveu o encontro entre integrantes do DEM e do PSDB para oficializar o nome do ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo, como candidato do grupo ao Palácio de Ondina, o parlamentar atribuiu aos deputados o motivo de sua desistência.
“Não foi ACM Neto que pediu para eu desistir. Foram os deputados. Era meu sonho, mas eu tenho esperança em José Ronaldo. […] Eu tenho inveja de você, Zé Ronaldo, quando vc foi candidato ao Senado e teve 80% dos votos em Feira de Santana”, disse.
“Hoje eu tenho três sentimentos: de tristeza, de alegria e de esperança. Claro que eu queria ser candidato a governador. Eu queria debater com esse governador do PT”, ressaltou. Na oportunidade, Gualberto ainda provocou o governador Rui Costa e afirmou que em sua campanha, o PT “vai usar caixa 1, caixa 2 e caixa 3″.

Aeroporto só tem funcionamento garantido até domingo


Expectativa de autonomia foi reajustada com o fechamento de alguns aeroportos no Nordeste

BAHIA.BA

Foto: Divulgação Infraero
Foto: Divulgação / Infraero

Devido à crise no abastecimento, decorrente da paralisação dos caminhoneiros, a reserva de combustível no aeroporto internacional de Salvador garante as operações no local somente até o próximo domingo (27), informou nesta sexta-feira (25) a concessionária responsável.
A expectativa de autonomia foi reajustada diante do fechamento de alguns aeroportos no Nordeste e o aumento do número de solicitações de voos alternados para abastecimento (inclusive de rotas internacionais, de alto consumo).
Ainda conforme a concessionária, as solicitações de voos oriundos de outros aeroportos serão avaliadas pontualmente, com o objetivo de garantir a programação local de voos e assegurar a mobilidade dos passageiros do aeroporto da capital baiana.

Caixas eletrônicos podem ficar sem dinheiro na segunda-feira


Combustível necessário para abastecer os carros-fortes, que transportam o dinheiro, só esta garantido até domingo (27)

BAHIA.BA

Reprodução: Divulgação
Reprodução: Divulgação

Por conta da greve dos caminhoneiros, caixas eletrônicos e agências bancárias em todo País podem ficar sem dinheiro a partir de segunda-feira (28). As informações foram divulgadas pelo site Uol nesta sexta (25).
De acordo com a publicação, o combustível necessário para abastecer os carros-fortes, que transportam o dinheiro, só esta garantido até domingo (27).
Segundo o site, alguns dos principais bancos do Brasil informaram já estar atentos aos impactos da greve, que teve início na segunda-feira (21), em rodovias de todo País. Até o momento, nenhuma agência registrou a falta de dinheiro.
Segundo a TecBan, empresa que administra a rede de caixas eletrônicos Banco24Horas, os carros-fortes estão sendo autorizados pelos manifestantes a furarem os bloqueios, porém o congestionamento nas estradas estariam atrasando as entregas.
Nesta sexta-feira, o presidente Michel Temer anunciou, em pronunciamento que utilizará as forças federais de segurança contra uma “minoria radical” de caminhoneiros que ainda bloqueia as estradas, após ser anunciado acordo com o governo.

Crise dos combustíveis: governadores não aceitam reduzir arrecadação


Chefes do Executivo de Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Distrito Federal lançaram manifesto

BAHIA.BA
Reunidos em Cuiabá para a 20ª reunião do Fórum dos Governadores do Brasil Central, os chefes do Executivo de Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Distrito Federal afirmaram, em manifesto, que não aceitam propostas que possam reduzir suas arrecadações, como a redução das alíquotas do ICMS.
De acordo com os governadores, a União tenta “socializar com os estados a responsabilidade” sobre os preços dos combustíveis para “equacionar o que está em sua governança como acionista majoritária da Petrobras”.
“Os estados signatários apenas discutirão medidas que signifiquem perda de receitas […] se a União compensar tais perdas”, afirma trecho do manifesto, segundo a coluna Painel, da Folha.

Sugerida por Temer, redução do ICMS é descartada pelo governo baiano


Governo do Estado disse rechaçar “qualquer tentativa de atribuir aos estados a responsabilidade pelos sucessivos reajustes no valor dos combustíveis"

BAHIA.BA
O governo da Bahia também se manifestou contrário à redução do ICMS, uma das propostas apresentadas pelo presidente Michel Temer para tentar uma trégua com os caminhoneiros.
Por meio de nota, o governo baiano disse rechaçar “qualquer tentativa de atribuir aos estados a responsabilidade pelos sucessivos reajustes no valor dos combustíveis ocorridos nos últimos dois anos”. De acordo com a administração estadual, a crise é causada principalmente pela política de preços da Petrobras.
“O Governo do Estado esclarece que a alíquota de ICMS na Bahia para o óleo diesel é de 18%, conforme estabelece o decreto 13.780/2012, no inciso 23 do artigo 268. Trata-se da mesma alíquota praticada por todos os estados da região Nordeste. Além disso, o ICMS para o gás de cozinha na Bahia é de 12%, a menor em vigor entre os estados brasileiros”, diz trecho do texto. O governo do Estado também defendeu que a cobrança do PIS/Cofins sobre os combustíveis seja zerada.
Em manifesto, os governadores de Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Distrito Federal já haviam se colocado contra propostas que possam reduzir suas arrecadações.

Temer está impedido de fazer viagens longas por falta de combustível


Avião do presidente da República, um ACJ319, da Airbus, tem capacidade máxima para fazer 9 horas e 45 minutos de voo mas não tem combustível suficiente para decolar

BAHIA.BA

Foto: Reprodução/O Globo
Foto: Reprodução/O Globo

O próprio presidente Michel Temer está sofrendo com os impactos diretos gerados pela greve dos caminhoneiros que clamam pela redução do preço do diesel. Nesta sexta-feira (25), com a falta de abastecimento de combustíveis no aeroporto internacional de Brasília, o avião particular de Temer, um Airbus ACJ 319, que tem capacidade para fazer viagens longas de até 9 horas e 45 minutos, está sem querosene, impedindo que o político viaje para locais distantes.
Uma fonte ligada à Presidência da República, o gabinete presidencial teria sido alertado sobre a dificuldade de decolagem da aeronave presidencial.

Ministro do STF autoriza uso de força para desbloqueio de rodovias


Alexandre de Moraes impôs ainda multa de R$10 mil ao dia para quem descumprir decisão; Medida cautelar foi solicitada pelo governo

BAHIA.BA

Foto: Reprodução/TV Justiça
Foto: Reprodução/TV Justiça

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, assinou no início da noite dessa sexta-feira (25) a pedido do governo federal, uma liminar que autoriza o uso das forças de segurança pública para o desbloqueio de rodovias ocupadas por caminhoneiros grevistas. Moraes impôs ainda uma multa de R$ 100 mil por hora às entidades que interditarem as vias e de R$ 10 mil por dia para o motorista que obstruir as pistas.
“Autorizo que sejam tomadas as medidas necessárias e suficientes […] ao resguardo da ordem no entorno e, principalmente, à segurança dos pedestres, motoristas, passageiros e dos próprios participantes do movimento que porventura venham a se posicionar em locais inapropriados nas rodovias do país; bem como, para impedir, inclusive nos acostamentos, a ocupação, a obstrução ou a imposição de dificuldade à passagem de veículos em quaisquer trechos das rodovias […] inclusive com auxílio, se entenderem imprescindível, das forças de segurança pública, conforme pleiteado”, afirmou Moraes na decisão.
A ação do governo, que foi assinada pelo presidente Michel Temer e pela advogada-geral da União, Grace Mendonça, inquiriu ao STF que considerasse a greve ilegal por “inviabilizar direitos fundamentais”.

Codecon notifica posto em Itapuã por aumento na gasolina


Em parceria com o Procon/BA, o órgão vistoriou cerca de 20 postos em Salvador

BAHIA.BA

Reprodução: Codecon
Reprodução: Codecon

Por conta da paralisação nacional dos caminhoneiros, a Diretoria de Ações de Proteção e Defesa do Consumidor (Codecon), realizou nesta sexta-feira (25) em parceria com o Procon/BA uma ação de fiscalização nos postos de combustíveis de Salvador, a fim de identificar irregularidades que lesassem o consumidor.
Foram vistoriados 20 postos localizados na Cidade Baixa, Avenida Afrânio Peixoto (Suburbana), Retiro, Pituba, Itapuã, Stella Maris, Vasco da Gama, Barris, entre outras regiões.
Um posto em Itapuã foi notificado pelos agentes para prestar esclarecimentos por estar cobrando o valor de R$ 5 pelo litro da gasolina.
O estabelecimento comprovou que desde a última terça-feira (22), já vinha praticando o valor de R$4,89. Agora o proprietário do posto deve apresentar documentos comprobatórios do valor que vinha praticando nas bombas dos dias 01 a 25 de maio.
Só após a apresentação dos documentos é que o órgão analisa se o aumento no preço foi injustificado e abusivo.
Segundo o diretor da Codecon, Alexandre Lopes, outros quesitos também foram analisados durante a fiscalização desta sexta. “Além do aumento de preço de forma injustificada, verificamos se o posto efetivamente não possui mais o combustível, pois estamos recebendo queixas de consumidores alegando que os estabelecimentos estão estocando o produto. Nesse sentido, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) considera a prática abusiva, pontuou o gestor.

Rui sobre Temer: ‘Poderia ter coragem para trocar a direção da Petrobras’


O governador da Bahia lamentou os impactos causados pela greve dos caminhoneiros e criticou o Governo Federal por acionar forças nacionais

Rayllanna Lima BAHIA.BA


Foto: Izis Moacyr / bahia.ba
Foto: Izis Moacyr / bahia.ba

O governador Rui Costa (PT) definiu nesta sexta-feira (25) a política de preços da Petrobras como “desastrosa” e criticou o presidente Michel Temer (MDB) por acionar o Exército para liberar as estradas ocupadas pelos caminhoneiros que estão em greve desde a última segunda-feira (25).
“Sou crítico dessa política desastrosa de reajuste de preço que a Petrobras está fazendo — 11 reajustes em 17 dias é escândalo. O presidente precisa ter outra coragem. Ou ele está mandando fazer tanto reajuste, ou a direção da Petrobras não está obedecendo.  Se o Governo Federal tem coragem de acionar forças nacionais de segurança para desbloquear as estradas, poderia ter coragem também para trocar a direção da Petrobras. Que reduza PIS/Cofins e não as já combalidas receitas e contas dos estados”, defendeu Rui, em pronunciamento compartilhado em sua página no Facebook.
O chefe do Executivo estadual ponderou, contudo, que é preciso ter “bom sendo” por ambas as partes para resolver o impasse. “Não é porque sou crítico, que vamos permitir. Está sendo colocado em risco o fornecimento de medicamentos e oxigênio nos hospitais, os aeroportos parados, os supermercados estão ficando desbastecidos. Daqui a pouco vai começar a morrer criança e idosos internados. Vai morrer gente nessa cidade”, afirmou.

Greve só acaba quando governo atender reivindicações dos caminhoneiros


BLOG DO CAMINHONEIRO

O presidente da Associação Brasileira de Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, disse ontem, em entrevista à rádio CBN, que a greve de caminhoneiros só termina se o governo assinar o decreto para redução do PIS/Cofins e Cide dos combustíveis.
De acordo com ele, quando o presidente Michel Temer assinar o decreto isentando os combustíveis desses impostos, a greve acaba e em pouco minutos as rodovias serão liberadas.
O presidente Michel Temer está em Brasília hoje, e pode participar da reunião para tentar encontrar uma solução para o movimento.
A Petrobrás anunciou ontem a redução de 10% no valor do diesel por apenas 15 dias, e o governo já decretou o fim da Cide dos combustíveis, porém os caminhoneiros acham que isso ainda é pouco, e a greve deve continuar.
Mesmo com o anúncio de redução do valor do diesel pela Petrobras, o presidente da estatal, Pedro Parente, já deixou claro que a política de preços da empresa não mudou, e o valor dos combustíveis deve voltar a subir após os 15 dias de redução.
Isso desagrada os caminhoneiros, e a greve deve continuar hoje e nos próximos dias.

Abcam não aceita proposta do governo e greve irá continuar


BLOG DO CAMINHONEIRO

José da Fonseca Lopes, presidente da Abcam, deu às costas às propostas do governo na tarde de hoje, por não aceitar os termos para encerramento da greve dos caminhoneiros. Na última semana, a Associação Brasileira dos Caminhoneiros convocou os caminhoneiros para uma greve geral em todo o país, se o governo não se pronunciasse a respeito dos valores do diesel.
Como o governo não deu nenhuma resposta até sexta-feira passada, a Abcam iniciou a mobilização dos caminhoneiros na última segunda-feira, e mais de 100 pontos de rodovias foram bloqueado. Hoje, quarto dia de protesto, mais de 500 pontos de rodovias federais foram bloqueado. Somando-se as rodovias federais, estaduais e trechos urbanos, não contabilizados pela PRF, os protestos em todo o país podem ter passado de 1.500 pontos.
Por causa da greve o governo se reuniu com entidades representativas dos caminhoneiros em Brasília, ontem e hoje, para tentar negociar o fim dos protestos. Na tarde de hoje, o governo pediu uma trégua de 15 dias na greve, para tentar encontrar uma solução para o problema. A Abcam já havia se pronunciado sobre isso, informando que não concorda com esses termos, e que o movimento de greve só termina quando o governo publicar no Diário Oficial a redução dos impostos que incidem sobre o diesel, e que essa redução seja adequada ao setor de transportes.
Outras entidades que participaram da reunião entre a Abcam e o governo aceitaram os termos do governo, mas a Abcam, que deu início às greves e é a maior representante dos caminhoneiros nesse momento não aceitou, e pediu que a greve continue em todo o país.
Caminhoneiros de todas as regiões já se pronunciaram, informando que irão manter os pontos de bloqueios em todo o país. Com isso, a greve não deve perder força. No dia de hoje, contando com apoio popular, de agricultores e de profissionais de diversos setores, a greve cresceu muito, atingindo todos os estados do Brasil.

Greve de caminhoneiros continua bloqueando 554 pontos em rodovias federais


BLOG DO CAMINHONEIRO

No quinto dia de paralisações em todo o país, a greve de caminhoneiros bloqueia 554 pontos de rodovias federais. Apenas o estado do Amapá não registra ocorrência de protestos em rodovias federais. Com 74 pontos, o estado do Rio Grande do Sul é o que lidera o número de manifestações. Alagoas, Roraima e Acre são os que tem menos pontos de bloqueios, apenas 2 em cada.
Após um acordo que não foi aceito pela Abcam, o governo o fim da greve na noite de ontem, informando que teriam o prazo de 30 dias para decidir quais medidas serão tomada. Porém, por a Abcam não ter aceito os termos do acordo, a greve continua em todo o país.
No quarto dia de protestos, os caminhoneiros passaram a contar com apoio quase total da população, recebendo alimentos, água, cobertores e outros itens para se manterem nos protestos. Também houve centenas de atos em apoio à greve. Milhares de pessoas se juntaram aos caminhoneiros, formando uma das maiores manifestações que o país já viu.
Devido à greve, indústria, comércio e serviços já estão paralisando suas atividades por conta da falta de produtos. Várias fábricas pararam suas linhas de montagem, itens básicos estão acabando em supermercados e quase não há mais combustível em postos.
A Abcam pediu aos caminhoneiros que se mantenham em greve até que o governo reduza significativamente os valores dos impostos que incidem sobre o valor dos combustíveis. O pedido da entidade diz que os caminhoneiros ficaram em greve até que o decreto seja publicado no Diário Oficial da União.

Uso de forças de segurança é muito criticado por caminhoneiros


BLOG DO CAMINHONEIRO

Caminhoneiros de todo o país ficaram perplexos com o pronunciamento do Presidente Michel Temer, que autorizou o uso de força policial contra o movimento dos caminhoneiros em todo o país.
O presidente classificou os manifestantes como uma minoria, que não está permitindo o tráfego de outros motoristas, e disse que o governo atendeu às demandas dos caminhoneiros após reunião ontem.
Como já noticiado, a Abcam não aceitou os termos do governo e pediu para que o movimento continuasse em todo o país. Os caminhoneiros nos pontos de manifestação também não aceitaram a proposta do governo e mantiveram o movimento no dia de hoje.
Os caminhoneiros também dizem que o tráfego não está sendo bloqueado em nenhuma rodovia. Os caminhoneiros aderiram ao movimento por vontade própria, e muitas transportadoras também pararam seus caminhões em apoio ao movimento.
Nas rodovias federais de todo o país são registrados mais de 500 pontos de bloqueio no dia de hoje. As manifestações começaram na segunda com pouco mais de 100 pontos de manifestação.
A adesão ao movimento dos caminhoneiros já é muito amplo. Dezenas de setores pararam em apoio aos caminhoneiros em todo o país, e o tamanho da manifestação só cresce.
De acordo com os caminhoneiros, o uso de forças de segurança é desproporcional, pois não há bloqueio de rodovias e o movimento é pacífico.

ORA, PETROBRAS!

por Percival Puggina. Artigo publicado em
 De onde a vejo, como cidadão e consumidor, a Petrobras é apenas uma empresa pública monopolista que, em perspectiva recente, adquiriu péssima reputação. Embora responda por 99% do petróleo refinado no Brasil e detenha o invulgar privilégio de fixar o preço de seu produto concorrente – o etanol –, permitiu que o governo anterior lhe criasse gravíssimos problemas financeiros e de imagem pública. Se eu tiver que escolher uma empresa para admirar e proteger, certamente ela não será monopolista, nem pública, nem vampirizada por corrupção ou corporativismo. Portanto, como cidadão brasileiro, o valor de suas ações me afeta muito menos do que a falta de combustível no posto da esquina.
E os caminhoneiros, grevistas da vez? Estão tapados de razão. Sintonizo com eles quanto aos preços dos combustíveis. Considero uma irracionalidade estarem submetidos a uma empresa monopolista que se concede o direito de alterar os preços de seus produtos dezenas de vezes por mês! Imagine uma indústria que adote a mesma prática em tempos de pequena ou nenhuma inflação. Imagine uma loja trocando diariamente, e mais de uma vez por dia, as etiquetas de preço na vitrina. Imagine isso num supermercado em tempos de preços estáveis. Loucura!
Como podem as atividades econômicas altamente dependentes dos combustíveis controlar seus próprios custos se um item tão importante oscila diariamente segundo a cotação do barril de petróleo, segundo a cotação do dólar, segundo as necessidades da Petrobras e segundo os interesses fiscais da União e das unidades da Federação? Tenho idade suficiente para afirmar que coisa igual nunca se viu. Não faltam razões, portanto, para a atitude dos caminhoneiros. Mesmo assim, sou contra o que estão fazendo. Não é a justiça da reivindicação que legitima a conduta dos manifestantes. Se aceitar que se tranquem rodovias, que se aterrorize a população com o pânico da escassez, que se leve caos à sociedade, devo admitir que as práticas delinquentes do MST se habilitem ao escrutínio da mesma lupa moral. E isso, por motivos óbvios, não posso fazer.
Uma soma algébrica de erros não produz um acerto. Agindo sobre erros antigos, não está certa a direção da Petrobras ao ver a empresa na perspectiva quase claustrofóbica em que a vê. Pedro Parente é um grande gestor, mas existe vida fora da Petrobras. Quando motoristas e transportadores usam a população e a escassez como forma de pressão, não estão a agir diferentemente de certos movimentos sociais que colocam mulheres e crianças na linha de frente de suas ações criminosas. O governo, ao tratar a Petrobras como se fosse uma prateleira de cristais, está deixando claro, para mim, que esses cristais não deveriam estar nessa prateleira.

* Percival Puggina (73), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil, integrante do grupo Pensar+.

Presidido por sócio de Pedro Parente, banco recebeu R$ 2bi da Petrobras

[Presidido por sócio de Pedro Parente, banco recebeu R$ 2bi da Petrobras]
25 de Maio de 2018 às 16:35 Por: Agência Brasil Por: Redação BNews
O presidente da Petrobras, Pedro Parente, liberou o pagamento de R$ 2 bilhões para o banco JP Morgan, presidido por José Berenguer. Berenguer é sócio de Parente, segundo o repórter Filipe Coutinho, da revista eletrônica Crusoé.
"Um cruzamento de pessoas jurídicas mostra que, na prática, o presidente da Petrobras, Pedro Parente, é sócio do presidente da JP Morgan no Brasil, José Berenguer", diz a reportagem. Conforme a apuração do repórter, o pagamento foi um adiantamento de um empréstimo que deveria ser pago até 2022.
Conflito de interesses — O presidente da Petrobras já esteve envolvido em outras questões polêmicas. Ao assumir o conselho de administração da BRF, disse não haver "conflito de interesses".
O nome de Parente, que está à frente da Petrobras desde junho de 2016, foi proposto pelo empresário Abilio Diniz, no comando do colegiado desde 2013, e teve apoio da gestora brasileira Tarpon, e dos fundos de pensão Petros (Petrobras) e Previ (Banco do Brasil).
Pedro Parente também é dono da Prada Ltda., especializada em gestão financeira de famílias milionárias. Sua esposa, que já teve passagem pelo JP Morgan, é sua sócia.
Antes de assumir a presidência da Petrobras, a Prada atendia 20 famílias. Depois de ter sido nomeado presidente da estatal, o número de famílias atendidas pela Prada aumentou consideravelmente. Até mesmo bilionários passaram a requisitar os serviços. Além disso, empresas também entraram na lista de clientes da especializada em gestão financeira.

Com informações do Jonal do Brasil

Salvador: ambulâncias só têm combustível para rodar até segunda-feira (28)


[Salvador: ambulâncias só têm combustível para rodar até segunda-feira (28)]
25 de Maio de 2018 às 14:53 Por: Reprodução Por: Redação BNewsAs ambulâncias de Salvador só têm combustível para circular até a próxima segunda-feira (28). Segundo a Secretaria Municipal de Gestão (Semge), caso a greve dos caminhoneiros não for solucionada até segunda, o atendimento na área da saúde e de outros serviços públicos municipais serão afetados.
"Felizmente setores como o da saúde, educação ou o funcionamento em geral da Prefeitura ainda não foram afetados em função dessa greve que paralisa o Brasil. O Hospital Municipal, nossas Unidades de Pronto-Atendimento e postos de saúde ainda estão funcionando normalmente, com a chegada inclusive de medicamentos. Estamos monitorando e acompanhando de perto essa situação e veremos os desdobramentos durante este sábado (26) e domingo (27). Se a situação permanecer a mesma, teremos que montar planos de contingência nos órgãos públicos municipais pois fatalmente haverá prejuízos", afirmou nesta sexta-feira (25) ACM Neto.
O prefeito terá reunião na tarde de hoje com toda a equipe para avaliar a situação."Esperamos que essa situação seja resolvida logo para que serviços da Prefeitura não sejam afetados. Vamos manter a sociedade informada e manteremos reuniões hoje e, se necessário, durante o final de semana para tomarmos as decisões necessárias", afirmou ACM Neto.

Greve dos caminhoneiros: profundamente irritado com a postura do Governo Federal, afirma Neto

BOCÃO NEWS
[Greve dos caminhoneiros: profundamente irritado com a postura do Governo Federal, afirma Neto]
25 de Maio de 2018 às 12:59 Por: BNews Por: Caroline Gois
O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), em entrevista concedida ao apresentador José Eduardo, no Balanço Geral da Record TV Itapoan, comentou sobre as negociações em torno da greve dos caminhoneiros, bem como, de que forma a capital baiana está se preparando para o desabastecimento que já atinge todo o país. "Nossa prioridade é garantir o funcionamento dos serviços essenciais. Se a gente garante o funcionamento do transporte, a gente praticamente elimina os outros problemas. Se tem transporte a gente consegue ter a Saúde e a Educação funcionando", afirmou, informando que no plano de contigência feito para o transporte público a população terá o serviço até quarta-feira (30).
Ainda segundo o prefeito, não há como prever o que vai acontecer sem ter a confirmação sobre os rumos do movimento. Segundo ele, uma reunião será feita na tarde desta sexta-feira (25) e equipes da prefeitura irão acomapnhar as notícias sobre a greve durante o fim de semana. "Queremos garantir, pelo menos, a mobilidade dos caminhões que trazem equipamentos públicos - como material de limpeza e remédios. Nem que tenhamos que buscar liminar na Justiça", ressaltou.
Na oportunidade, o prefeito criticou o governo Temer, do qual é aliado, além de discordar de ações recentes praticadas pelo presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM). "Estou profundamente irritado com a postura do Governo Federal. Já era para ter resolvido o problema. Rodrigo Maia tomou porrada na imprensa porque aprovou na noite de quarta uma medida desonerando o PIS e CONFINS. O Governo Federal terá que abrir mão do imposto. Não tem jeito. Terá que zerar o CONFINS para baixar o combustível. O Governo precisa entender que o Brasil está parado", disse.
Para Neto, a continuidade do movimento sem resposta do Governo "trará graves consequências para o país".

Por falta de combustível, aeroporto de Salvador pode cancelar voos a partir de domingo (27)


[Por falta de combustível, aeroporto de Salvador pode cancelar voos a partir de domingo (27)]
25 de Maio de 2018 às 12:54 Por: Reprodução Por: Redação BNews
O Aeroporto de Salvador pode cancelar voos por falta de combustível. A greve dos caminhoneiros tem deixado aeronaves desabastecidas e segundo a Vinci Airports, concessionária que administra o terminal, a reserva de combustível só oferece garantia de operações apenas até o próximo domingo (27).
Em nota, a empresa informa que por causa do fechamento de outors aeroportos no Nordeste e do aumento do número de solicitações de voos alternados para abastecimento (incluindo rotas internacionais, de alto consumo, foi necessário reajustar a expectativa de autonomia.
Confira a nota na íntegra
Por conta do fechamento de alguns aeroportos no Nordeste e o aumento do número de solicitações de voos alternados para abastecimento (incluindo rotas internacionais, de alto consumo), a Concessionária do Aeroporto Salvador Bahia reajustou sua expectativa de autonomia. A garantia das operações com a atual reserva de combustível é até o próximo domingo (27 de maio). As solicitações de voos oriundos de outros aeroportos serão avaliadas pontualmente, a fim de garantir a programação local de voos e assegurar a mobilidade dos nossos passageiros.

Manifestantes bloqueiam Avenida ACM e trânsito fica congestionado

[Manifestantes bloqueiam Avenida ACM e trânsito fica congestionado]
25 de Maio de 2018 às 18:41 Por: Divulgação/SSP-BA Por: Redação BNews
Um grupo de motoqueiros fazem uma manifestação, na noite desta sexta-feira (25), na avenida Antônio Carlos Magalhães (ACM), nas proximidades do Shopping da Bahia, em salvador. Segundo informações do Centro Integrado de Comunicações (Cicom) da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), os manifestantes seguem no sentido Ligação Iguatemi Paralela (LIP) e Avenida Tancredo Neves.
Por conta do protesto, o trânsito na região está congestionado, já que parte das vias estão interditadas pelos manifestantes. Guarnições da Polícia Militar já estão no local. A Cicom não soube informar o motivo da manifestação.

Crise expõe fragilidade do governo Temer e articulações para eleição

VERDINHO DE ITABUNA
Crise expõe fragilidade do governo Temer e articulações para eleição
A greve dos caminhoneiros expôs a fragilidade do governo Michel Temer, revelou movimentos políticos para as eleições de outubro e mostrou o distanciamento de antigos aliados no Congresso. Pré-candidato ao Palácio do Planalto, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), entrou em nova rota de colisão com Temer e com seu colega Eunício Oliveira (MDB-CE), que comanda o Senado. A briga atravessou a Praça dos Três Poderes e provocou impasse.
Dias após desistir de disputar novo mandato e anunciar a candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles pelo MDB, Temer sofre as consequências do fim de um governo impopular. Além de enfrentar o racha no MDB, ele também perdeu apoio na Câmara e no Senado.
Em votação simbólica, Maia conseguiu aprovar na Câmara, na noite de quarta-feira, 23, um projeto que acaba com a desoneração da folha de pagamento para 28 setores da economia, mas embutiu ali a proposta de zerar a alíquota do PIS/Cofins sobre o diesel até o fim do ano.

Foi um gesto calculado para ganhar protagonismo, mas passou longe dos acertos com o Senado e com o Planalto, que já havia pedido uma trégua aos caminhoneiros. De uma só tacada, porém, Maia contrariou Temer e irritou Eunício, que vai concorrer à reeleição e também tenta mostrar serviço. Os dois, no entanto, não deixaram dúvidas de que querem descolar suas imagens do desgaste do presidente.
Pouco antes da aprovação do projeto pela Câmara, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, chamou o deputado Orlando Silva (PC do B-SP), relator da proposta, para uma conversa reservada no plenário. Estava apreensivo com o impacto da perda de receita provocada pela isenção do PIS/Cofins. Havia sido alertado antes por um telefonema do secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, para quem a renúncia seria de R$ 12 bilhões, e não de R$ 3,5 bilhões, como sustentava Maia.
"Eu disse a ele: 'Marun, a base do governo está votando contra o governo'", contou Silva, que, apesar de ser da oposição, é aliado de Maia. Por volta de 15 horas, naquele dia, Temer também já tinha telefonado para o presidente da Câmara. Queria saber o que seria votado. "Vou avaliar, presidente", respondeu Maia.
Na manhã de ontem, Marun batia na tecla de que os cálculos feitos pela Câmara estavam equivocados. "Agora temos de enfrentar as consequências da medida aprovada", lamentava.
Maia previa que receitas extras com os royalties de petróleo compensariam a isenção do PIS/Cofins e apostou no risco. "Fiz aquilo que considero correto para o Brasil", afirmou ele, minimizando o erro dos números. Eunício, por sua vez, viajou ontem para o Ceará, sem pautar a votação do projeto no Senado. Teve de retornar a Brasília, após ligação nervosa do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha.
"Temos apoio de 80% da população. Se autoridades querem pôr fogo nesse País, estão conseguindo", dizia o presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes. Nos bastidores, Eunício culpou Maia pela crise.
Para a líder do MDB no Senado, Simone Tebet (MS), a disputa deu o tom das articulações para pôr fim à greve. "O jogo eleitoral está por trás de tudo isso, mas o Senado não pode ser o bandido dessa história", argumentou Tebet. Com informações do Estadão Conteúdo.

Caminhoneiros criticam sindicatos e dizem que continuarão parados

VERDINHO DE ITABUNA
Caminhoneiros autônomos parados nas rodovias disseram, após a divulgação do acordo do governo e oito entidades da categoria, que não acabarão com a greve.
"Os supostos sindicatos que estão negociando não representam os caminhoneiros que estão na rua", disse o motorista Aguinaldo José de Oliveira, 40, que trabalha com transportes há 22 anos e para quem o movimento não tem um líder.
"São uns aproveitadores que não falaram com a gente antes da greve e chegaram agora, quando já estava tudo parado", afirma o caminhoneiro que está parado na av. Anhaguera, Campinas. "Estou em mais de 30 grupos de WhatsApp e em nenhum aceitaram esse acordo."
Segundo ele, os caminhoneiros pretendem manter a paralisação porque o acordo não atinge as suas principais reivindicações. "São 14 itens que a gente nem conhece. O principal é a redução do diesel, mas não essa esmola temporária de 15 centavos."
Outro caminhoneiro de 48 anos, parado em Campina Grande, na Paraíba e que preferiu não se identificar, concordou que o acordo não representa os trabalhadores autônomos.
"Nenhum caminhoneiro vai aceitar esse acordo. O Brasil vende diesel para a Bolívia a R$ 1,80 e a gasolina a R$ 2,50. Por que não pode vender aqui também?", questionou.

E reclamou de outros pontos que não apareceram no acordo. "Por que só caminhoneiros têm que usar tacógrafo e fazer exames toxicológicos?". Para ele, ou todos os motoristas deveriam ser obrigados a cumprir tais exigências ou que nenhum fosse.
"Pagamos R$ 400 para um exame toxicológico, IPVA, diesel caro e ainda temos que pagar pedágio", disse. "Não está faltando nem comida, nem bebida para gente, vamos continuar nas estradas", afirmou o caminhoneiro. Com informações da Folhapress.

Com falta de combustíveis em postos na Bahia, anunciantes vendem gasolina na internet

VERDINHO DE ITABUNA
Com a escassez de combustíveis em diversos postos na Bahia, por conta da greve dos caminhoneiros, que chegou ao 4º dia, tem gente anunciando gasolina até em site de vendas. Dois anúncios foram colocados na internet, nesta quinta-feira (24), por anunciantes que dizem ser de cidades baianas, que oferecem o produto a valores que podem chegar até R$ 8 o litro. Em um dos anúncios, o anunciante, que diz ser do bairro de Cajazeiras, em Salvador, afirma que está com um estoque de 300 litros e que cada um sai por R$ 8. "Nessa greve de gasolina não deixe de abastecer seu carro. Tenho gasolina de boa qualidade", escreveu, na descrição do produto. Um número de celular foi disponibilizado pelo vendedor para que os interessados possam entrar em contato.
Outro anunciante, que diz residir em Santo Antônio de Jesus, no recôncavo baiano, anunciou a gasolina,. no mesmo site de vendas, por um preço mais em conta: R$ 5 o litro. Ele postou uma foto, onde é possível ver ao mesmo seis galões do combústível empilhados e também disponibilizou um número para contato. Cerca de 70% dos postos da BA já estão sem combustíveis, segundo aponta o Sindicato do Comércio de Combustíveis, Energias Alternativas e Lojas de Conveniência do Estado (Sindicombustíveis). *Matéria reproduzida do G1

Caminhoneiros protestam na BR-101 em Itabuna e fecham pista para cantar o Hino Nacional

VERDINHO DE ITABUNA


Os caminhoneiros continuam irredutíveis e já garantiram: só vão encerrar a greve, quando o governo atender as reivindicações. Uma delas é a redução dos impostos no óleo diesel. Enquanto isso, a promessa é de que os protestos continuem sendo realizados nas rodovias do Brasil afora.
Hoje (25), por exemplo, a BR-101, trecho próximo ao bairro Jaçanã, em Itabuna, foi palco de uma manifestação. O ato, que interditou a pista por volta das 16 horas, contou com o apoio de dezenas de pessoas, entre familiares dos caminhoneiros, amigos e até empresários. O dono do Bar Memel estava entre aqueles que defendem a bandeira dos motoristas de caminhão.
A rodovia ficou bloqueada só por alguns minutos, quando os manifestante cantaram o Hino Nacional. Em seguida, a pista foi liberada, mas o movimento, “regado” a muita animação, continuou. A greve dos caminhoneiros já provoca reflexos drásticos em todo o país, entre os quais a falta de combustíveis nos postos de gasolina e até nos aeroportos. Empresas de ônibus estão reduzindo frotas em vários lugares. Em Itabuna, segundo o repórter Wadson Santos, não há mais gasolina em lugar nenhum. O jornalista relatou que ele mesmo teve que ir abastecer o carro no município vizinho, Itajuípe. 
Em pronunciamento na tarde desta sexta-feira, o presidente Michel Temer, disse que acionou forças federais para desbloquear as estradas, ocupadas pelos grevistas.

Trégua não funciona; caminhoneiros entram no 5º dia de greve


Mesmo após um acordo entre líderes da greve dos caminhoneiros e do governo federal, o movimento segue na manhã desta sexta-feira em todo o Brasil, com bloqueios em 24 estados e no Distrito Federal, de acordo com levantamento da Polícia Rodoviária Federal. Segundo o anúncio do ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha (MDB), as entidades se comprometeram a suspender os protestos por quinze dias em troca da prorrogação do desconto de 10% no diesel para um mês. No entanto, nem todas as lideranças presentes assinaram e os bloqueios continuam. Com exceção do Amazonas e do Amapá, todas as unidades federativas brasileiras estão com vias interditadas para a passagem de veículos de transporte de carga. Ao todo, diz a PRF, são 562 bloqueios em todo o Brasil, por volta das 9 horas da manhã. O estado que concentra o maior número de interrupções é o Rio Grande do Sul, com 74 ocorrências. Na sequência aparecem o Paraná (69) e Minas Gerais (51). (Veja)

Aviso de adiamento


Em virtude de problemas de ordem diversa, referentes à greve de caminhoneiros que afeta diretamente os três campi da Universidade Federal do Sul da Bahia – Ufsb, não será possível realizar as provas do concurso público para docente do magistério superior regido pelo Edital nº 11/2018, com início previsto para o dia 27 de maio de 2018. Em breve será divulgado novo cronograma de realização das etapas do referido concurso.

Temer coloca Forças de Segurança para liberar estradas


Após o fracasso do acordo do governo para suspender a greve dos caminhoneiros por 15 dias, o presidente Michel Temer anunciou hoje que vai convocar as Forças Federais de Segurança para liberar as estradas bloqueadas desde segunda-feira. A decisão foi tomada após uma reunião do Gabinete de Segurança Institucional no Palácio do Planalto com Temer e ministros do governo. As centrais sindicais criticaram a decisão do governo. Na opinião das entidades, o endurecimento da negociação só ‘acirra o conflito e dificulta uma solução equilibrada’. “A proposta do governo de convocar as Forças Armadas, como instrumento de repressão é querer apagar fogo com gasolina”, afirma nota assinada pelos presidentes de seis centrais sindicais – CUT, Força Sindical, UGT, CTB e Nova Central.

Frota dos ônibus urbanos é reduzida em Itabuna


As empresas de transporte coletivo em Itabuna, Sorriso e São Miguel, anunciam que estão reduzindo em 20% toda frota, deixando cerca de 70 ônibus circulando. As empresas ainda informam que, caso a crise não seja estancada, na próxima segunda-feira (28), Itabuna pode amanhecer sem o transporte coletivo. A redução, de 92 para 72 ônibus, se dará apenas fora dos chamados `horários de pico`, ou seja, entre 8 e 11 horas, 14 e 17 horas e após às 19h30 horas. Nos horários de maior circulação de passageiros, as empresas manterão a totalidade da frota em operação. O serviço será normalizado assim que as empresas voltem a manter os estoques de combustíveis.

Prefeitura busca parcerias para o desenvolvimento de Itabuna




A busca por recursos por meio de parcerias com os poderes públicos federais e estaduais e ainda com empresários locais e de outras partes do país destinados ao desenvolvimento social, econômico e também para serviços de infraestrutura nos bairros de Itabuna, levou o secretario de Desenvolvimento Urbano, João Zulato Filho a Salvador, para audiência com representantes com órgãos do Governo Estadual.
Um dos contatos realizados na semana passada foi feito na Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder) em busca de verbas para a conclusão do Centro de Convenções e o Teatro Municipal. O equipamento foi projetado pelo prefeito Fernando Gomes em sua quarta gestão e teve as obras paralisadas por vários anos, conforme lembra o secretário.
Ainda em Salvador, João Zulato Filho também manteve contatos com outras instituições estaduais visando conseguir recursos para iniciar os serviços de infraestrutura, saneamento básico e de urbanização em vários bairros da cidade, uma das prioridades estabelecidas pelo prefeito Fernando Gomes.
Para o secretário, acompanhar o desenvolvimento de uma cidade, significa investir em importantes equipamentos que permitam melhoria da mobilidade urbana e em serviços essenciais que assegurem uma melhor qualidade de vida da população.  “Sem parceria seria inviável a concretização de projetos que vão mudar o perfil social e econômico de nosso município”.
Zulato destaca ainda, que o prefeito tem se movimentado em busca de parcerias com propósito de executar outros importantes projetos como os que preveem a ligação da BR 101 pela área próxima ao Hospital de Base Luiz Eduardo Magalhães à BR 415, a substituição da ponte do Marabá e a construção de uma nova passarela.
“Todo investimento, seja em projetos estruturais ou em melhorias urbanísticas, executados pelo poder público, por meio de parcerias, resulta no desenvolvimento e crescimento mais acelerado do município e por extensão, atende demanda e anseios da comunidade”, concluiu o secretário. 
__________________________
Diretoria de Comunicação Social
Foto:  Waldir Gomes
25/05/18



-- 


PREFEITURA DE ITABUNA
SECRETARIA DE GOVERNO - DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

SEC implementa cronograma de reforma e manutenção de escolas municipais


        
         A Secretaria da Educação (SEC) de Itabuna está implementando um cronograma de reforma e manutenção das escolas e creches da Rede Pública Municipal de Ensino. Um diagnóstico situacional realizado pelo Departamento de Infraestrutura Escolar da SEC no primeiro semestre de 2017 revelou que mais de 80% das unidades escolares precisa passar por intervenções que vão desde a reforma de telhado, reestruturação das instalações elétricas e hidráulicas, pintura interna e externa, bem como melhorias da acessibilidade, dentre outros serviços.

Com base nesta análise, a Prefeitura de Itabuna, por meio da Qualitechno Construtora Ltda, empresa vencedora da licitação para reforma e manutenção de prédios públicos do município, iniciou no segundo semestre de 2017 pequenas intervenções nas seguintes escolas: Espírita Emanuel, Zacarias Dantas, Maria Rosa, Maria Creuza, São Paulo da Cruz, Antônio Menezes, Avelina Sandes e Áurea Lima.

Também o Grupo Escolar Frederico Smith Lima, na Urbis IV, passou por pintura geral e melhoria das instalações elétricas e hidráulicas. Ainda em 2017, foram iniciadas e estão em fase final a reforma da Escola Lúcia Oliveira, no centro, e da Creche e Centro de Educação Infantil Gil Nunesmaia, do bairro Jorge Amado. Para este ano de 2018 um novo cronograma está sendo desenvolvido desde março: reforma do telhado da Escola Flávio Simões; reforma, pintura e melhoria dos sistemas elétrico e hidráulico da Escola Humberto Castelo Branco, localizadas no bairro Califórnia, bem como do Instituto Municipal Aziz Maron (Imaeam), com telhado e reforma das instalações elétricas.

Demanda reprimida

Segundo a secretária da Educação, Anorina Alves Smith Lima, que esteve em visita às escolas na última semana, a melhoria da infraestrutura escolar da Rede Pública Municipal de Ensino está entre as prioridades estabelecidas pelo prefeito Fernando Gomes para o setor educacional, entretanto, a situação de precariedade em que foi encontrada a maioria das escolas no início de 2017 apontou uma demanda reprimida por intervenções que, em muitos casos, se arrastam por mais de uma década.

“Herdamos um quadro muito crítico neste contexto da infraestrutura escolar. Porém, mesmo enfrentando escassez de recursos, estamos avançando no sentido de atender, inicialmente, aquelas unidades que estejam em situação mais precária e, posteriormente, vamos atender as demais escolas que precisam de pequenas reformas ou de serviços de manutenção”, assegurou. Anorina.

A secretária da Educação esclarece que a empresa Qualitcheno, responsável pelas obras nas unidades escolares, também é encarregada a prestar os mesmos serviços nos demais prédios da administração pública municipal, a exemplo das unidades da Rede Básica de Saúde e da Assistência Social. “Portanto, a demanda é bastante considerável e exige que seja estabelecido o cronograma de prioridades”, disse. Ela adiantou que, concluída nos próximos 20 dias as obras em andamento, uma nova etapa será iniciada com intervenções nas creche Esther Gomes e Pequeno Aprendiz, além das escolas Yolanda Pires e Lourival Oliveira. Esta última, localizada no bairro de Ferradas e a segunda maior da Rede Municipal, encontra-se com a estrutura totalmente comprometida.
_____________________________________
Assessoria de Comunicação Social

25 de maio de 2018


-- 


PREFEITURA DE ITABUNA
SECRETARIA DE GOVERNO - DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL