sábado, 23 de junho de 2018

Combustível de aviação mais caro eleva preços das passagens

Postado em 23/06/2018 8:30 DIGA BAHIA!
Não é só na hora de abastecer o carro que o brasileiro está pagando mais caro pelo combustível. Quem precisa viajar de avião também sente no bolso. O QAV (querosene de aviação) teve alta de mais de 50% no Brasil, na comparação com junho do ano passado, e uma parte desse aumento já está sendo repassada às passagens aéreas. O combustível representa entre 20% e 30% dos custos de uma companhia aérea. Esse aumento está diretamente relacionado ao preço do barril de petróleo no mercado internacional, que está 60% mais caro.
Abastecer um Boeing 737, com capacidade para 177 passageiros, no aeroporto de Guarulhos (SP) custa hoje entre R$ 25 mil e R$ 30 mil para a rota São Paulo-Manaus (2.689 km), por exemplo. O valor leva em conta o preço do QAV no aeroporto, mas pode ser menor a depender do contrato da companhia aérea com a distribuidora.
“A passagem aérea tem dois componentes que são dolarizados na composição do preço: o leasing [arrendamento] da aeronave e o querosene de aviação. […] Por mais que sejam trechos nacionais, esse aumento de custos em dólar têm relação com o valor da passagem”, explica Eduardo Fleury, líder de operações do Kayak Brasil, site especializado em buscas de bilhetes aéreos.
A Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas) diz que cerca de 60% dos custos das companhias “estão fortemente atrelados ao dólar”. “Como cada companhia tem a sua forma de minimizar o impacto desses custos, não é possível aferir o reflexo direto sobre os preços das passagens”, pondera a associação.
No entanto, um levantamento de preços feito pelo Kayak a pedido do R7 mostra um aumento médio de 12,3% nos preços de passagens para nove dos dez destinos mais procurados nesta época do ano para quem deseja viajar em julho.
Os voos com destino a Brasília custavam, em média, R$ 769,69 no ano passado e agora estão chegam a R$ 1.269,36 (+65%). Viajar para São Paulo está custando 22% mais caro; Porto Seguro e Recife, 11%; Salvador, Natal e Maceió, 9%; Fortaleza, 6%; e e Rio de Janeiro, 3%. A única localidade que ficou mais barata foi Porto Alegre, com queda de 8%.
A Anac possui dados disponíveis apenas de janeiro e fevereiro, mas que já mostravam uma alta de 9,8% no preço médio das passagens em relação ao mesmo período de 2017 — de R$ 330,83 para R$ 363,34.
Arte/R7

Combustível mais caro no mundo todo

A alta dos preços ocorre justamente no momento em que a aviação doméstica começa a apresentar resultados positivos. Entre janeiro e maio, houve aumento de 4,1% da demanda, em relação ao mesmo período de 2017, segundo a Abear.
No entanto, o fenômeno não é uma exclusividade do Brasil. Dados da IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo, sigla em inglês) mostram que o combustível de aviação está 53% em todo o mundo, na comparação com junho do ano passado).
Nos Estados Unidos, o preço do combustível de aviação atingiu nas últimas semanas o patamar mais alto desde dezembro de 2014.
A American Airlines, maior companhia aérea do mundo, calcula que o aumento do preço do combustível vai gerar um custo extra de US$ 2 bilhões (cerca de R$ 7,5 bilhões) neste ano.
Outra gigante norte-americana, a Delta Air Lines diminuiu a previsão de lucro em 2018 devido ao aumento dos gastos com combustível.
As rotas regionais e com menor oferta de voos nos Estados Unidos estão sendo as mais afetadas pelos aumentos de preços, principalmente porque esta época do ano é de férias de verão e a procura aumenta.
Para tentar driblar o preço, o consumidor precisa se planejar, diz o executivo do Kayak. “Para passagens nacionais, recomendamos sempre comprar com um mês de antecedência e para destinos internacionais, de três a quatro meses”, orienta Fleury.
R7

PRF disponibiliza portal online para ocorrências de acidentes de trânsito


Postado em 23/06/2018 8:19 DIGA BAHIA!
Neste período junino, os motoristas que se envolverem em acidentes sem vítimas nas rodovias federais podem registrar ocorrência na internet através da declaração de acidentes de trânsito.
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) iniciou uma operação hoje (21) que segue até segunda-feira (25) devido ao crescimento no fluxo de veículos esperado para o fim de semana.
De acordo com a polícia, a BR-324 é a rodovia baiana onde há maior concentração de veículos neste período. A declaração eletrônica substitui o boletim elaborado pessoalmente pelos policiais e pode ser feito gratuitamente pelo site www.prf.gov.br/acidente.

Polícia faz apelo por denúncias sobre assassinato da menina Vitória

Postado em 23/06/2018 9:02 DIGA BAHIA!
– Com poucas pistas sobre o crime, que nesta sexta-feira, 22, completou duas semanas, a Polícia Civil está fazendo um apelo para que as pessoas falem o que sabem sobre o rapto e morte da menina Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, assassinada após sair de casa para andar de patins, em Araçariguama, interior de São Paulo.
Conforme o delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba, Acácio Aparecido Leite, não houve uma única denúncia ou informação anônima capaz de ajudar nas investigações. “A gente pede que as pessoas utilizem os canais de denúncia que estão disponíveis. O autor da denúncia não precisa de identificar e será mantido no anonimato”, disse.
Segundo ele, numa cidade pequena, como Araçariguama, é comum as pessoas observarem o que se passa ao redor. Ele acredita que a abordagem à garota pelo assassino e o deslocamento do carro pela cidade podem ter sido vistos por alguém, pois aconteceram em plena luz do dia. Ele acredita que os possíveis informantes podem ter se assustado com a grande repercussão do caso e deixado de passar as informações à polícia.
Nesta sexta, a polícia concluiu que as ameaças feitas à mãe da menina com o uso de um aplicativo de celular, eram falsas. O autor foi identificado e é pessoa com problemas mentais, que havia agido da mesma forma em outras ocasiões, com o objetivo de chamar a atenção para si. Duas semanas após o crime, a polícia mantém três pessoas sob suspeita de envolvimento no caso.
Além do servente de pedreiro que está preso temporariamente, é investigado um casal de Mairinque que, segundo o detido, teria levado Vitória de carro. A polícia espera que os laudos de perícias no corpo da vítima e em amostras dos suspeitos ofereçam alguma pista para o crime. Ainda são analisadas as imagens de câmeras instaladas no possível percurso feito pelo carro em que Vitória foi levada.
Terra

Senhor do Bonfim:

MP recomenda suspensão da ‘guerra de espadas’ durante festas juninas; grupo protesta

Postado em 23/06/2018 8:17 DIGA BAHIA!
Ministério Público Estadual (MP-BA) recomendou ao município de Senhor do Bonfim, no norte da Bahia, que não promova ou coopere com a soltura da guerra de espadas, prática onde fogos de artifício, semelhantes a pequenos foguetes, são utilizados como espadas. Por conta da proibição, um grupo realizou um protesto na cidade nesta sexta-feira (22).
A proibição da tradicional “guerra de espadas” já havia sido determinada pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) em 2017, após ser considerado um pedido feito pelo MP-BA. Espadas chegaram a ser apreendidas com um grupo em Senhor do Bonfim, no ano passado, e ainda teve quem desafiasse a determinação da Justiça ao ir para rua com os fogos de artifícios.
Na recomendação deste ano, o MP-BA disse, ainda, que a polícia local pode ser chamada para intervir, e informou que quem for pego participando pode ser preso em flagrante e responder pelo crime previsto na lei de combate a posse e comercialização de armas de fogo e munição.
A “guerra de espadas” é uma tradição que tem mais de 70 anos e está sendo alvo de polêmica por conta da recomendação do Ministério Público.
O Secretário de Cultura da cidade, Rodrigo Vanderlei, disse que está tentando chegar a um acordo com o Ministério Público. “Nós estamos tomando algumas providências, dentro do judiciário, para garantir que a Lei que transforma a guerra de espada em patrimônio cultural e imaterial tenha validade e fazer com que a população possa ir às ruas com segurança, para fazer o brilho que a guerra de espadas tem”, disse Vanderlei.
Ronald Carvalho, que é espadeiro, diz que vai respeitar a decisão da Justiça, mas não concorda com o fim da guerra de espadas. “Se tem lei é para se cumprir. Mas vamos dar uma olhadinha na tradição de Senhor do Bonfim. Quem faz a guerra de espadas é o povo”, opinou.
G1

Justiça derruba liminar e reajuste de plano de saúde será de 10%

Postado em 23/06/2018 7:42 DIGA BAHIA!
A liminar que fixava o teto para o reajuste de mensalidades de planos de saúde individuais foi suspensa pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região nesta sexta-feira (22).
O desembargador Nelton dos Santos acatou o recurso que havia sido interposto pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Com isso, a agência volta a ter a liberdade para fixar o reajuste que considerar apropriado
Na decisão, o desembargador afirma que “a questão dos reajustes dos planos de saúde é muito mais complexa, envolvendo aspectos técnicos que não podem ser desprezados.” Argumenta ainda ser “bastante abstrato o conceito de reajustes excessivos.”
No dia 14, a 22ª Vara Cível Federal de São Paulo havia fixado liminarmente um teto de 5,72% para o reajuste de planos individuais para o período de 2018-2019.
A decisão era uma resposta à Ação Civil Pública que havia sido proposta pelo Idec (Instituto de Defesa do Consumidor), com base em um relatório do Tribunal de Contas da União. O estudo do TCU apontava falhas na metodologia usada pela ANS para fixar o reajuste, além de avaliar que o processo era pouco transparente.
O juiz da 1ª instância acatou a argumentação e, até que uma nova metodologia fosse acertada, havia fixado o reajuste provisório com base na variação do IPCA do Setor de Saúde e Cuidados Pessoais no período entre maio de 2017 e abril deste ano. No mesmo período, o IPCA foi de 2,76%.
Antes de a liminar ser concedida, a expectativa era de que a ANS concedesse um aumento de 10% para mensalidades de planos individuais. Atualmente, cerca de 9,1 milhões de pessoas têm esses planos.
ANS
Logo após a queda da liminar, a ANS fixou em 10% o índice máximo de reajuste a ser aplicado aos planos de saúde individuais/familiares no período compreendido entre maio de 2018 e abril de 2019.
De acordo com a Agência Nacional de Saúde, o percentual “é válido para os planos de saúde contratados a partir de janeiro de 1999 ou adaptados à Lei nº 9.656/98” e, com isso, atinge cerca de 8 milhões de beneficiados, que representa 17% do total de 47,3 milhões de consumidores de planos de assistência médica no Brasil.
Vale lembrar que o índice autorizado pela ANS é o percentual máximo que pode ser aplicado. Isso quer dizer que as operadoras não podem aplicar um percentual mais alto do que o autorizado, mas são livreas para adotar quaisquer índices inferiores ao divulgado pela ANS ou manter as mensalidades sem reajuste.
Ainda segundo a ANS, “os consumidores têm o poder escolha. Caso entendam que seu plano de saúde não está lhes atendendo adequadamente, podem optar pela portabilidade para outra operadora.”
R7

Itens de festa junina chegam a ter até 60% de imposto

Postado em 23/06/2018 7:40 DIGA BAHIA!
Um levantamento feito pelo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação) a pedido da ACSP (Associação Comercial de São Paulo) mostra a elevada carga tributária nos produtos normalmente consumidos nas festas juninas. Em alguns casos, os impostos superam 60% do preço final.
O quentão e os fogos de artifício têm 61,56% de imposto. Refrigerante e cerveja têm quase metade do preço de tributos federais e estaduais.
Os impostos representam um terço do preço dos tradicionais doces como pé-de-moleque e canjica. O cachorro-quente tem 15,28% de tributos.
“Por ser uma festa tradicional, de longa duração e que é realizada em ambientes diversificados ― escolas, igrejas, empresas, ruas e instituições ― a tendência é de alto consumo, mesmo com o peso dos impostos”, diz o presidente da ACSP, Alencar Burti.
O estudo encomendado ao IBPT faz parte de uma campanha da associação pela reforma tributária. A entidade defende uma “gestão transparente” dos tributos pagos pelos contribuintes.
carga tributária
R7

Com alta no frete, fertilizante está parado em portos


Postado em 23/06/2018 8:42 DIGA BAHIA!
tabelamento do frete está atrasando a entrega de fertilizantes para produtores rurais e o setor já prevê menor rentabilidade com a alta nos preços do produto.
Como menos caminhões estão indo até os portos, o insumo importado que seria a carga na viagem de volta está parado nos navios. Segundo levantamento da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), dos 60 navios parados nos portos brasileiros, 35 estão com fertilizantes.
O diretor executivo da AMA Brasil (Associação dos Misturadores de Adubo do Brasil), Carlos Eduardo Florence, calcula que 60% das entregas previstas para este período do ano estão represadas — a maior parte do fertilizante consumido no País é importada.
“Não há mais capacidade de armazenagem de fertilizantes nos portos. O volume que sai é insignificante. Com isso, vários navios estão parados e carregados de adubos”, afirmou. “E ainda tem muito navio com fertilizante vindo para o Brasil.”
De acordo com a agência marítima Williams Brazil, de 1.º de junho até o dia 18, a quantidade de adubo prevista para ser descarregada nos portos brasileiros chegava a 5,143 milhões de toneladas — 36% para Paranaguá (PR), 22%, para Santos (SP) e 12 3% para Rio Grande (RS).
Segundo Florence, além de não estarem faturando com o insumo que deveria ser entregue, as empresas de defensivos estão arcando com prejuízos decorrentes da multa diária paga quando o embarque demora mais que o combinado.
Custo
No norte do Paraná, a demora na entrega de fertilizantes preocupa os produtores, já que o plantio da soja da safra 2018/2019 começa em outubro. Além desse atraso, a perspectiva é de que, mantido o atual patamar de valores do transporte, o preço dos insumos suba mais.
O gerente de logística da cooperativa Integrada, Celso Otani, diz que o frete para fertilizantes, que era de R$ 75 a tonelada antes do tabelamento, está entre R$ 100 e R$ 105 a tonelada. Ele explica que, em geral, o custo para transporte do insumo leva em consideração o fato de que ele é levado por caminhões que descarregaram grãos no porto e, para não voltar vazios, são carregados com adubo. A nova tabela de frete retirou essa vantagem, diz Otani.
O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, confirmou essa situação. “Os fertilizantes eram frete de retorno, mas agora viraram frete principal e tabelado”, afirmou o ministro.
A cooperativa do norte do Paraná recebeu até agora 40% do volume que precisará de fertilizante para atender os cooperados de setembro e outubro, quando o ideal seria já contar com 50% do total. Segundo Otani, novos pedidos de adubo, que custam, em média, R$ 1.400 por tonelada, já estão sendo feitos com preços reajustados. Os custos da cooperativa com o transporte de grãos até o porto já aumentaram 20%.
R7

Maioria entre indecisos, mulheres de menor renda podem definir eleição presidencial

Postado em 23/06/2018 8:57 DIGA BAHIA!
menos de quatro meses da disputa presidencial, um terço do eleitorado brasileiro não tem candidato. A atual rejeição aos nomes que tentam consolidar sua candidatura, porém, não é uniforme: a indefinição do voto feminino hoje é muito superior a do masculino, indicando que a escolha delas terá um peso importante para definir o quadro eleitoral daqui para frente.
As mulheres representam 52% do eleitorado brasileiro, segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). E a incerteza delas se intensifica ainda mais com a saída do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) da disputa, cenário hoje mais provável devido à sua condenação em segunda instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Segundo a última pesquisa do Instituto Datafolha, se a eleição presidencial tivesse ocorrido no início de junho com outro petista na disputa (Fernando Haddad ou Jaques Wagner), 41% das eleitoras brasileiras não teriam escolhido qualquer candidato. Essa é a soma das que responderam que não sabiam ainda em quem votar ou que votariam em branco ou nulo. Já no caso dos homens, esse percentual cai para 25%.
Quatro anos atrás, em junho de 2014, quando Dilma Rousseff (PT) concorria à reeleição contra Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos(PSB), a indefinição entre os homens era parecida (24%), mas entre as mulheres menor do que agora (34%).
Cruzamentos das respostas de intenção voto disponibilizados pelo Datafolha a pedido da BBC News Brasil mostram que o percentual de indecisão das eleitoras é ainda maior entre as de menor renda (45% das que ganham até dois salário mínimos) e supera metade do eleitorado feminino no Nordeste (52% das moradoras daquele região estão sem candidato).
Em meio a essa indefinição, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) desponta como líder nas pesquisas com até 19% de intenção de voto, apoiado principalmente pelo eleitorado masculino, seguido dos outros pré-candidatos Marina Silva (Rede, com até 15%), Ciro Gomes (PDT, até 11%) e Geraldo Alckmin (PSDB, máximo de 7%).
Se considerado apenas o eleitorado feminino, a líder é Marina, com 17%, contra 12% de Bolsonaro, aponta o Datafolha – entre os homens, a situação se inverte, com os dois recebendo 12% e 26%, respectivamente. Quando analisada a renda, a ex-senadora é líder apenas entre as pessoas com até dois salários mínimos, enquanto o deputado aparece na ponta em todas as outras faixas. O mesmo acontece regionalmente: ela està à frente no Nordeste, e ele, em todas as outras regiões.
Diante do alto número de indecisas, o candidato que conseguir atrair o eleitorado feminino de menor renda, em boa parte órfão de Lula, terá mais chances de passar ao segundo turno, afirma Rafael Cortez, cientista político da consultoria Tendências.
“A definição do cenário deve vir mais da redução dos indecisos do que da mudança de quem já escolheu um candidato. Nesse sentido, a mulher da baixa renda do Nordeste é o primeiro eleitor que pode mudar a cara da campanha”, avalia Cortez.
“Difícil saber como o eleitorado feminino vai se comportar, mas sem dúvida elas vão ser importantes para definir (a eleição) porque os votos brancos e nulos vão ser disputados a tapa”, acredita também a cientista social e antropóloga Rosana Pinheiro-Machado, professora na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul, que estuda o eleitor de Bolsonaro ao lado da antropóloga Lúcia Scalco.
Por que muitas delas não têm candidato?
O cientista político Antonio Lavareda, professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ressalta que programas sociais importantes criados no governo Lula são focados nas mulheres chefes de família – elas que em geral recebem o benefício do Bolsa Família ou ficam com a escritura do imóvel no Minha Casa, Minha Vida.
Na sua opinião, isso ajuda a explicar porque muitas gostariam de votar nele e ficam indecisas com sua retirada da disputa.
“Quanto a Bolsonaro, posturas francamente misóginas do candidato colidem com a aspiração das mulheres de reconhecimento e, ainda mais, de empoderamento. Vai ser difícil para ele diminuir o gap (buraco) de gênero revelado nas suas intenções de voto”, opina ele.
Mas embora o índice de mulheres sem candidato recue para 26% no cenário do Datafolha em que Lula é apresentado na disputa, a taxa continua superior à dos homens (15%).
Para analistas ouvidas pela BBC News Brasil, a indefinição maior das eleitoras nos diversos cenários se explica pela exclusão das mulheres da política. Hoje elas somam apenas um décimo dos parlamentares no Congresso Nacional, e são só duas dos 27 governadores do país – Cida Boghetti (PP), no Paraná, e Suely Campos (PP), em Roraima.
Pinheiro-Machado, que pesquisa há um década a relação dos jovens com a política, conta que, ao fazer entrevistas no último ano em escolas de periferia no Paraná, tem observado um desinteresse das garotas em discutir os candidatos, enquanto os rapazes costumam mostrar um conhecimento sobre Lula e uma simpatia por Bolsonaro – atraídos por sua imagem de masculinidade, associada a temas como a defesa da posse de armas.
“É bastante natural que as mulheres tenham um ressentimento porque a política brasileira é muito patriarcal. O brasileiro médio não se vê representado pelas estruturas de poder político, e a mulher muito menos ainda”, concorda a cientista política Esther Solano, professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Para Malu Gatto, professora de política latino-americana na Universidade College London, na Inglaterra, o contexto político conturbado do país hoje ajuda a explicar porque a indefinição neste ano é ainda maior do que na eleição passada.
Como as candidaturas ainda não estão fechadas e os presidenciáveis ainda não estão em campanha, o eleitorado não tem informação suficiente para definir o voto, observa.
Além disso, é evidente uma alta da desconfiança na política após sucessivos escândalos de corrupção e uma troca de governo – a entrada de Michel Temer (PMDB) no lugar de Dilma – que não devolveu o otimismo aos brasileiros.
A pesquisa do Datafolha mostra que o aumento de eleitoras sem candidato agora em comparação com junho de 2014 se deve ao forte crescimento das que pensam em votar nulo ou branco (de 18% para 33%). As que respondem não saber em quem votar, por sua vez, votar caiu no período (de 16% para 8%).
“Estudos da psicologia comportamental mostram que mulheres tendem a tomar menos riscos. Então essa falta de informação sobre os candidatos, combinada a um contexto de grande desconfiança na classe política, pode estar levando as mulheres a estarem menos dispostas a declarar voto a um candidato especifico tão cedo”, ressalta Gatto.
Clareza nas propostas
A BBC News Brasil conversou com três mulheres nordestinas sobre sua indecisão para o pleito presidencial – todas afirmaram que ainda esperam o quadro de candidatos se definir melhor para pesquisar sobre eles e decidir seu voto.
Além da indefinição, outro fator que une as três é uma rejeição a Bolsonaro. Os números do Datafolha mostram que o deputado tem apenas 4% de intenção de voto entre as nordestinas, enquanto entre os homens da região o índice chega a 19%.
“Tenho um grupo de WhatsApp com parte da família apenas para discussão de política. São quatro mulheres e cerca de quinze homens, a maioria deles vota no Bolsonaro”, diz Priscila de Araújo Barbosa, 34 anos, assistente administrativa no Recife.
Antiga eleitora do Lula, ela diz, por outro lado, que também não teria intenção de votar nele dessa vez porque acredita ser momento de renovação. Para definir seu voto, está em busca de honestidade sobre a realidade do país e clareza nas propostas.
“O principal é ser extremamente honesto, que diga: ‘a situação real da economia é essa, da política é essa, vamos trabalhar em cima disso’. Acho que acaba sendo uma utopia”, afirma, desanimada, mas ressaltando que não quer “desperdiçar o direito ao voto” optando pelo branco ou nulo.
Já Elaine Cristina Gurgel, de 39 anos, professora e gestora de uma escola municipal em Janduís, no oeste do Rio Grande do Norte, faz parte da maioria de nordestinas que gostaria de votar em Lula – o petista aparece com 52% de intenção de voto entre as mulheres da região.
Ela acredita que a condenação do ex-presidente é fruto de perseguição política e atribui a ele a melhoria nas condições de vida dos mais pobres.
Ainda assim, decepcionada com Dilma, Gurgel diz que não sabe se votará de novo em um candidato apoiado por Lula e cogita anular seu voto pela primeira vez.
“A Dilma não atingiu as expectativas que esperávamos. Eu tenho medo que aconteça a mesma coisa ou até pior com esse nome que ele venha a apresentar. Poderei votar mas vou ter que fazer uma análise”, afirmou.
Mas não são apenas as eleitoras mais fiéis ao PT que estão indecisas. A baiana Juliana Muniz Gonçalves, de 26 anos, que atualmente trabalha como vendedora de brigadeiros em Irecê, no interior do estado, foi favorável ao impeachment de Dilma.
Agora, porém, diz que prefere anular o voto a dá-lo a algum candidato apoiado pelo presidente Temer. Lésbica, rechaça Bolsonaro, que classifica de “homofóbico” – algo que o pré-candidato nega ser.
Dos principais nomes que hoje se apresentam para a disputa, ela diz que Ciro e Marina são nomes que está disposta a avaliar. Na última eleição, ela queria votar em Eduardo Campos (PSB), que acabou morto em um acidente de avião. Sem essa opção, não lembra qual número escolheu na urna.
Desconfiada dos políticos em geral, ela reconhece ter pouca “consciência política”.
“Esse ano eu não consigo ver um candidato, até porque não foram lançados mesmo os candidatos a presidente. E eu tento fugir de qualquer discussão política no Facebook, ou qualquer outra coisa”, disse.
Terra

ANS derruba liminar e libera aumento abusivo (10%) para os planos de saúde


Resultado de imagem para plano de saude charges
Charge do NEF (Jornal de Brasília)
Marlla Sabino
Poder360

Após vitória na Justiça, a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) autorizou reajuste das mensalidades de planos de saúde individuais e familiares em até 10%. O índice vale no período de maio de 2018 a abril de 2019. A medida foi possível após o desembargador do TRF-3 (Tribunal Federal da 3ª região) Nelton dos Santos acatar recurso da agência contra a liminar (decisão provisória) que restringiu o reajuste em 5,72%, inflação do setor de saúde e cuidados pessoais divulgada pelo IBGE.
A decisão do juiz abriu caminho para a ANS fixar o percentual que considerasse apropriado. Para Santos, o reajuste dos planos de saúde é uma questão complexa, que envolve aspectos técnicos que não podem ser desprezados.
PLANOS INDIVIDUAIS – Segundo a agência reguladora, o reajuste atinge cerca de 8 milhões de usuários, 17% do total de consumidores de planos de assistência médica no Brasil. Até abril, 47,3 milhões de brasileiros tinham acesso aos serviços.
Segundo a ANS, o percentual estabelecido é o máximo que pode ser aplicado. Dessa forma, as operadoras podem adotar índices inferiores ao divulgado ou manter os valores das mensalidades.
LIMINAR – Em 14 de junho, a Justiça Federal de São Paulo atendeu pedido do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) e fixou em 5,72% o limite máximo para o aumento dos planos de saúde.
A ação movida pelo Idec é baseada em relatório do TCU (Tribunal de Contas da União) sobre a política de aumento de preços dos planos. Em nota, o instituto afirmou que decisão da TRF-3 desconsidera a gravidade dos erros e ignora as falhas da metodologia dos reajustes aplicados pela ANS, “permitindo que a lesão aos consumidores se agrave”. O Idec analisa as possibilidades de recorrer contra a decisão.
ACIMA DA INFLAÇÃO – Desde 2004, o índice de reajuste autorizado pela ANS supera a inflação oficial medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Em 12 meses encerrados em abril, o índice acumula alta de 2,76%.
Ainda assim, o aumento de 10% é o mais baixo concedido pela agência desde 2014, quando a ANS fixou limite de 9,65%
De 2000 a 2018, os reajustes aprovados pela ANS para os planos individuais e familiares acumulam variação de 421,49%. No mesmo período, a inflação acumulada é de 228,83%.


Posted in |

São João como vitrine: Itaipava e Schin injetam cifras milionárias em festas na Bahia

BOCÃO NEWS
[São João como vitrine: Itaipava e Schin injetam cifras milionárias em festas na Bahia]
22 de Junho de 2018 às 15:00 Por: Reprodução Por: Adelia FeliGigantes do setor cervejeiro vão investir milhões nas festas juninas baianas. A Schin e Itaipava apostam em eventos privados, festas promovidas por prefeituras e pelo Governo do Estado.
Ao BNews, a gerente de propaganda do Grupo Petrópolis, Eliana Cassandre, por meio da assessoria de imprensa, detalhou que o grupo dono da Itaipava patrocina eventos tradicionais na Bahia, como o Forró do Bongo, que acontece em Catu, Forró do Bosque, realizado na cidade de Cruz das Almas, e o Forró do Piu Piu, que acontece em Amargosa.
“O investimento no São João do Nordeste gira em torno de R$ 5 milhões, divididos em patrocínios de eventos, ativações e mídia”, revela.
Segundo Eliana, para este período, a cervejaria lançou a campanha “Tudo Fica Mais Verão no São João”, que contará com três filmes, e também com a participação da garota propaganda da marca, Aline Riscado. Além disso, a campanha de São João também contará com mídia exterior em vários pontos da Bahia e Pernambuco.  A previsão é que as ações comecem nesta sexta-feira (22).
“A estratégia é sempre reforçar a brasilidade do Grupo Petrópolis, estando presente no calendário cultural do país, valorizando e incentivando essas tradições tão ricas e tão diferentes em cada região. As festas juninas, por exemplo, têm um peso e uma força no Nordeste, uma região em que nossos produtos só têm crescido nos últimos anos. Fato que nos deixa orgulhosos e com ainda mais responsabilidade. Também temos investido bastante para ter uma rede de distribuição ampla e eficiente. O mercado de bebidas é regido pela distribuição e estamos sempre buscando ampliar nossa presença em cada localidade, aproximando sempre o consumidor das nossas marcas”, explica.
A Schin também marca presença no São João baiano. A marca do Grupo Heineken no Brasil é patrocinadora oficial do São João do Governo do Estado e está presente em festejos juninos de cinco cidades do interior, Alagoinhas, Senhor do Bonfim, Jequié e Cruz das Almas. A marca comemora com uma homenagem ao Rei do Baião, Luiz Gonzaga, em campanha e diversas ativações.
“O filme da campanha mostra o encontro da cantora Ivete Sangalo com Gonzagão, em uma emocionante apresentação criada por meio de holografia. Já as ativações nas festas de São João terão o objetivo de fazer com que as pessoas revivam momentos da história do artista nordestino.  A campanha de Schin para o São João 2018 contempla ainda uma série de outras iniciativas: ativação de eventos para trazer experiências ao consumidor, lata temática, ativação em pontos de vendas, além de um plano de comunicação com peças para TV, OOH e conteúdo online. Usando #EternoGonzagão, as pessoas poderão fazer parte desta homenagem e acompanhar as ativações da marca durante o mês”, informa a assessoria por meio de nota.
Questionada sobre valores dos investimentos, a Schin, que patrocina grandes festas em outras localidades do Nordeste, como o São João de Caruaru, São João da Capitá, São João da Moda e o Festival de Quadrilhas de Pernambuco, informa que não revela esses dados. Mas, segundo informações obtidas pelo BNews, somente no São João de Caruaru deste ano, o investimento da Heineken gira em torno dos R$ 5 milhões. A empresa enfrentou o páreo com a AmBev, mas acabou superando a concorrente.

Mãe sabia que pastor usaria morte dos filhos para promover igreja

O DEFENSOR
A pastora Juliana Sales, que virou ré no processo e foi presa acusada de omissão pela mortes dos filhos, sabia que o marido, o pastor Georgeval Alves, pretendia usar as mortes das crianças para ganhar notoriedade e ascensão religiosa, além de conseguir mais fiéis e dinheiro para sua igreja. George Alves está preso desde o dia 28 de abril. Juliana foi presa na madrugada desta quarta-feira (20).
Segundo o juiz André Dadalto, da 1ª Vara Criminal de Linhares, Juliana sabia dos desvios de caráter do marido, dos abusos sexuais sofridos pelos filhos, e mesmo assim apoiava os planos dele de se promover na igreja. Foi Dadalto quem determinou a prisão da pastora. A defesa dela disse que não vai se manifestar até ter acesso às informações.
“O pastor George, em parceria com a pastora Juliana, buscava uma ascensão religiosa e aumento expressivo de arrecadação de valores por fiéis e, para esta finalidade, ceifou a vida dos menores Kauã e Joaquim para se utilizar da tragédia em seu favor”, diz a decisão.
Mensagens e abusos
Ainda de acordo com Dadalto, troca de mensagens pelo celular apontam que Juliana sabia do comportamento sexual do marido. Em uma delas, ela diz ter ‘nojo’ e ele respodia que se sentia ‘imundo’ e um ‘lixo’ por conta dos atos.
Ainda na decisão, o juiz afirma que as crianças relataram sobre os abusos sexuais que sofreram do pai na escola. Em um episódio, Kauã chorou desesperadamente, mas disse aos professores que não poderia contar o motivo. O irmão dele, Joaquim, também falou que sofria abusos na escola onde estudava. Os pais foram acionados e alegaram que os supostos abusos não eram em casa e acusaram uma outra criança de 5 anos.
Pelo celular, Juliana também enviou para a mãe uma mensagem afirmando que dormiu bem após a morte dos filhos. E para o marido enviou: “eu não estou preparada para dar errado”. Outra mensagem que também chamou a atenção na investigação foi em uma conversa com outros pastores. “Não sei se vou conseguir ser forte até o final”, afirma.
A decisão diz também que os pastores não reagiram quando Kauã “sofreu ‘maldades’ por parte de dois ‘caras’ na piscina”.
O juiz revelou que após a morte das crianças, o casal esteve na casa para jogar vários objetos no quarto. Em seguida, eles retiraram quase todos os objetos, além de lençóis e roupas de cama, que foram entregues a outras pessoas para serem lavados.
O crime
Inquérito apontou que o pastor abusou das crianças e, em seguida, colocou fogo nas vítimas na casa onde eles moravam, em Linhares, no dia 21 de abril. Na época, a mãe das crianças disse que estava viajando com o filho mais novo do casal. Por conta disso, chegou a descartar a participação de Juliana no crime. Mas após o investigação, foi descoberto o contrário.
Segundo revelou o delegado André Jaretta, foram encontrados vestígios de sêmen nas crianças e sangue no banheiro após exames periciais. “Com as duas vítimas ainda vivas, porém desacordadas, o investigado as levou até o quarto, as colocou na cama e ateou fogo nas crianças, fazendo com que elas fossem mortas com o calor do fogo”, contou o delegado.
G1

População carcerária quase dobrou em dez anos

O DFENSOR
“Sou condenado à morte por doenças crônicas, que são o vírus da aids e da hepatite C, que não têm cura. Estou preso há muitos anos e está muito difícil o dia a dia pois sei que vou morrer qualquer dia desses”, escreveu uma pessoa privada de liberdade, de Santa Catarina. “Hoje o sistema prisional não recupera ninguém”, avaliou outra, de São Paulo.
Os testemunhos foram tornados públicos pelo projeto Cartas do Cárcere, que analisou 8.820 cartas recebidas em 2016 pela Ouvidoria Nacional dos Serviços Penais, órgão ligado do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da  Segurança Pública. São pedidos de apoio, declarações de saudade, confissões de arrependimento, relatos de um dia a dia sofrido, permeado pelas mais distintas violações de direitos. Por meio das palavras das próprias pessoas privadas de liberdades, o caos do sistema penitenciário é revelado.
Um drama que se traduz também em números. A população carcerária brasileira quase dobrou em dez anos, passando de 401,2 mil para 726,7 mil, de 2006 a 2016. O número é do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) de junho de 2016, que apresenta os últimos dados oficiais divulgados. Tendo em vista o crescimento progressivo dos encarceramentos no Brasil de cerca de 4%, ano a ano, o número deve ser maior. Do total, 40% são presos provisórios, ou seja, ainda sem condenação judicial. Em todo o país, há 368 mil vagas, o que significa uma taxa de ocupação média de 197,4%.
Mais da metade dessa população são jovens de 18 a 29 anos e 64% das pessoas encarceradas são negras. O maior percentual de negros é verificado no Acre (95%), Amapá (91%) e Bahia (89%). Os dados mostram que 95% dos presos são homens. A participação das mulheres se destaca quando observados alguns tipos penais, como o de tráfico de drogas, crime cometido por 62% das mulheres que estão presas. Do total de mulheres presas, 80% são mães e principais responsáveis, ou mesmo únicas, pelos cuidados de filhos.
Quanto à escolaridade, menos de 1% dos presos tem graduação. “A gente está falando em 89% da população carcerária que não têm educação básica completa. É um grupo de pessoas que já ingressa no sistema prisional com alguma vulnerabilidade”, afirma a coordenadora-geral de Promoção da Cidadania do Depen, Mara Fregapani Barreto.
Pela Lei de Execução Penal, a assistência ao preso é dever do Estado, a fim de prevenir o crime e orientar o retorno à convivência em sociedade. Para tanto, deve envolver ações de assistência material, à saúde, jurídica, educacional, social e religiosa.
A realidade do cárcere contrasta com a previsão legal, mesmo para quem tenta reconstruir a vida, ainda que na prisão. O relato está em outra “carta do cárcere”, desta vez de um detento do Rio de Janeiro . “Estudando na unidade de ensino prisional, concluí o segundo grau, chegando a ser aprovado no vestibular da Uerj. Fui informado pelo serviço de inclusão social que mandariam uma equipe de funcionários fazer a inscrição na instituição. Contudo, não houve a presença de nenhum funcionário”, lamenta.
Segundo o Depen, apenas 15% da população prisional estavam envolvidos em atividades laborais, internas e externas aos estabelecimentos penais, o que representa um total de 95.919 pessoas. Entre os que trabalhavam, 87% estavam em atividades internas. “A Lei de Execução Penal jamais saiu do papel”, afirma a coordenadora do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania, Julita Lemgruber,  primeira mulher a comandar o sistema prisional fluminense.
A situação poderia ser ainda pior, pois há um grande número de mandados de prisão pendentes de cumprimento. De acordo com o Banco Nacional de Monitoramento de Prisões, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) , o total chega a 143.967, sem considerar estados que ainda não inseriram no banco as informações completas sobre seus sistemas, como Minas Gerais, Rio Grande do Sul, São Paulo e Paraná.
O resultado desse cenário está inscrito em diversas denúncias contra o país apresentadas à Corte Interamericana de Direitos Humanos, que em maio do ano passado discutiu, em audiência, a situação de pessoas presas no Complexo Penitenciário de Curado, em Pernambuco; no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, no Maranhão; no Instituto Penal Plácido de Sá Carvalho, no Rio de Janeiro e na Unidade de Internação Socioeducativa (Unis), no Espírito Santo, que estão listadas em Medidas Provisionais da Corte, para cumprimento de melhorias no atendimento nestas unidades.
Diante do quadro, Mara Fregapani aponta como saída o reforço às alternativas penais, como penas restritivas de direitos, conciliação e mediação. “É preciso ofertar ações, serviços, assistência que possibilitem a essas pessoas reescrever a sua história”, destaca a coordenadora.
Correio

São João na BA tem festas privadas com grandes atrações no fim de semana: Harmonia, Solange, Léo Santana e Gabriel Diniz estão na lista

VERDINHO DE ITABUNA
Diversas festas juninas particulares animam cidades do interior da Bahia no fim de semana de São João. Grandes shows atraem milhares de pessoas em cidades como Santo Antônio de Jesus, Ibicuí e Amargosa, entre outras. Wesley Safadão, Marília Mendonça e a banda Aviões são algumas das atrações que agitam o público no sábado (23) e no domingo (24). O G1 reuniu os principais eventos que ocorrem em todo o estado. Confira:
Amargosa
Forró do Piu Piu - 23/6, às 17h
Local: Hotel Fazenda Colibri
Atrações: Wesley Safadão, Dorgival Dantas, Gabriel Diniz, Léo Santana, Danniel Vieira, Forró do Tico
Ingressos: Pista (com cerveja, água e refrigerante) - R$ 170. Camarote (com whisky, vodka, cerveja, água e refrigerante) - R$ 280. Lounge Premium (serviço all inclusive) - R$ 550
Classificação: 18 anos
Informações: (75) 3634-2463


Cruz das Almas
Forró do Bosque - 23/6, às 14h
Local: Villa Vip
Atrações: Maiara e Maraísa, Saia Rodada, Harmonia do Samba, Devinho Novaes, Mano Walter, Kart Love, Forrojão, Pau Na Muleira e Tripé Du Salomão
Ingressos: Área Vip (com cerveja, refrigerante, água, catuaba e licor) - R$ 150. Camarote (com serviço all inclusive) - R$ 380.
Classificação: pessoas com idade entre 12 e 15 anos terão acesso desde que sejam acompanhadas dos pais e com autorização; entre 16 e 17 anos, terão acesso mediante apresentação de autorização dos responsáveis
Ibicuí
Forró Ticomia - 23/6, 12h
Local: Fazenda Eldorado
Atrações: Dorgival Dantas, Gabriel Diniz, Lordão, Calcinha Preta, Mano Walter, Luan Estilizado e Mastruz com Leite 
Ingressos: R$360 (com serviço all inlusive)
Forró Brega Light - 24/6, às 12h
Local: KM 0 da Rodovia Ibicuí-Iguaí 
Atrações: Jorge e Mateus, Léo Santana, Zé Neto e Cristiano, Jonas Esticado, Márcia Fellipe e Solange Almeida
Ingressos: R$ 230 (com cerveja, catuaba, refrigerante e água)
Classificação: 16 anos (menores devem estar acompanhado dos responsáveis e mediante autorização)
Informações: (31) 99477-0639
Irecê
Forroça - 23/6, às 14h
Local: Parque de Exposições Agropecuárias de Irecê
Atrações: Jorge e Mateus, Felipe Araújo, Limão com Mel, Lincon Sena
Ingressos: Pista - R$ 80. Área Vip (com cerveja, água e refrigerante) - R$ 180. Stage (com cerveja, água, refrigerante, vodka e whisky) - R$ 270
Classificação: 16 anos (menores devem estar acompanhado dos responsáveis)
Informações: (71) 3035-8059
Richão do Jacuípe
Forró da Mina - 24/6, às 15h
Local: Estádio Municipal de Riachão do Jacuípe
Atrações: Gustavo Lima, Mastruz com Leite, Harmonia e Devinho Novaes
Ingressos: Área vip (com cerveja, água e refrigerante) - R$ 130. Camarote (com whisky, vodka, catuaba, cerveja, água e refrigerante - R$ 200. Área premium (com serviço all inclusive) - R$ 300.
Classificação: 16 anos (menores devem estar acompanhado dos responsáveis)
Informações: (75) 3603-8020
Santo Antônio de Jesus
Forró do Lago - 23/6, às 14h
Local: Villa Music
Atrações: Bell Marques, Marília Mendonça, Wesley Safadão, Simone e Simaria e Rafa e Pipo
Ingressos: Área Vip (com água, refrigerante e cerveja) - R$ 200. Camarote Premium (com água, refrigerante, vodka whisky e cerveja) - R$ 320 
Classificação: 18 anos
Senhor do Bonfim
Forró do Sfrega - 23 e 24/6, às 14h
Local: Fazenda do Sfrega
Atrações: Dia 23 - Léo Santana, Solange Almeida, Henrique Juliano e Saulo. Dia 24 - Chiclete com Banana, Thaeme e Thiago, Xand Avião e Mano Walter
Ingressos: Pista (com cerveja, água e refrigerante) - R$ 153. Camarote (com cerveja, whisky, vodka, refrigerante, água e salão de beleza) - R$ 239. Camarote (all inclusive, DJ, salão de beleza, massagem, customização de camisa, tirolesa) - R$ 439. Camarote Glamour (all inclusive, entrada exclusiva, front stage e backstage) - R$ 599
Classificação: 18 anos
Informações: (74) 3541-9655 / (71) 99184-2877 / 71 99183-2032
Tucano
Arena Jorro - 23/6, 17h
Local: Praça de Eventos de Caldas do Jorro, distrito de Tucano
Atrações: Saia Rodada, Psirico, X 10, Luanzinho, Dimas Novaes, Isqueminha com Gabriel Levy
Ingressos: Pista - R$ 40. Camarote - R$120 (com cerveja, água, refrigerante, whisky, vodka, frozen e catuaba)
Classificação: 18 anos
Informações: (75) 99132-1815
*Do G1

Queimaduras: médico explica sobre os riscos de usar manteiga e borra de café nos ferimentos

VERDINHO DE ITABUNA
O início dos festejos juninos, principalmente em ano de Copa do Mundo, traz à tona um importante alerta de saúde: cuidados com queimaduras. Quando ocorre um acidente, surgem diversos “tratamentos” conhecidos popularmente, com o uso de produtos caseiros. As indicações vão desde manteiga e borra de café até pasta de dente. 
No entanto, a sabedoria popular é totalmente contraindicada nesses casos. Em entrevista ao Bahia Notícias, o cirurgião plástico Marcos Barroso, coordenador do Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Geral do Estado (HGE), contou que já presenciou até mesmo o uso de tinta azul em queimaduras. O profissional alertou que o uso desses produtos apenas piora as lesões.
“O grande problema desse tipo de tratamento é a infecção que isso pode causar. Essas substâncias, na maioria das vezes, aumentam a lesão da queimadura. Para tirar esse tipo de substância, o paciente ainda tem que se submeter a um procedimento cirúrgico, porque adere muito ao tecido”, explicou. De acordo com dados da Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab), o HGE registra um aumento de cerca de 15% no período.
Em 2017, foram 24 atendimentos por queimaduras por fogos e 29 por explosão de bomba, entre os dias 23 e 25 de junho. Barroso pontuou que queimaduras por fogos de artifício são, geralmente, superficiais – com exceção de explosões por bomba, que levam a amputações. Ainda assim, o atendimento médico é sempre necessário. 
“A primeira coisa é cessar o agente causador da queimadura, lavar com água corrente e procurar assistência médica sempre”, orientou. Outro importante lembrete é nunca estourar possíveis bolhas, já que essa prática também favorece infecções. E a água usada deve ser em temperatura ambiente, jamais gelada. “É totalmente contraindicada a colocação de gelo ou uso de água gelada. Quando você coloca gelo no local, ocorre uma vasoconstrição. O vaso vai fechar mais, diminuir a irrigação sanguínea e piorar a lesão”, explicou o médico.
Para além dos primeiros socorros, o importante mesmo é garantir todos os cuidados possíveis para evitar lesões por queimaduras durante as festas juninas e todo o restante do ano.

Grande Piada do Ano! “Temer, assim como o técnico Tite, também vai se levantar”


O marqueteiro Elisinho Mouco fala mais do que devia
Geralda Doca e Daniel Gullino
O Globo

Uma das cenas marcantes da vitória do Brasil por a 2 a 0 contra a Costa Rica, a queda do técnico Tite na comemoração do primeiro gol, foi utilizada pelo marqueteiro do presidente Michel Temer, Elsinho Mouco, para fazer uma analogia com o momento do governo federal.
Elsinho publicou um vídeo no Facebook que mostra Tite caindo e afirmou que, assim como o comandante da seleção, Temer “também vai se levantar quando forem reconhecidos os gols do seu governo”. O texto é acompanhado da hashtag “Bora Temer”, slogan que o marqueteiro utiliza em oposição ao “Fora Temer”.
“OUTRO GOL” – Não é a primeira vez na Copa do Mundo que o governo federal tenta tirar proveito do desempenho da seleção. No domingo, após o gol do Brasil contra a Suíça, a conta oficial do governo no Twitter disse que a queda na inflação era “outro gol”.
De acordo com a última pesquisa do Datafolha, Michel Temer bateu o próprio recorde de impopularidade: 82% consideram o governo do emedebista ruim ou péssimo. A taxa de reprovação aumentou 12 pontos percentuais em relação ao ultimo levantamento, em abril. Segundo o instituto de pesquisa, Temer é o presidente mais impopular desde a redemocratização do país.
Marqueteiro usou a foto dos reservas levantando Tite após o primeiro gol

Posted in

Ciro Nogueira e Eduardo da Fonte ameaçaram testemunha, diz Procuradoria


Resultado de imagem para CIRO NOGUEIRA E EDUARDO DA FONTE
Federais fizeram busca e apreensão nos seus gabinetes
Por Renan Ramalho
G1, Brasília

A Procuradoria Geral da República (PGR) apontou ameaça de morte a uma testemunha da Operação Lava Jato supostamente a mando do presidente do PP, o senador Ciro Nogueira (PP-PI), e pelo deputado Eduardo da Fonte (PP-PE). Ciro Nogueira e Eduardo da Fonte foram denunciados nesta semana por suposta obstrução de Justiça, segundo a PGR, por ordenar o ex-deputado Márcio Junqueira (ex-filiado ao PP) a pressionar um ex-assessor e motorista a desmentir depoimentos prestados à Polícia Federal.
Procurada, a assessoria do deputado enviou a seguinte nota: “Eduardo da Fonte reitera que a acusação é completamente mentirosa e absurda e que ele está à disposição da justiça para que os fatos sejam esclarecidos rapidamente”.
FANTASIA – Ao G1, o advogado de Ciro Nogueira, Antônio Carlos de Almeida Castro, disse que a acusação contra o parlamentar é “fantasiosa”, “criminosa” e de uma “irresponsabilidade enorme”.
“Não existe nada nos autos que leve – sequer ‘en passant’ – a qualquer hipótese de o senador Ciro estar envolvido nisso. Então, é muito grave. Tem quer ver os autos, tem que ler e distanciar profundamente quem são os investigados”, declarou o advogado.
Considerado um “arquivo vivo”, José Expedito trabalhou para Ciro e Eduardo da Fonte por mais de dez anos, sendo “pessoa próxima e de confiança” dos parlamentares, incumbido de transportar dinheiro para eles em diversas ocasiões, segundo a PGR.
CONFISSÃO – Em setembro de 2016, José Expedito confessou os crimes à PF e entregou o que diz serem provas. Segundo a PGR, em 2017, a mando de Ciro Nogueira e de Eduardo da Fonte, Márcio Junqueira passou a exigir de José Expedito uma “retratação” das revelações que fez nos depoimentos.
“A mando dos parlamentares, a partir de outubro de 2017, nos termos retratados nesta denúncia, Márcio Junqueira ameaçou José Expedito de morte, exigiu dele uma retratação em cartório do conteúdo dos depoimentos que prestou à PF em 2016 (declaração ideologicamente falsa), prometeu-lhe cargo público, casa, pagou-lhe despesas e fez entregas de dinheiro —, tudo para comprar seu silêncio e, assim, prejudicar investigações em curso”, diz a denúncia.
Posted in

O que Temer, Aécio e Maia tramam quando estão reunidos sigilosamente?


Resultado de imagem para temer, rodrigo maia e aecio
Maia e Aécio foram jantar quinta-feira com Temer
Marcelo Ribeiro
Valor

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), jantou com o presidente Michel Temer e com o senador Aécio Neves (PSDB-MG) na noite desta quinta-feira. O encontro, que não constava nas agendas oficiais das autoridades, ocorreu na residência oficial da Presidência da Câmara. Segundo apurou o Valor, durante a reunião os três discutiram o cenário eleitoral e avaliaram as possibilidades de suas legendas, DEM, MDB e PSDB, se unirem em torno de uma candidatura única à Presidência da República.
Afastado dos holofotes e das negociações eleitorais do PSDB desde que foi gravado pedindo R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, da JBS, com sua atuação de parlamentar se limitando aos bastidores, Aécio Neves teria destacado a importância de os partidos do chamado centro político estarem unidos em torno de um postulante ao comando do Palácio do Planalto para garantir uma vaga no segundo turno.
Como Maia e o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que são pré-candidatos do DEM e do MDB, respectivamente, não decolam nas pesquisas de intenção de voto, aumenta a expectativa de que as legendas abandonem suas pretensões eleitorais e apoiem um nome mais competitivo. O pré-candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, que oscila entre 8% e 10% nos levantamentos mais recentes, é uma das alternativas.
Sem consenso sobre o apoio do DEM à postulação de Alckmin, Maia e o presidente do partido, o prefeito de Salvador, ACM Neto, já se reuniu com o tucano, mas mantêm negociações paralelas com Ciro Gomes, do PDT, e Álvaro Dias, do Podemos. O caminho a ser seguido deve ser decidido apenas na segunda quinzena de julho.

Posted in |

Eleitores de Lula não se importam com o envolvimento dele na corrupção


Resultado de imagem para lula nas pesquisas charges
Charge do Paixão (Gazeta do Povo)
Carlos Newton
O instituto Datafolha divulgou mais uma pesquisa em que o eleitor avalia que o e x-presidente Lula é o pré-candidato mais preparado para acelerar o crescimento da economia, pois 32% dos entrevistados citaram o petista como o melhor nome para desempenhar essa missão. O resultado da pesquisa é bastante similar ao quadro geral de intenção de voto do eleitor, com o ex-presidente sendo seguido pelo deputado Jair Bolsonaro (PSL), com 15%, e Marina Silva (Rede), 8%.   
Para reverter a estagnação da economia, Lula é o favorito de eleitores de todas as faixas etárias e regiões do país. No Nordeste, o petista é visto como o melhor remédio para a economia por 51% dos entrevistados, contra apenas 8% do segundo colocado, Bolsonaro.
IGNORÂNCIA – O prestígio eleitoral de Lula é fruto da ignorância dos eleitores brasileiros. A maioria não se importa com o fato de Lula ser corrupto e ter institucionalizado o maior esquema de corrupção já visto no mundo. Para o eleitor, nada disso tem importância, porque todos os demais políticos também são corruptos, a ladroagem faz parte do negócio, todo mundo sabe disso, é fato público e notório.
A vantagem eleitoral do ex-presidente diminui conforme aumentam a escolaridade e a renda dos eleitores, melhor dizendo, que diminui a ignorância.
Entre os eleitores com renda superior a dez salários mínimos, com maior grau de instrução, o petista cai para terceiro (14%), atrás de Bolsonaro (22%) e do tucano Geraldo Alckmin (17%).
É IMBATÍVEL – Não adianta citar alto grau de rejeição e outros fatores. Pessoalmente, acredito que Lula continua imbatível, não há como ser derrotado por nenhum desses pré-candidatos, inclusive Bolsonaro.
A eleição de Lula, a meu ver, seria desastrosa. Com sua mistura de arrogância e ignorância, Lula ameaça mergulhar o país numa crise ainda pior. A sorte dos brasileiros é que ele não poderá disputar a eleição, devido à falta da certidão de elegibilidade, que é exigida a todos os candidatos.
Por tudo isso, será uma eleição eletrizante, e a inevitável recursa da candidatura de Lula vai causar uma confusão monumental, estando ele preso ou não.
Posted in

Advogados desmentem terem pedido ao STF prisão domiciliar para Lula


Resultado de imagem para Lula preso charges
Charge do Samuca (Charge Online)
José Carlos Werneck
A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em nota distribuída à imprensa na noite desta quinta-feira, dia 21, negou que vai solicitar ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o petista passe a cumprir prisão domiciliar. “O ex-presidente Lula está pedindo nos recursos dirigidos aos tribunais superiores o restabelecimento de sua liberdade plena porque ele jamais praticou qualquer ato ilícito”, diz o texto assinado pelo advogado Cristiano Zanin Martins. “A defesa de Lula não apresentou ao STF ou a qualquer outro Tribunal pedido de prisão domiciliar.”
A nota foi uma resposta dos advogados a uma suposta informação de que estavam convencidos de que dificilmente a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal irá contrariar uma decisão do plenário, e por isso a defesa de Lula, capitaneada pelo ex-ministro Sepúlveda Pertence, pleitearia agora uma prisão domiciliar para o ex-presidente.
DEVE NEGAR – A tendência da Segunda Turma do STF é negar, na próxima terça-feira, o pedido de liberdade para o ex-presidente, porque um pedido de habeas-corpus a favor dele já foi negado pelo plenário e o Tribunal Regional Federal da 4ª Região ainda não julgou a admissibilidade do recurso extraordinário, condição, regimentalmente prevista, para que venha a ser examinado pela Segunda Turma.
O pedido de prisão domiciliar não consta dos memoriais entregues na tarde de ontem aos ministros integrantes da Segunda Turma pelo advogado Sepúlveda Pertence, que foi ao tribunal e conversou com alguns dos magistrados que participarão do julgamento, marcado para a próxima terça-feira, dia 26.
EFEITOS DO ACÓRDÃO – No início do mês, os advogados protocolaram pedido para suspender os efeitos do acórdão do TRF-4, que condenou o ex-presidente a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção no caso do tríplex de Guarujá, até o julgamento do recurso extraordinário que questiona a decisão. A defesa quer que seja dado a Lula,através de recurso extraordinário, efeito suspensivo da decisão e que ele,aguarde,em liberdade, o julgamento final do processo.
Os advogados sustentam que há grandes chances de da condenação ser revertida nos tribunais superiores e, se isso vier a acontecer, ninguém poderá reparar o dano causado à seu cliente, pelo tempo em que permaneceu preso.
O recurso extraordinário foi impetrado, como prevê a lei,no próprio TRF-4, que faz o chamado exame de admissibilidade e depois envia o processo para o Supremo Tribunal Federal, o que até o presente momento, ainda não foi feito.
Inicialmente os advogados não pleiteavam a prisão domiciliar. O pedido de liberdade de Lula será julgado pelos ministros Edson Fachin, que é o relator do processo, Celso de Mello, Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski, que integram a Segunda Turma do STF.
Posted in

Delação de Palocci, que cita Lula e Dilma, é homologada por desembargador


Imagem relacionadaBela Megale
O Globo
Relator da Operação Lava-Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), o desembargador João Pedro Gebran Neto homologou nesta sexta-feira a delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci, que comandou a pasta da Fazenda no governo do ex-presidente Lula e foi chefe da Casa Civil da gestão de Dilma Rousseff.
Como O Globo revelou em abril, depois de tentar, sem sucesso, fechar um acordo de colaboração com a força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, Palocci acabou firmando um acordo pontual com a Polícia Federal, sem o envolvimento de autoridades com foro privilegiado. O acordo foi homologado dois dias após o Supremo Tribunal Federal (STF) liberar a PF para firmar delações.
LULA E DILMA – Na delação, Palocci citaria episódios desabonadores envolvendo tanto Lula quanto Dilma e detalharia pagamentos de propina ao PT envolvendo empreiteiras investigadas no escândalo da Petrobras. Os termos do acordo firmado com a PF e agora homologado pela Justiça ainda estão sob sigilo.
Palocci está preso em Curitiba desde setembro de 2016. Ele foi condenado por Moro a 12 anos, dois meses e 20 dias de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Em abril, O Globo revelou que boa parte das histórias abordadas por Palocci — que ainda poderão ser detalhadas no curso das investigações — reconstituiriam o esquema de corrupção na Petrobras, as relações das empreiteiras com políticos do PT e outros partidos, assim como a forma como Lula e Dilma se envolveram nas tratativas que resultaram em um prejuízo de cerca de R$ 42 bilhões aos cofres da estatal, segundo estimativa da própria PF.
DETALHES – O detalhamento das negociatas que envolveram o pagamento de milionárias propinas ao PT pela Odebrecht, em troca de contratos bilionários de construção de sondas de exploração de petróleo em águas profundas para a Petrobras, é um dos principais pontos da delação do ex-ministro.
O ex-ministro teria narrado pelo menos uma conversa com Lula no Palácio do Planalto na qual teria tratado do esquema envolvendo a construção de sondas para exploração de petróleo. O objetivo da negociação, feita na presença de Dilma, seria levantar dinheiro para bancar a eleição da ex-presidente, em 2010.
Ao falar da relação de Lula com empreiteiras, o ex-ministro disse que parte do dinheiro entregue nas mãos do ex-presidente e na sede do instituto teria saído diretamente da “conta Amigo”, a reserva de propina atribuída ao petista no Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht. Já ao citar Dilma, Palocci afirmou aos investigadores que ela teria atuado para atrapalhar as investigações da Lava-Jato no episódio da nomeação de Lula para ministro da Casa Civil, em março de 2016.
PROVAS MATERIAIS – Além de detalhar os casos de corrupção dos quais participou ou teve conhecimento, o ex-ministro terá de apresentar provas do que diz. Se mentir ou quebrar algumas das cláusulas firmadas, poderá perder os benefícios negociados.
Fundador do PT, ex-prefeito de Ribeirão Preto, ex-ministro da Fazenda do governo Lula e ex-chefe da Casa Civil de Dilma, Palocci participou das decisões mais importantes do partido nas últimas duas décadas. O PT sempre negou irregularidades nas doações de campanha do partido.
DILMA REAGE – Em nota divulgada em abril, Dilma afirmou que “o ex-ministro mente para sair da cadeia e não tem provas para sustentar acusações a ela ou Lula”.
Também em abril, o advogado de Lula Cristiano Zanin negou envolvimento de seu cliente nos fatos narrados: “Qualquer afirmação de entrega de dinheiro ao ex-presidente Lula é mentirosa e, por isso mesmo, desacompanhada de qualquer prova. Lula jamais pediu ou recebeu vantagens indevidas”.
Em nota, o PT afirmou que Palocci “rendeu-se às chantagens da Lava-Jato” e faz “falsas acusações” contra Lula para receber benefícios.
Posted in |

AS FAKE ANALYSIS E A MOÇA RUSSA

por Percival Puggina. Artigo publicado em

A mídia tradicional vem atacando, em bloco, a divulgação de notícias falsas através das redes sociais. Os próprios usuários das redes, aliás, deveriam apressar-se a fazê-lo. O notável instrumento de informação e orientação que temos na ponta dos dedos, exatamente porque democratiza o direito de opinião, não deve agasalhar práticas irresponsáveis ou criminosas.
Há algo mais nessa história, contudo. O jornalismo opinativo, que perdeu parte de seu poder com o advento das redes sociais, parece haver encontrado na pauta “fake news” o meio através do qual pretende desacreditar as redes como tais e obstar sua crescente influência.
Ora, mais do que os fatos, é a análise dos fatos que atua sobre os consumidores da informação. E que dizer das fake analysis em veículos da mídia tradicional? Sou dos poucos – pouquíssimos! - que denunciam a malignidade desse fenômeno comum, insistente, cotidiano e perigoso, observável em certos grandes veículos. Para induzir a conclusões erradas, mas ideológica e politicamente convenientes, fatos verdadeiros são torturados nos porões das interpretações. É a versão, em relação aos eventos do tempo presente, daquilo que tantos professores promovem em relação ao passado em aulas de História.
Emitidas para produzir convencimento, essas análises fajutas atuam sobre a sociedade de modo simultâneo, fato após fato, mediante inúmeras e fontes, repetindo-se e se realimentando por longo período até que o mais desatento e infrequente ouvinte, leitor, ou telespectador não fique imune a seus efeitos.
Veja-se o caso da moça russa. Estima-se que 60 mil brasileiros estejam visitando a Rússia nestes dias de Copa. Durante uma fan fest, meia dúzia de rapazes fizeram com ela uma brincadeira de muito mau gosto, levando-a a pronunciar baixarias que a depreciavam. Não contentes com isso, expuseram o vídeo nas redes sociais.
A conduta é condenável. Os envolvidos, para tomarem vergonha na cara, deveriam passar um mês lavando a língua com água e sabão na Praça Vermelha antes de acertarem suas contas indenizando a vítima. Segundo as fake analysis, porém, a inteira população masculina do Brasil é, de algum modo, cúmplice do acontecido! Desde que o politicamente correto tomou posse como modelo de virtudes sociais, os brasileiros do sexo masculino passaram a ser rotulados com todos os defeitos que a grossura possa suscitar. Admitam ou não, são machistas, estupradores, abusadores. Não importa que o episódio da moça, em si, seja incomum a ponto de suscitar interesse mundial e esteja desalinhado do comportamento médio dos demais turistas.
A conduta registrada no vídeo tem muito a ver com as baixarias que invadiram as TVs comerciais brasileiras. Não surpreenderia colher-se algo assim após toda sorte de depravações a que expomos nossa juventude – inclusive nossas crianças! – em certas exposições e museus que andam por aí. Ou quando, em nome de certos lifestyles, a vida sexual sai da intimidade, vai para as calçadas e desfila em carros de som. É quase o que se poderia esperar da falta de limites na educação familiar e de disciplina nos ambientes escolares. É o desagradável produto da tolerância, da impunidade e da ruptura dos elos que unem a liberdade com a responsabilidade. E não nos surpreenda constatar que todas essas causas, ao longo dos anos, são promovidas nas fake analysis da mesma mídia que hoje se escandaliza quando desembarcam na Rússia alguns filhos dessas e de tantas outras imoderações. Recomendo, a propósito, a leitura do artigo do médico gaúcho Dr. Milton Pires, com o título “A menina russa: ao corpo diplomático da Rússia no Brasil e ao povo russo”. Você lerá o que a turma das fake analysis jamais escreverá.

* Percival Puggina (73), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o Totalitarismo; Cuba, a Tragédia da Utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil, integrante do grupo Pensar+.

Copa 2018 Brasil chega à última rodada na situação mais complicada em 40 anos

O DEFENSOR
Mesmo com a vitória sobre a Costa Rica na manhã desta sexta-feira (22), o Brasil entrará na última rodada da fase de grupos ainda sem a classificação confirmada. Isso aconteceu também em 2014, mas com situação um pouco mais favorável à seleção brasileira, que enfrentaria um time já desclassificado. Antes disso, apenas em 1978.
Na Rússia, a seleção chegou a quatro pontos e lidera o grupo E. Suíça tem o mesmo número de pontos, mas está atrás no saldo. Sérvia vem logo atrás com três. Costa Rica não pontuou e já está eliminada.
Assim, o Brasil precisa de um empate contra a Sérvia na última rodada, na próxima quarta-feira (27), para garantir a classificação às oitavas de final da Copa.
Em 2014, o Brasil teve um de seus piores começos de Copa do Mundo. Assim como nesta edição do Mundial, a equipe chegou à última rodada da fase de grupos com uma vitória e um empate.
Na Copa realizada no Brasil, a seleção nacional terminou a segunda rodada da fase inicial liderando o Grupo A, com quatro pontos. México vinha em segundo, com a mesma pontuação, mas atrás no saldo. Croácia, com três, e Camarões, zerado, fechavam o grupo.
A situação era parecida com a atual, mas a seleção brasileira enfrentaria uma seleção já desclassificada na última rodada.
Para se garantir, o país precisava só de um empate e com uma derrota ainda teria chances de classificação.
México e Croácia se enfrentariam na última rodada e, em caso de derrota brasileira, um empate nessa partida tiraria a equipe dona da casa da zona de classificação.
Se os mexicanos vencessem, o Brasil estaria classificado para a segunda fase mesmo que derrotado. Numa vitória croata, decidiria a classificação com o México no saldo de gols se também perdesse a partida.
Agora, se o Brasil perder, a Sérvia estará classificada e a vaga será disputada com a Suíça, que enfrenta a eliminada Costa Rica.

1978

Em 1978, após duas rodadas, a seleção tinha dois pontos (dois empates) e era a segunda colocada no grupo 3. A Áustria, última adversária do Brasil, liderava com quatro pontos. Espanha e Suécia vinham logo atrás com um ponto.
Naquela época (e assim foi até 1990), uma vitória na fase de grupos rendia dois pontos, e não três, como é hoje. Então, se o Brasil perdesse para a Áustria, poderia ser ultrapassado pelo vencedor do duelo entre Espanha e Suécia, e ficaria fora da zona de classificação.
No final, a seleção venceu a partida e se classificou em primeiro, com os austríacos em segundo. O Brasil terminou a Copa de 1978 na terceira colocação. A Argentina, dona da casa, foi campeã.