quarta-feira, 21 de abril de 2021

Reembolso a senadores em gastos com saúde cresce 38% em 2020

 


Apesar do gasto total de R$ 14,9 milhões, direção do legislativo não informou detalhamento da despesa por parlamentar

Redação
BAHIA.BA 
Foto: reprodução site do Senado
Foto: reprodução site do Senado

 

Os gastos dos senadores e ex-senadores com saúde totalizaram R$ 14,9 milhões no ano passado, segundo levantameno da Folha de S. Paulo. O montante inclui cobertura dos cônjuges. Somente em valores reembolsados aos parlamentres foram gastos R$ 6,89 milhões, aproximadamente 38% maior do que os R$ 4,98 milhões reembolsados em 2019.

Naquele ano, os gastos totais (R$ 13,89 milhões) ficaram próximos do valor despendido no passado. Neste comparativo, o aumento ficou em 7,2%.

Segundo a direção da Casa, presidida atualmente pelo senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), os valores correspondem ao plano médico-odontológico SIS-Senado. Parlamentares, ex-parlamentares e cônjuges têm direito a atendimento em unidades particulares como os hospitais Albert Einstein e Sírio-Libanês.

Sigilo
A Folha relatou que, durante seis meses, o veículo pediu ao Senado o detalhamento por parlamentar das despesas com saúde, via Lei de Acesso à Informação. Sem êxito. “Esses dados individualizados representam informação diretamente relacionada ao estado de saúde do indivíduo, sendo protegido pelo Conselho de Ética do Conselho Federal de Medicina”, alega o legislativo.

Maria Dominguez, da Transparência Internacional Brasil, rebate esta intepretação. Conforme a pesquisadora, o que é vedada é a divulgação de dados pessoais, íntimos ou sensíveis, proibição também acolhida na Lei Geral de Proteção de Dados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário