quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Caminhoneiros mantêm bloqueios em MT e pedem adesão popular


BLOG DO CAMINHONEIRO

Junto a caminhoneiros de todo o país, o Movimento dos Transportadores de Grãos e Derivados (MTG) dá sequencia ao bloqueio de rodovias em Mato Grosso nesta quarta-feira (2). Em protesto contra o aumento na cobrança do PIS/Cofins, responsável pelo altos preços dos combustíveis, eles deram início ao movimento na manhã de terça-feira (1), em Barra do Garças, Juara, Vila Rica e Sorriso. Em Rondonópolis, uma Medida Cautelar decretada pela Justiça impediu os profissionais da região de realizarem a manifestação.
De acordo com o líder do MTG, Gilson Baitaca, os empresários do município também vêm pressionando a categoria por meio coerção e boicote. Sem nenhuma posição do Governo, a expectativa no momento é que o movimento ganhe apoio popular, aumentando a resistência para forçar a gestão a iniciar um diálogo. Os caminhoneiros também aguardam pelo efeito das paralisações nos estados de Minas Gerais e São Paulo, onde o número de manifestantes é maior.
“Nós não esperávamos e não esperamos um posicionamento do Governo logo nos primeiros dias porque sabemos que a preocupação agora não é a sociedade. A preocupação do Governo é se salvar. Por isso, a participação da sociedade e das demais entidades seria fundamental neste contexto. Mas infelizmente só temos recebido apoio verbal ou via Facebook. Infelizmente isso não adianta nada, só contribui para alimentar uma sensação de descredulidade.”
Diante da situação, na há previsão para que os atos sejam encerrados. Os bloqueios no Estado foram desfeitos à noite, com exceção de Barra do Garças, onde os profissionais mantiveram a estrada fechada ao longo de toda a madrugada. “Infelizmente, pra nós não faz muita diferença ficar parado ou rodando. A situação muda um pouco para alguns que tem mais fôlego, mas se eles não estiverem do nosso lado agora, no futuro poderão estar enfrentando o mesmo problema.”
Eles estão bloqueando as vias com pneus, permitindo apenas a passagem de veículos de passeio. A recomendação, no entanto, é que os motoristas peguem a estrada apenas em casos de urgência, uma vez que, mesmo diante da orientação do MTG, outros profissionais podem inviabilizar a passagem totalmente em determinados locais. Segundo Gilson, até o momento, nenhum conflito foi registrado.
Em decorrência da alteração, a alíquota do PIS/Cofins para a gasolina mais que dobrou, passando dos atuais R$ 0,3816 por litro para R$ 0,7925 por litro. No caso do diesel subiu de R$ 0,2480 para R$ 0,4615 nas refinarias. Para o produtor do etanol, passou de R$ 0,12 para R$ 0,1309 por litro. Para o distribuidor, a alíquota, atualmente zerada, sobe para R$ 0,1964.
Fonte: Agro Olhar

Nenhum comentário:

Postar um comentário