terça-feira, 18 de julho de 2017

Planalto atua para conter dissidência no próprio PMDB


O comando do partido calcula que ao menos oito deputados peemedebistas podem ficar contra o presidente

Redação
Planalto (Foto: Agência Brasil)
Planalto (Foto: Agência Brasil)

O Planalto atua para evitar dissidência na base governista, inclusive no próprio PMDB, na votação da denúncia contra o presidente Michel Temer.
De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, o comando do partido calcula que ao menos oito deputados peemedebistas podem ficar contra o mandatário quando a matéria for votada no plenário da Câmara, o que representa mais de 10% dos 63 integrantes da bancada.
Para derrotar o presidente e permitir que o Supremo Tribunal Federal (STF) aceite a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), a oposição precisa dos votos de 342 dos 513 deputados.
A votação está marcada para 2 de agosto, na volta do recesso parlamentar. Pelas contas, Temer tem no PMDB 55 votos garantidos. Dos outros oito, dois são dados como irreversíveis: Sergio Zveiter (RJ) e Jarbas Vasconcelos (PE).

Nenhum comentário:

Postar um comentário