quinta-feira, 15 de junho de 2017

Influência de Lula é ‘volátil’, diz Rui, ao revelar medo de convites


“Eu, inclusive, estou pensando toda vez que alguém me convida para passar o fim de semana na casa de alguém. É sério, pô”, comparou governador, sobre sítio de Atibaia

Evilasio Junior / Rodrigo Aguiar/ BAHIA.BA
Foto: Manu Dias/ GOVBA
Foto: Manu Dias/ GOVBA

Após desdenhar da pesquisa do Instituto Paraná e dizer que o seu governo tem 80% de aprovação, o governador Rui Costa (PT) se mostrou cauteloso ao comentar a influência do ex-presidente Lula, que pretende ser candidato ao comando da República em 2018, na campanha estadual.
“É tudo muito volátil, apesar de o Lula estar apanhando há três, quatro anos. É quase um milagre, é um negócio sobre-humano, alguém que apanhou tanto estar com esse porcentual. Mas é tudo exercício de futurologia. Quem sabe o que vai acontecer? Uma eventual condenação dele, mesmo que injusta, na minha avaliação, chega a ser ridícula”, disse o governador, nesta quarta-feira, durante almoço com jornalistas, ao comparar a acusação de posse do sítio de Atibaia à sua própria realidade.
“Eu, inclusive, estou pensando toda vez que alguém me convida para passar o fim de semana na casa de alguém. É sério, pô. As pessoas têm um sítio, têm uma casa de praia. Você vai, usa um fim de semana, usa dois, no terceiro alguém já está dizendo: ‘olha, ele está trocando tal favor do Estado para poder usar a casa no final de semana’. Quer dizer, isso é muito pouco. É muito pobre para você querer condenar alguém”, afirmou.
Na avaliação do petista, as obras realizadas na chácara não comprovam que a propriedade era do líder do seu partido, mas sim a tentativa de agradar uma autoridade. “Quem não quer receber bem? Isso é da natureza humana. O cara vai pintar, vai reformar, vai fazer tudo, e você vai condenar a pessoa que frequentava?”, especulou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário