domingo, 6 de agosto de 2017

A farsa da solução “militar” para a gravíssima questão da segurança pública


Resultado de imagem para militares no rio
Desde FHC, os militares “atuam” na segurança do Rio
Francisco Vieira
Esse negócio de colocar a Força Nacional e outros militares no Rio de Janeiro sempre que a população gritar por socorro é pura perda de tempo e de recursos. É uma grande farsa, uma grande mentira sempre repetida para dar satisfação e acalmar a população. O objetivo real não é apenas dizer que algo está sendo feito e dar uma “sensação de segurança”, ainda que totalmente imaginária, já que ninguém tem a coragem de ser politicamente incorreto e extirpar logo de uma vez o tumor?
Para se ter uma ideia do tamanho da mentira, que vem sendo repetidas desde a Era FHC, se o acréscimo de 10 mil militares durante seis meses garantisse a segurança do Rio nesse período de tempo, bastaria que aumentassem o efetivo da Polícia Militar local nessa mesma quantidade e a cidade teria segurança definitivamente. Ou será que os militares novatos no Estado, totalmente desconhecedores dos becos e das vielas locais, serão dotados de alguma “força sobrenatural” que desencorajaria os criminosos?
CAOS NACIONAL – Outra coisa: Esses militares viriam de onde? Da Dinamarca? Provavelmente, pois tirá-los de algum outro lugar caótico do Brasil seria o mesmo que diminuir a força policial local na mesma proporção que a aumentaram no Rio de Janeiro. Os “especialistas” teriam descoberto um santo para cobrir outro, já que o caos reinante não é exclusividade do Rio.
Além disso, como é que uma autoridade tem o cinismo (ou o desconhecimento, o que não absolve a própria ignorância) de falar em segurança pública com mais de 564 mil mandados de prisão em aberto?
Como é possível alguém ter a desfaçatez de falar em segurança pública sem se preocupar em tirar os bandidos das ruas, quando mais da metade dos presos ouvidos nas audiências de custódia são liberados e, em seguida, soltos entre as pessoas de bem, o que representa milhões de bandidos livres entre a população, já que os mandados de prisão não cumpridos representam uma amostra da minoria que ficou (ou que deveria ter ficado) na cadeia? Será que essas autoridades desconhecem que qualquer pessoa, inclusive os homicidas, traficantes, pedófilos e assaltantes, precisa tomar café, vestir, dormir, tomar cerveja, curtir a vida, almoçar e jantar e que, invariavelmente, procurarão se manter à custa do patrimônio e da vida de cidadãos?
INVESTIGAR? – Finalmente, vamos acabar com a Polícia Federal e com as Polícias civis, forças judiciárias investigativas que tanto incomodam. Pura perda de tempo e de recursos! Segundo as nossas autoridades, para que o país se torne minimamente civilizado basta, apenas, investir nas polícias ostensivas e colocar um policial fardado nas esquinas mais movimentadas, com o olhar fixo no infinito, para que seja visto pela população.
O crime e os criminosos sempre tiveram a total liberdade e o total apoio das nossas autoridades, cúmplices, que sempre davam a desculpa da “lei” para justificar a total promiscuidade e impunidade… Agora, a atuação magistral dos Doutores Ricardo Leite, Sérgio Moro e Wallisney Oliveira, dentre outros, mostrou que o Brasil não precisava de novas leis. O que o Brasil precisava era de homens sérios atuando no Judiciário. E nos outros Poderes, claro.
Posted in

Nenhum comentário:

Postar um comentário