domingo, 23 de julho de 2017

Empresa de Maggi leva 70% do subsídio ao milho de programa federal


Companhia de ministro da Agricultura abocanhou recursos para transportar 730 mil toneladas do grão; operações via PEP movimentaram, em três meses, cerca de R$ 51 milhões

BAHIA.BA
Ministro da Agricultura Blairo Maggi (Valter Campanato/Agência Brasil)
Ministro da Agricultura Blairo Maggi (Valter Campanato/Agência Brasil)

A Amaggi, empresa da família do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, abocanhou 70% do subsídio leiloado pelo Prêmio de Escoamento do Produto (PEP), programa do governo federal, para subvencionar o transporte de milho, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).
De acordo com o levantamento feito pela Reuters, a companhia arrematou recursos para transportar cerca de 730 mil toneladas do grão até o último dia 13 de julho. O total, desde 4 de maio, quando a União passou a dar suporte aos preços do cereal, foi de aproximadamente 1 milhão de toneladas.
Praticamente todos os pregões foram destinados ao agronegócio do estado do Mato Grosso, onde o grupo Maggi atua mais fortemente. Todas as operações via PEP movimentaram, em três meses, cerca de R$ 51 milhões.
Oficialmente, a medida pretende viabilizar os negócios agrícolas a valores que cubram ao menos os custos de produção dos agricultores, em momento de colheita abundante, como a safra recorde registrada este ano. Para ter direito ao PEP, os comerciantes têm que pagar o preço mínimo.
Apesar de comandar a pasta responsável pela distribuição dos recursos, não há evidências que o ministro tenha agido para favorecer os seus negócios. Em nota, a Amaggi também negou ter participado de quaisquer irregularidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário