segunda-feira, 26 de abril de 2021

Vacinas da Pfizer e Moderna não oferecem riscos a mulheres grávidas, diz estudo

 


Estudo analisou 35.691 mulheres grávidas, com idades entre 16 e 54 anos nos Estados Unidos

Redação
BAHIA.BA 
Foto: Ana Nascimento/MDS/Portal Brasil
Foto: Ana Nascimento/MDS/Portal Brasil

 

As vacinas contra a Covid-19 das farmacêuticas Pfizer e Moderna não apresentam riscos a mulheres grávidas, segundo apontou um estudo preliminar liderado por cientistas do Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos e publicado na última quarta-feira (21), no “New England Journal of Medicine”, uma das revistas científicas mais importantes do mundo.

O estudo analisou 35.691 mulheres grávidas, com idades entre 16 e 54 anos. Os cientistas do CDC concluíram que “os achados preliminares não mostraram sinais de segurança óbvios entre as gestantes que receberam vacinas”.

“Além de a vacinação proteger as mulheres contra Covid-19 e suas complicações durante a gravidez, evidências vêm mostrando a transferência pela placenta de anticorpos contra o Sars-CoV-2 após a vacinação durante o terceiro trimestre, o que sugere que a vacinação materna pode fornecer algum nível de proteção ao recém-nascido”, avaliaram os pesquisadores.

De acordo com o G1, os cientistas  apontam que não tinham dados sobre a transferência de anticorpos e o nível de proteção em relação ao momento da vacinação. Além disso, afirmaram que um acompanhamento ao longo do tempo é necessário para saber de resultados em relação às mães, às gestações e aos bebês.

As mulheres foram vacinadas de dezembro de 2020 a 28 de fevereiro de 2021. Das 35.691 participantes, 30.887, o equivalente a 86,5%, estavam grávidas ao receber a vacina. As outras 4.804 tiveram um teste positivo de gravidez após serem vacinadas. Cerca de metade das participantes tomou a vacina da Pfizer (19.252) e a outra metade, a da Moderna (16.439).

Nenhum comentário:

Postar um comentário