quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Andrade Gutierrez pagou R$ 30 mi em propinas para ‘matar’ CPI


Empresário Adir Assad prestou depoimento ao juiz Marcelo Bretas em processo sobre o pagamento a dirigentes da Eletronuclear pela construtora

BAHIA.BA
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O empresário Adir Assad afirmou nesta quarta-feira (9) que empreiteiras pagaram propina para “matar” a CPI do Cachoeira, em 2012, quando seu nome surgiu pela primeira vez como responsável por gerar dinheiro vivo para a Delta Construções para repassar a políticos.
De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, Assad afirmou que a Andrade Gutierrez pagou R$ 30 milhões em propinas para que ele não fosse questionado de forma contundente pela comissão. Segundo o empresário, a informação veio de Flávio Barra, ex-executivo da construtora.
“Ele deve ter passado o chapéu com outras empreiteiras. Cheguei lá, todos os deputados estavam no celular, para não fazer perguntas. Parece que fui lá fazer uma palestra”, disse Assad.
Assad prestou depoimento ao juiz Marcelo Bretas em processo sobre o pagamento de propina a dirigentes da Eletronuclear pela Andrade Gutierrez, para quem também prestou o serviço de “caixa dois”.
“Gerei R$ 1,7 bilhão de propina”, afirmou ao juiz. Ele citou o PSDB e PT como alguns dos partidos destinatários dos recursos. No entanto, não especificou nomes de políticos que teriam recebido os valores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário