terça-feira, 18 de julho de 2017

Novidades da Flica 2017 são anunciadas em evento com o governador Rui Costa

Postado em 18/07/2017 4:33  DIGA BAHIA!
35166529594_89bf9a9c79_m O lançamento da Flica contou com as participações do governador Rui Costa e do secretário de cultura Jorge Portugal
A cidade histórica de Cachoeira se torna capital baiana da leitura entre os dias 5 e 8 de outubro de 2017, quando os aficionados por literatura de todas as partes do mundo se encontram no maior evento do gênero no estado, a Festa Literária Internacional de Cachoeira – Flica. A coletiva de lançamento ocorreu na manhã desta terça (18), no Palácio Rio Branco, em evento com a presença do Governador do Estado, Rui Costa, do Secretário de Cultura, Jorge Portugal, entre diversas personalidades e convidados. “É o sétimo ano e com certeza a Flica se consolidou como uma referência nacional no campo da literatura. Mais uma vez esse ano nós vamos organizar caravanas das escolas públicas estaduais da região do recôncavo e de Salvador para que elas possam participar desta festa maravilhosa, como fizemos nas últimas edições”, declarou o governador Rui Costa.
Novamente, a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) abraça a Flica. Além do apoio através do Fazcultura, a SecultBA promoverá uma programação diversificada através de suas unidades, a Fundação Pedro Calmon (FPC) e a Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb). Ligado à história da Flica desde o seu primeiro ano, antes mesmo de sua gestão como secretário de cultura, Jorge Portugal comemora o fortalecimento da festa através da parceria com o Governo do Estado. “A Flica não é apenas uma grande festa literária, ela se torna mãe de outras festas literárias que acontecem na Bahia, como a Flipelô, a Flios, a Fligê, e tantas outras que eu espero que venham por aí“, afirma. A programação das unidades da SecultBA na Flica será divulgada em breve.
Em sua sétima edição, a festa retorna trazendo debates literários, exposições, apresentações artísticas, contações de história e saraus. A Flica costuma atrair mais de 20 mil pessoas. Um dos idealizadores e coordenador geral da Flica, Emmanuel Mirdad festeja que com a Flica a literatura entrou no mapa dos grandes eventos do estado. “Tínhamos muita coisa voltada para música, mas com relação à literatura não havia nada que focasse em suas diversas dimensões, somente nas vendas. E com a Flica nós trouxemos a celebração da literatura, o encontro do autor com o seu público, aquele momento de convivência em que todas as atenções são voltadas para que a literatura fique à frente”.
Este ano, o escritor Ruy Espinheira Filho será o grande homenageado pela Flica. Autor de mais de 20 livros, recebeu diversos prêmios e tem contos e poemas em diversas antologias publicadas no Brasil e no exterior. “Ganhar essa homenagem é uma grande honra porque esse é um dos eventos mais importantes do país”, celebra Ruy. Durante a festa, o escritor ainda participará de um debate sobre poesia em uma mesa mediada pela professora e poeta Mônica Menezes.
A Flica prevê a participação de 20 autores nas mesas literárias. Desses, 13 já foram confirmados na programação. Entre os destaques locais, os autores Franklin Carvalho, Cidinha da Silva e Daniela Galdino. Dos autores nacionais, já confirmaram presença Ruy Espinheira Filho, Maria Valéria Rezende, Ricardo Lísias e Elisa Lucinda. Das participações internacionais, foram anunciadas a moçambicana Paulina Chiziane, a finlandesa Minna Salami e o cubano Carlos Moore, que participará de uma mesa mediada por Jorge Portugal. Este ano, o curador responsável pela programação da Flica é o escritor e jornalista Tom Correia. “Está sendo um trabalho prazeroso que nos ensina a nos colocar no lugar do outro, no diálogo com os escritores e com as pessoas que nos enviam idéias e sugestões”, conta o curador, que promete ótimas surpresas nesta edição.
O público infanto-juvenil também tem espaço garantido na programação. Livros e brincadeiras criam um universo lúdico para a Fliquinha, um espaço literário direcionado à formação de um público leitor entre a nova geração. O trabalho tem à frente as curadoras Lília Gramacho e Mira Silva. “Tudo começa na infância e nossa responsabilidade é muito grande por isso também. O objetivo da gente é promover o encontro dessas crianças com o livro, principalmente agora, num mundo tão tecnológico” explica Mira Silva, que participa do projeto pelo sexto ano consecutivo.
A Flica 2017 é realizada pela Cali e Icontent e tem patrocínio do Governo do Estado, por meio do Fazcultura, mecanismo das secretarias da Fazenda e de Cultura do Estado da Bahia, e apoio do Hiperideal, Coelba e Prefeitura Municipal de Cachoeira. Para o superintendente de promoção cultural, Alexandre Simões, a participação do Fazcultura na festa “é a consolidação de uma parceria que vem dando certo e busca expandir ações para o livro e a leitura. Essa festa é uma entrega cultural importantíssima do ponto de vista social e do ponto de vista cidadão também”, declara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário