domingo, 16 de julho de 2017

Muito mais que barba, cabelo e bigode: homens vaidosos movimentam mercado da beleza


Há três anos, Frederico Abdala faz barba e corta os cabelos semanalmente com o barber Edimar Torres: “O serviço profissional é outra coisa”, afirma
Há três anos, Frederico Abdala faz barba e corta os cabelos semanalmente com o barber Edimar Torres: “O serviço profissional é outra coisa”, afirma
A ideia de que os homens são seres totalmente desinteressados por cuidados pessoais, com qualquer sabonete servindo para lavar o corpo todo, incluindo os cabelos, já caiu por terra há algum tempo. Atualmente, eles não só tratam da beleza, antes uma “exclusividade” feminina, mas investem dinheiro na própria aparência. Estão cada vez mais vaidosos.
Recente levantamento da Euromonitor Internacional, líder mundial em pesquisas do setor de beleza em 80 países, mostrou que, nos últimos cinco anos, a fatia masculina do segmento dobrou no Brasil. O setor, em 2016, movimentou R$ 19,6 bilhões, mesmo com o país em crise.
PUBLICIDADE
O Dia Nacional do Homem é comemorado em 15 de julho; internacionalmente, a celebração acontece em 19 de novembro
“Hoje eu percebo que o cuidado do homem não está somente no cabelo e na barba. Vejo isso na moda masculina, que cresceu muito. Assim como os investimentos na estética e na beleza. Não conta ponto só para aparência, mas é uma forma de marketing pessoal”, acredita o empresário e barber Edimar Torres, que abriu uma nova unidade da Barbearia Torres em plena recessão e viu o negócio crescer mais de 30%.
Barbearia Torres, barba
Fazer a barba em local especializado é opção
Na visão de Edimar Torres, cuidar da beleza não é benéfico apenas para o bem-estar masculino ou para o sucesso na paquera, mas também para a questão profissional. “O mercado de trabalho busca homens com mais estilo e mais vaidade. Uma boa aparência conta muito, o cara tem que estar bem”, observa.
Cliente assíduo de Torres, com quem faz a barba e corta os cabelos semanalmente, o administrador Frederico Abdala, de 42 anos, inicialmente afirma não ser vaidoso, apesar desse cuidado constante. Mas, depois, confessa: “Se cuidar da minha aparência é ser vaidoso, então eu sou um homem vaidoso”.
Intervenções
Especializada em estética, a dermatologista Eveline Bartels percebe um constante crescimento na demanda dos homens por procedimentos para melhorar a aparência e parecer mais jovem. “Eles buscam mais as condutas faciais, para dar harmonia ao rosto e retardar o envelhecimento. A recuperação do volume facial e a redução de rugas de expressão são os procedimentos mais procurados”, conta.
A médica destaca que a grande diferença entre a procura de homens e mulheres pelos serviços estéticos está no comportamento. “É curioso. Eles têm medo de se submeterem aos procedimentos mais invasivos mas, ao perceberem que estão envelhecendo, vão no consultório querendo aqueles menos arriscados e dolorosos. No entanto, não revelam que passaram pelos procedimentos, mantêm em segredo. Já as mulheres contam para as outras e indicam o serviço”, explica.
“As áreas mais depiladas por eles são o abdômen, para aparecer os músculos; e as costas, pelo incômodo”
Danyelle Van Straten
Diretora-executiva da Depyl Action

Busca por bem-estar e higienização faz depilação ganhar espaço entre eles
A grandiosidade do mercado de beleza masculino inclui, também, a procura de um serviço muito conhecido do público feminino: a depilação.
O produtor cultural Sérgio Silva, de 37 anos, raspava os pelos por sentir necessidade de uma maior higienização no corpo, porém, eles cresciam muito rapidamente e, muitas vezes, encravavam.
Há três anos, ele descobriu um salão que atendia homens para depilação tradicional, com cera, e não largou mais. “Faço de 45 em 45 dias a depilação das costas e das axilas, principalmente”, diz.
Ele assume ser um homem muito vaidoso. “Consumo muitos produtos de beleza como hidratantes e shampoo. Além disso, faço limpeza de pele e a sobrancelha”.
A depiladora de Sérgio, Viviane Miranda, afirma ter clientes de uma ampla faixa etária, de 25 a 60 anos. “Na primeira vez, são muito tímidos. Mas, depois, sentem-se tão bem que continuam voltando”.
Ela coloca que o percentual de homens no salão ainda é pequeno em relação ao de mulheres. “Ainda existe muito tabu em torno da depilação para eles”, acredita.
Eveline Bartels, botox, preenchimento facial, dermatologia
“Agregar valor à fisionomia é o desejo deles quando buscam tratamento estético”, revela Eveline Bartels
Demanda
Uma mudança de comportamento em curso na sociedade é, para Danyelle Van Straten, diretora-executiva da Depyl Action, motivo para a crescente procura dos homens pelos serviços estéticos.
Depilação masculina
Sérgio Silva encontrou na depilação um alívio
“Depilação em um país tropical como o nosso é uma necessidade, ultrapassa a vaidade. O homem que depila uma vez, depila sempre pelo bem-estar e higiene proporcionados. Só não faziam antes porque não sabia”, revela a empresária que, hoje, tem 8% do total de clientes do sexo masculino.
A demanda deles pelo serviço reflete na busca de cursos especializados por profissionais da área, diz Adraciana Martins da Silva, instrutora do curso de depilação do Senac.
“Antes, existia a procura, mas agora cresceu muito mais. Os homens estão incentivados pelas academias e pelo mundo da moda, principalmente, a meu ver”, afirma.
Além Disso
A Euromonitor Internacional aponta que o consumo de produtos e serviços no Brasil deve seguir crescendo 7,1% ao ano até 2019.
Hoje, o país ocupa o segundo lugar no ranking mundial de países em consumo de beleza pelos homens, perdendo apenas para os Estados Unidos.
Daqui a dois anos, a previsão da empresa de pesquisa é de que o Brasil ultrapasse os norte-americanos e domine este mercado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário