quinta-feira, 13 de julho de 2017

Moro diz que pode ter ‘errado’ ao liberar áudios de Lula em 2016


Na sentença que condenou o petista, o juiz lembrou que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki criticou na ocasião a medida com "palavras duras"

BAHIA.BA
(Foto: Gil Ferreira / Agência Brasil)
Foto: Gil Ferreira / Agência Brasil

O juiz Sergio Moro mencionou divulgação de áudios de conversas do ex-presidente Lula, em 2016, e disse que pode “ter errado” ao tomar a iniciativa.
A revelação do material, que incluía um telefonema de Dilma Rousseff para Lula, agravou a crise política vivida no governo federal à época, que culminou no afastamento da então presidente no Congresso em maio do ano passado.
Na sentença que condenou o petista, Moro lembrou que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki criticou a medida na ocasião com “palavras duras”.
“Ainda que, em respeito à decisão do Supremo Tribunal Federal, este julgador possa eventualmente ter errado no levantamento do sigilo, pelo menos considerando a questão da competência, a revisão de decisões judiciais pelas instâncias superiores faz parte do sistema judicial de erros e acertos”, escreveu o juiz.
Em outros trechos, porém, Moro defendeu sua atitude. Disse que o Judiciário não deve ser o “guardião de segredos sombrios dos governantes” e que não foi uma iniciativa de “guerra jurídica”, como disseram os advogados de Lula.

Nenhum comentário:

Postar um comentário