quinta-feira, 6 de julho de 2017

Ligado a Geddel, secretário discorda de afastamento de líder do PMDB


Almir Mello Jr. disse achar discussão sobre troca de presidente “muito prematura”: “Espero que a justiça seja feita e que tudo volte à normalidade”

Evilasio Junior / Alexandre Galvão/ BAHIA.BA
Foto: Luís Filipe Veloso/ bahia.ba
Foto: Luís Filipe Veloso/ bahia.ba

Ligado ao presidente estadual do PMDB, Geddel Vieira Lima, o secretário municipal de Infraestrutura, Almir Mello Júnior, discordou da avaliação do vereador Alfredo Mangueira, de que o ex-ministro, que está preso por tentativa de obstrução à Justiça, vai se afastar do comando da sigla.
“Não concordo, até porque eu acho muito prematuro, muito primária essa opinião. Vamos esperar os fatos desenrolarem para a gente chegar a uma conclusão”, disse o peemedebista, em entrevista ao bahia.ba, nesta quinta-feira (6), durante a inauguração da Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes, no bairro de São Cristóvão.
Almir também divergiu do entendimento da força-tarefa da Operação Cui Bono, que apura irregularidades na Caixa Econômica Federal, para levar Geddel – vice-presidente de Pessoa Jurídica do banco, de 2011 a 2013 – ao Presídio da Papuda.
“Espero que a justiça seja feita e que tudo volte à normalidade, até porque o advogado que está cuidando desse assunto [Gamil Föppel] já deu entrevista a todos os veículos de comunicação, mostrando diversas falhas. Mostrou que não tem nenhuma motivação para que o ex-ministro fosse detido”, disse.
Sobre o futuro político do líder maior do partido no estado, o secretário concordou que a tendência é a aposentadoria eleitoral do ex-ministro. “O deputado Lúcio Vieira Lima falou na semana passada que Geddel iria cuidar dos assuntos da família, então cabe a ele fazer essa reflexão”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário