terça-feira, 4 de julho de 2017

Jucá diz que Geddel é ‘amigo querido’ e prisão ‘é algo muito forte’


O líder do governo no Senado, contudo, nega que o episódio afete o andamento do governo

BAHIA.BA
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

O líder do governo Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), lamentou nesta terça-feira (4) a prisão do ex-ministro baiano Geddel Vieira Lima.
“A prisão do ex-ministro Geddel nos atinge pessoalmente. Nós lamentamos, é um amigo querido. É uma pessoa que tem grandes serviços prestados ao país e, é claro, não gostaríamos de ver ele nessa situação”, disse, ao jornal Folha de S. Paulo.
Geddel é acusado pelo Ministério Público de tentar atrapalhar as investigações da Operação Cui Bono, que apura fraudes na liberação de créditos pela Caixa Econômica Federal.
Embora lamente a detenção do ex-ministro, Jucá diz não conhecer o processo para opinar, mas afirmou que a medida “é algo muito forte, muito agressivo”. O líder do governo, contudo, nega que o episódio afete o andamento do governo. “Isso não impacta o governo. O governo está governando. O ministro já não era ministro há muito tempo”, afirmou.
Jucá evitou ainda comentar que a prisão de Geddel possa impactar o recebimento da denúncia apresentado pela PGR contra o presidente Temer na Câmara. “Se tiver uma boa base legal, os deputados vão avaliar, se não tiver vão se manifestar também. É uma questão interna da Câmara, Senado não tem que opinar”, completou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário