quinta-feira, 13 de julho de 2017

Geddel terá mais ‘calma’ para se defender em casa, diz vice-prefeito


Bruno Reis elogiou ainda a posição do vereador petista Moisés Rocha (PT), que se ausentou durante a votação da desafetação

Alexandre Galvão / BAHIA.BA
Foto: Max Haack/ Secom PMS
Foto: Max Haack/ Secom PMS

O vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis (PMDB), afirmou ao bahia.ba que o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) terá mais calma para se defender em casa – agora que foi posto em prisão domiciliar.
“Ele agora volta para o convívio familiar, onde poderá ter mais calma e tranquilidade para realizar sua defesa. Torço para que, ao final, possa provar sua inocência”, afirmou. Nesta quinta-feira (13), no entanto, o Ministério Público Federal (MPF) pediu nova prisão do ex-ministro.
Ainda de acordo com o peemedebista, a aprovação da desafetação na Câmara Municipal de Salvador, na quarta (12), encerrou de uma vez por todas qualquer “rumor criado pela imprensa” sobre insatisfações na base governista.
“Ontem nossa base estava unida, sepultou qualquer rumor de insatisfação criado pela imprensa. Insatisfação não existe, nem nunca existiu”, defendeu.
Um dos principais articuladores políticos do governo Neto, Reis classificou ainda como “corajosa” a posição do vereador petista Moisés Rocha (PT), que se ausentou durante a votação da desafetação e não votou contrário ao projeto – como fez toda bancada de oposição na Casa.
“O vereador manteve sua coerência, pois em outros momentos ele votou favorável pela desafetação. Ele tem muita coragem e coerência, que é o que falta na política”, elogiou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário