segunda-feira, 3 de julho de 2017

Estudo que inclui baiana de acarajé em profissões regulamentadas é iniciado


Como parte do procedimento, ao longo deste mês, vendedoras são entrevistadas por técnicos da USP; inclusão na Classificação Brasileira de Ocupações representa uma conquista para a categoria

BAHIA.BA
O processo de inclusão da baiana de acarajé no índice de profissões regulamentadas na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) teve início nesta segunda-feira (3), na Superintendência Regional do Trabalho na Bahia (SRT-BA). Como parte do procedimento as vendedoras serão entrevistadas por técnicos da Universidade de São Paulo (USP), entidade responsável pela redação do documento.
O estudo técnico tem conclusão prevista para o final deste mês, e o ministro do trabalho Ronaldo Nogueira deve assinar a inclusão na CBO.
O início do estudo foi marcado por uma solenidade com a presença do prefeito ACM Neto, do secretário-executivo do Ministério do Trabalho, Antônio Correia, da secretária municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), Taissa Gama, e da presidente da Associação das Baianas de Acarajé, Mingau e Receptivo da Bahia (Abam), Rita Santos.
Desde 2005, as baianas são tombadas pelo Iphan como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. A admissão na CBO é mais uma conquista para as cerca de 3.500 profissionais que devem ser beneficiadas pela regulamentação da profissão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário