terça-feira, 11 de julho de 2017

Cristóvão Buarque critica ocupação da Mesa do Senado: estudantil



Por Luiz Fernando Lima* e Shizue Miyazono | Fotos: Luiz Fernando Lima
O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) criticou a ação de alguns colegas da oposição, que mesmo com os microfones desligados e as luzes do plenário apagadas, ocuparam a Mesa do Senado e permanecem no local para tentar impedir a votação da reforma trabalhista na tarde desta terça-feira (11). O parlamentar definiu a ação das senadores como "estudantil".

" Eu já vi isso no passado, não aqui, em assembleia estudantis. Mas nas assembleias se justificavam porque não era o Parlamento. Eu acho lamentável e está servindo para desmoralizar ainda mais uma instituição que já vem sendo desmoralizada. É mais um gesto que arranha a democracia brasileira!, afirmou o senador.

Cristovam Buarque declarou voto favorável à reforma trabalhista, apesar de dizer que discorda de alguns pontos.

Ocupação da Mesa
Com o objetivo de tentar impedir a votação da reforma trabalhista, as senadoras da oposição, Gleisi Hoffmann (PT-PR), Fátima Bezerra (PT-PR) e Vanessa Grazziotin (PT-AM) ocuparam a mesa diretora do plenário do Senado, na manhã desta terça-feira (11).
Desde que suspendeu a sessão, o senador Eunício Oliveira se reúne com senadores de vários partidos da base para buscar uma solução para o impasse.

O presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB), ordenou que os microfones fossem cortados e as luzes, apagadas. Após a suspensão da sessão, o presidente convocou uma reunião no gabinete da Presidência com diversos senadores e líderes para tratar da retomada da discussão sobre a reforma trabalhista.

Umas das alternativas é a transferência da sessão para o Auditório Petrônio Portela, também, no Senado. No entanto, um grupo de sindicalistas protesta no local contra a reforma e contra o governo Michel Temer.


*Luiz Fernando Lima, direto de Brasília

Nenhum comentário:

Postar um comentário