quinta-feira, 6 de julho de 2017

Cientistas querem transformar o seu corpo na fonte de energia dos seus eletrônicos

Postado em 06/07/2017 7:46   DIGA BAHIA!
celular O desenvolvimento tecnológico para dispositivos como smartphones, tablets, notebooks e semelhantes tem um grande gargalo: barteria. Basicamente, por anos, as fontes de energia que alimentam toda essa indústria de portáteis não acompanhou a evolução dos aparelhos. A ideia de colocar baterias grandes em aparelhos cada dia mais compactos pode gerar resultados, literalmente, explosivos. Por isso, uma solução seria substituir essa necessidade de bateria por aparelhos autosuficientes em bateria.
A grande pergunta é: “como?” e a resposta é “com você”, segundo alguns cientistas. Aparelhos que gerem energia do movimento do seu corpo ou do seu calor podem ser o futuro dessa indústria, de acordo com pesquisadores e companhias. As informações são do site especializado The Verge.
tO site ainda aponta que aparelhos que não precisam de bateria podem beneficiar imensamente a área da saúde, já que uma troca de bateria em um marca-passo exige uma intercenção cirurgia, por exemplo. Elon Musk e sua empresa Neuralink podem ajudar nessa questão, já que o executivo pretende criar implantes cerebrais que durem muitos anos.
Além do movimento, que seria ideal para as baterias de aparelhos que você leva o tempo todo, como o celular, relógios inteligentes e outros, há a possibilidade de baterias termoelétricas. Elas funcionam utilizando a diferença de temperatura entre nossos corpos e o ambiente externo para gerar energia.
Outro ponto a favor de aproveitar o calor corporal é que você só precisa, basicamente, existir para que essa fonte de energia esteja ativa. Uma terceira alternativa é utilizar a frição para gerar energia. Pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Georgia (EUA) afirmam que a combinação de alguns tipos de polímeros pode otimizar essa frição e, em conjunto com o movimento, dar energia para gadgets vestíveis, os tais wearables.
No entanto, esse tipo de experimento ainda é iniciante e você provavelmente não vai carregar um iPhone 8 com o calor do corpo… Nem um iPhone 9. Mas, há essa possibilidade, já que especialistas apontam que os eletrônicos também devem se adequar a um ciclo otimizado de bateria. Ou seja, mais poder com menos consumo.
R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário