sexta-feira, 21 de julho de 2017

Bigode de Salvador Dali segue intacto 28 anos após sua morte


Os restos mortais do pintor catalão foram exumados a pedido de Pilar Abel, que alega ser filha do autor de "A Persistência da Memória"

BAHIA.BA
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A exumação dos restos mortais do pintor surrealista Salvador Dalí, realizada nesta quinta-feira (20), em Figueres, na Espanha, revelaram que o característico bigode, espécie de logomarca do artista, continua do mesmo jeito, para surpresa de todos. “O bigode estava na posição clássica, marcando dez horas e dez minutos”, disse o secretário-geral da Fundação Gala-Dalí, Luis Peñuelas Reixach, durante entrevista no Teatro-Museo Dalí.
O corpo de Dali, embalsamado há 28 anos, foi exumado por ordem de um tribunal para um exame de determinação de paternidade. Na operação foram extraídas amostras de cabelo, unhas, dentes e ossos do pintor de “A Persistência da Memória” (1931).
O jornal “El País” afirmou que os resultados dos exames de DNA deverão ser anunciados no início de setembro, pouco antes da audiência sobre a questão da paternidade, marcada para o dia 18 do mesmo mês.
O corpo do pintor, falecido em 23 de janeiro de 1989, aos 84 anos, está sepultado no Teatro-Museo Dalí, em Figueres, na região de Girona. A decisão do Tribunal da Catalunha foi anunciada em 20 de junho. O exame de DNA servirá para determinar a paternidade de Pilar Abel, que alega ser sua filha.
Segundo a Fundação Gala-Dalí, se os exames de DNA confirmarem a paternidade, Abel poderá reclamar 25% do patrimônio detido pelo artista no momento da morte. O prejudicado seria o Estado espanhol, herdeiro universal designado por Dalí.
Abel, nascida em Figueres em 1956, alega ser fruto de uma relação de Dalí com a mãe dela, que ele teria conhecido em Cadaqués, Girona, quando esta trabalhava como empregada de uma família que passava temporadas naquele povoado. Se a paternidade for confirmada, ela será a única filha conhecida do artista catalão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário