segunda-feira, 12 de junho de 2017

Temer se contradiz e deve manter ministros investigados nos cargos


Planalto argumenta que a PGR age politicamente e o procurador-geral, Rodrigo Janot, atua para "desestabilizar o governo" e a classe política

BAHIA.BA
Foto: Valter Campanato/Agência Brasill
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Diante da expectativa de que será denunciado nos próximos dias pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por crimes citados na delação da JBS, o presidente Michel Temer (PMDB) analisa manter no governo ministros que também forem alvos de denúncia.
Com isso, o peemedebista deve rever a “linha de corte” que estabeleceu com a revelação das delações da empreiteira Odebrecht, que previa o afastamento temporário dos integrantes do primeiro escalão que fossem denunciados.
Depois do surgimento de novas denúncias e da investigação do próprio presidente, ganhou força no Palácio do Planalto a posição de que Temer não deverá afastar os ministros.
Um dos argumentos é o de que a PGR age politicamente e o procurador-geral, Rodrigo Janot, atuaria para “desestabilizar o governo” e a classe política de maneira geral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário