quinta-feira, 22 de junho de 2017

STF decide por permanência de Fachin como relator do caso JBS


Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Dias Toffoli também defenderam validade do acordo de delação premiada

BAHIA.BA
Fachin é o relator do caso que apura se Renan cometeu crime de peculato (Foto: Mais PB)
Fachin é o relator do caso que apura se Renan cometeu crime de peculato (Foto: Mais PB)

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, na tarde desta quinta-feira (22), a manutenção do ministro Edson Fachin como relator do caso da JBS e pela validade do acordo de delação premiada feito com executivos da empresa.
Além dos ministros Alexandre de Moraes e o próprio Fachin, que votaram na sessão de quarta (21), também se posicionaram pró-permanência Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Dias Toffoli – ou seja, mais da metade da Corte.
A posição de Fachin foi externada durante o julgamento de um pedido do governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB). No requerimento, o tucano defendia que ao menos parte das investigações baseadas nas colaborações da JBS seja sorteada para outros ministros, porque não teriam relação com a Lava Jato, da qual Fachin é relator.

Nenhum comentário:

Postar um comentário