segunda-feira, 5 de junho de 2017

Ministro da Justiça retira ligação com ditadura do perfil



Por Redação BNews | Fotos: Nilton Fukuda/Estadão
Criado na burocracia estatal do regime militar, o ministro da Justiça, Torquato Jardim, limpou do currículo sua presença nos gabinetes da ditadura em Brasília. O perfil do ministro divulgado no site da pasta só começa em 1979, quando ele iniciou a vida de advogado na capital federal.
 
De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a familiaridade de Jardim com o poder começou em um cargo de assessor de Jarbas Passarinho, ministro da Educação no governo do general Emílio Garrastazu Médici. Ele alavancou sua carreira na sombra do sogro, João Leitão de Abreu, influente ministro do Gabinete Civil de Médici que foi cotado para suceder o general na Presidência. 
 
O perfil de Torquato Jardim divulgado pelo Ministério da Justiça também foi maquiado. Nas únicas citações dos serviços prestados pelo ministro ao governo no periodo militar, o texto informa que ele foi advogado da Siderúrgica Brasileira, mas, no currículo anterior, Jardim informou ter sido assessor. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário