quinta-feira, 22 de junho de 2017

Janot pede investigação de ex-ministros do PT e depoimentos de Lula e Dilma




Resultado de imagem para palocci, mantega e edinho
Três ex-ministros petistas entraram na alça de mira
André de Souza
O Globo
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta quinta-feira que 11 pessoas, incluindo os ex-ministros petistas Guido Mantega, Antonio Palocci e Edinho Silva, sejam investigados no inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar a compra de apoio de partidos políticos à campanha da ex-presidente Dilma Rousseff. Filiada ao PT, ela foi reeleita em 2014 com o apoio de outros oito partidos: PMDB, PDT, PCdoB, PP, PR, PSD, PROS e PRB. Janot solicitou também a realização de depoimentos de nove pessoas, entre elas a própria Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A decisão de aceitar ou não os pedidos caberá ao ministro Edson Fachin, relator dos processos da Lava-Jato no STF.
O inquérito foi aberto com base na delação premiada de executivos da Odebrecht e já tinha como investigado o atual ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira. Em 2014, ele presidia o PRB, partido que apoiou a chapa vitoriosa, composta pela ex-presidente Dilma Rousseff e seu vice, Michel Temer, que assumiu o cargo após o impeachment da titular.
MARQUETEIRO – Segundo Janot, a delação do marqueteiro João Santana, que tocou a campanha de Dilma, trouxe novos elementos.
Janot pediu ainda a inclusão de outras oito pessoas como investigadas, entre elas João Santana. Completam a lista: Manoel de Araújo Sobrinho, que já foi assessor de Edinho; o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, atualmente preso; Eurípedes Júnior e Salvador Zimbaldi Filho, do PROS; Marcelo de Oliveira Panella e Carlos Lupi, do PDT; e Fábio Tokarski, do PCdoB.
Os delatores apontaram que Edinho, então tesoureiro da campanha, solicitou que a Odebrecht pagasse R$ 7 milhões diretamente aos presidentes de PROS, PRB, PCdoB, PDT e PP para que eles se coligassem. Com isso, o tempo de TV de Dilma, calculado com base no tamanho das bancadas de deputados dos partidos que a apoiassem, aumentaria. Edinho é atualmente prefeito de Araraquara, no interior de São Paulo.
MAIS DEPOIMENTOS – Além de Lula e Dilma, Janot pediu o depoimento de sete pessoas: o ex-presidente do PT Rui Falcão; Giles Azevedo, ex-chefe de gabinete de Dilma; o ex-ministro petista Aloizio Mercadante; a ex-secretária da Odebrecht Maria Lúcia Tavares; a empresária Mônica Moura, mulher de João Santana; e duas ex-secretárias de Edinho Silva, identificadas pelos nomes Elenice e Juliana.
Janot também pediu o “levantamento de registros de reuniões e encontros realizados entre colaboradores e investigados nas datas e nos locais especificados em todos os Termos de Colaboração objeto da presente investigação”. Por fim, solicitou mais 60 dias para conduzir as investigações.
Posted in

Nenhum comentário:

Postar um comentário