quinta-feira, 8 de junho de 2017

Advogado de Trump rechaça acusações de ex-diretor do FBI



Por Folhapress | Fotos: Reprodução
 
O advogado pessoal do presidente dos EUA, Donald Trump, rechaçou as acusações feitas nesta quinta-feira (8) pelo ex-diretor do FBI e sugeriu que James Comey poderia ser investigado por vazar para a imprensa um memorando interno de uma conversa na Casa Branca.
 
O presidente "nunca disse sr. Comey 'eu preciso de lealdade, espero lealdade' em forma ou substância", afirmou Mark Kasowitz, negando a acusação chave feita pelo diretor demitido do FBI na comissão de inteligência do Senado americano.
 
Rechaçando partes fundamentais do testemunho de Comey e qualificando outros momentos como uma vitória para o presidente, Kasowitz também sugeriu que Comey poderia ser processado.
 
"Hoje, o sr. Comey admitiu que vazou a amigos supostos memorandos dessas conversas privilegiadas, uma das quais declarou que era confidencial."
 
"Vamos deixar para as autoridades competentes determinar se esses vazamentos devem ser investigados juntamente com todos os outros que já estão sob investigação", disse Kasowitz em nota divulgada à imprensa.
 
TRUMP
Num discurso realizado nesta quinta, Donald Trump evitou responder diretamente às acusações feitas pelo ex-diretor do FBI, mas buscou unir seus seguidores com uma mensagem desafiadora
 
"Vamos lutar e vencer", disse Trump, dirigindo-se a seus simpatizantes.
Sem fazer alusão explícita ao depoimento de James Comey, o presidente prometeu combater seus inimigos e repudiar as tentativas de derrubá-lo.
 
"Eles não vão nos desviar desta causa justa para tentar deter todos vocês", disse Trump em um evento da Coalizão Fé e Liberdade na capital americana.
 
"Sabemos lutar melhor do que ninguém e nunca, nunca vamos desistir. Não desistimos, somos vencedores e vamos lutar e vencer e vamos ter um futuro incrível", acrescentou.
 
"Eles vão mentir, vão obstruir, espalharão seu ódio e seu preconceito, não vamos recuar em fazer o que é certo", disse o presidente.
 
As pessoas "vão ter a mudança na qual votaram e que tão generosamente merecem", acrescentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário