quinta-feira, 18 de maio de 2017

STF abre inquérito para investigar Michel Temer


O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou nesta quinta-feira a abertura de um inquérito contra o presidente Michel Temer (PMDB), que foi acusado pelo empresário Joesley Batista, da JBS, em delação premiada de ter estimulado o pagamento de propina ao ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB), preso na Operação Lava Jato, como forma de mantê-lo em silêncio. Segundo o jornal O Globo, o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, deu sinal verde ao pedido feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Com isso, Temer passou a ser formalmente investigado na operação que apura o maior escândalo de corrupção e lavagem de dinheiro da história do país. Depois das revelações, na quarta-feira, Temer convocou uma reunião de emergência no Palácio do Planalto e, em seguida, divulgou a seguinte nota: “O presidente Michel Temer jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar. O encontro com o empresário Joesley Batista ocorreu no começo de março, no Palácio do Jaburu, mas não houve no diálogo nada que comprometesse a conduta do presidente da República. O presidente defende ampla e profunda investigação para apurar todas as denúncias veiculadas pela imprensa, com a responsabilização dos eventuais envolvidos em quaisquer ilícitos que venham a ser comprovados” (EFE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário