terça-feira, 16 de maio de 2017

'Le Monde': Primeiro ano de Temer mergulha país em desordem

Jornal francês chama chefe de Estado de "presidente por acidente" 


O jornal francês Le Monde publicou uma longa matéria sobre o primeiro ano de Michel temer no cargo de presidente do Brasil.
O texto lembra o impeachment de Dilma Rousseff, finalizado em agosto de 2016 e ironiza as modificações na residência oficial para abrigar o presidente, esposa e filho, que passaram apenas poucos dias ali, afirmando que não gostaram da energia que o local emana.
Le Monde fiz que Michel Temer está perto da impopularidade registrada por sua antecessora Dilma Rousseff
Le Monde fiz que Michel Temer está perto da impopularidade registrada por sua antecessora Dilma Rousseff
Giro de 180 graus
O diário analisa que a mudança de presidentes foi como um giro de 180 graus, pela disparidade entre os governantes. Le Monde ressalta, que no entanto, Michel Temer está perto da impopularidade registrada por sua antecessora Dilma Rousseff.
Monde diz que um ano após a substituição da presidente de esquerda está um homem de 76 anos, especialista em direito constitucional, muitas vezes ridicularizado por seus excessos de solenidade, e falta de legitimidade. Desconfortável, ele foge do "povo", tão valorizado pelo ex-presidente Lula da Silva.
O vespertino descreve o atual chefe de Estado como um especialista das negociações entre partidos, das alianças e das intrigas.
Monde ressalta que Temer não é audacioso, e sim oportunista. Ao sentir que a rua começava a protestar contra Dilma, ele se afastou da presidente, se isentando de qualquer responsabilidade nos erros da então chefe de Estado, explica o texto.
O texto lembra que o governo do novo presidente era composto apenas por homens, brancos e idosos, projetando uma imagem ultrapassada e a polêmica tentativa de acabar com o ministério da Cultura e suas declarações desastrosas sobre as mulheres.
Le Monde aponta que mês após mês, a mínima popularidade do presidente desmorona ao ponto de se aproximar de sua antecessora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário