quarta-feira, 17 de maio de 2017

Doria admite que pode concorrer à Presidência em 2018

Em discurso em NY, prefeito de São Paulo fez ataques ao PT e ao ex-presidente Lula


O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), admitiu publicamente pela primeira vez que pode concorrer à Presidência da República em 2018 caso for escolhido nas prévias de seu partido para disputar o cargo. A informação é da agência de notícias Bloomberg, que entrevistou o político em Nova York, onde ele cumpre agenda de encontros e palestras.
"Respeitando a democracia, por que não?", respondeu Doria à agência, quando questionado sobre sua possível candidatura à Presidência no ano que vem, se essa fosse uma escolha de seu partido.
Porém, a assessoria do prefeito enfatizou que Doria deu a declaração quando defendia que a candidatura à Presidência fosse realizada por meio de prévias, e que ele "fez uma defesa enfática do nome do Geraldo [Alckmin]".
Doria admite que pode concorrer à Presidência em 2018
Doria admite que pode concorrer à Presidência em 2018
Doria afirmou diversas vezes que não deixaria a Prefeitura de São Paulo. Nesta terça-feira (16), disse novamente que o pré-candidato do PSDB à Presidência é seu padrinho político, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Em outro momento, porém, comentou que o candidato do partido será "aquele que tiver melhor posição perante à opinião pública".
"Fui eleito prefeito de São Paulo e tenho que me concentrar nisso", afirmou o tucano ao jornal Financial Times, que também publicou reportagem com Doria na última terça-feira (16).
Junto com Doria em Nova York, Alckmin afirmou estar preparado para ocupar o cargo de Presidente da República e ressaltou ter "vontade, agenda, projeto, aliança e conhecimento" para isso.
Ataques a Lula
Doria foi a Nova York para receber o prêmio de Personalidade do Ano, entregue pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. Em seu discurso, o prefeito de São Paulo frisou: “Eu vou continuar a ser o João trabalhador. Eu vou continuar a ser uma pessoa que vai trabalhar e que vai se dedicar exatamente de forma oposta àquilo que Luiz Inácio Lula da Silva e seus asseclas nunca fizeram nos últimos anos no Brasil: trabalhar, trabalhar, trabalhar.”
“Vocês não podem se calar”, disse Doria ao público de cerca de mil pessoas, a maioria empresários. “Essa maioria, se silenciosa ficar, a minoria ruidosa vai ganhar. E não pode. Não pode. Porque ninguém quer para os seus filhos e para os seus netos aquele mundo que estava previsto até um ano atrás.” O prefeito tucano afirmou ainda que os petistas “quase destruíram” o Brasil e sua economia, e que será uma voz para “lembrar essas mazelas”.
Com Ansa

Nenhum comentário:

Postar um comentário