Loading...

PASSAGEM AÉREA

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Cidade fantasma argentina que ficou debaixo d'água por anos atrai turistas


Antigo balneário foi inundado por lago de água salgada em 1985.
Visitantes querem ver de perto paisagem pós-apocalíptica.

Da Associated Press

Mulher caminha por Epicuren, cidade fantasma na Argentina (Foto: Natacha Pisarenko/AP Photo)Mulher caminha por Epecuen, cidade fantasma na Argentina (Foto: Natacha Pisarenko/AP Photo)
Uma cidade fantasma na Argentina está revivendo após passar um quarto de século debaixo d’água.
Situada nos arredores de um lago em uma área rural ao sul de Buenos Aires, Epecuen já foi uma estância turística que recebia 20 mil visitantes a cada estação, que buscavam o lugar para relaxar nos seus spas e balneários de água salgada.
Carro destruído em Epicuren, cidade fantasma na Argentina (Foto: Natacha Pisarenko/AP Photo)Carro destruído em Epecuen, cidade fantasma na
Argentina (Foto: Natacha Pisarenko/AP Photo)
O lago, que possuía dez vezes mais sal do que o oceano e fazia o banhista flutuar, lembrava o Mar Morto, no Oriente Médio, e atraía principalmente turistas pertencentes à grande comunidade judaica de Buenos Aires.
Em novembro de 1985, após uma série de invernos úmidos e uma tempestade muito forte, o lago transbordou. A água ultrapassou uma barreira de contenção e inundou as ruas, e as casas ficaram submersas durante dias debaixo de quase 10 metros de água salgada corrosiva.
Hoje, a água recuou quase totalmente e expôs o que parece uma cena de filme sobre o fim do mundo.
A cidade não foi reconstruída, mas se tornou um destino turístico novamente, para aqueles que querem ver de perto a paisagem pós-apocalíptica que congelou no tempo um momento traumático.
Pablo Novak, morador de Epecuen que se recusou a sair da cidade fantasma (Foto: Natacha Pisarenko/AP Photo)Pablo Novak se recusou a sair da cidade
(Foto: Natacha Pisarenko/AP Photo)
Os visitantes sobem escadarias que levam a nenhum lugar, perambulam pelo cemitério no qual a água derrubou lápides e expôs tumbas, fotografam carcaças de automóveis e móveis enferrujados, casas desmoronadas e objetos quebrados.
Muitos dirigem ao menos seis horas desde Buenos Aires para chegar lá, por 550 km de estradas rurais.
Um homem se recusou a sair de Epecuen. Pablo Novak, que hoje tem 82 anos, ainda vive nos limites da cidade, dando as boas-vindas para as pessoas que vão até lá.
“Quem estiver passando pela área não pode ir embora sem passar por aqui”, diz ele, acrescentando que mais pessoas estão indo em busca de ver as ruínas.
Muitos moradores de Epecuen migraram para Carhue, cidade vizinha também na beira do lago, e construíram novos hotéis e spas.
Casas em ruínas de Epicuren, cidade fantasma na Argentina (Foto: Natacha Pisarenko/AP Photo)Casas em ruínas (Foto: Natacha Pisarenko/AP Photo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário