Loading...

domingo, 8 de abril de 2012

Família triplica produção de leite sem aumentar número de vacas, em MS


Em sítio em Sidrolândia, 14 vacas leiteiras dão 220 litros por mês.
Antes, sem manejo correto, as mesmas vacas davam apenas 60 litros.

Do G1 MS

Um dos desafios de Mato Grosso do Sul é aumentar a produção de leite para atender à indústria. Conheça o exemplo da família Brito, que conseguiu triplicar a produção sem aumentar o número de vacas.
Pasto verde, vacas gordas e leite em abundância, não importa a época do ano. Quem chega ao sítio Estrela Cadente, em Sidrolândia, a 70 km de Campo Grande, depara-se com fartura. A propriedade pertence à família Brito. Dona Aurélia, a matriarca, conta que muita coisa mudou na propriedade nos últimos anos. "Já estamos fazendo financiamento para construir um barracão novo, e instalar a ordenha e o tanque", conta.
No sítio de 20 hectares, a família mantém 14 vacas leiteiras e retira 220 litros por mês. Há quatro anos, era apenas 60 litros e os mesmos animais. Eliane, a filha, é a responsável pela contabilidade. Os números provam o aumento na renda familiar. "Antes a gente vendia o litro do leite a R$ 0,22. Hoje a qualidade melhorou, e vendemos a R$ 0,75. Vacas que davam antes nove litros na ordenha, hoje dão 24 litros", relata Eliane.
O que mudou no sítio foi o manejo. No passado, o alimento vinha do pasto de brachiaria. Hoje, duas vezes ao dia, as vacas comem ração feita de milho e casca de soja. Os animais, que antes precisavam de 40 hectares de pasto, agora se alimentam em apenas 1,6 hectare. A variedade da forrageira é outra: em vez da brachiaria, o tifton.
Produção de leite em MS (Foto: Reprodução/TV Morena)Família produz 37 mil litros de leite por ano com manejo melhorado (Foto: Reprodução/TV Morena)
Com o passar do tempo, a família percebeu que para manter o gado produzindo o ano inteiro, era preciso investir na oferta regular de água. Isso não era possível se dependesse apenas da chuva. Foi adotado um sistema de irrigação, em que a água sai de um poço artesiano e chega aos piquetes por meio de mangueiras. O resultado é pasto verde o ano inteiro e produtividade e alta. Por ano, são 37 mil litros de leite por hectare.
O exemplo da família Brito serve a outros pequenos produtores rurais, segundo o engenheiro agrônomo Mário Barbosa. "Enquanto o produtor não tomar consciência de isso merece ser cuidado como uma lavoura, não vai conseguir bons resultados", diz.
Com a renda que vem do leite, os Brito fazem novos planos. A ordenha mecânica deve começar a funcionar ainda este ano. Outras quatro vacas leiteiras, compradas recentemente, também vão inicar a produção logo. A meta é chegar aos 500 litros de leite por mês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário